Home » Artigos arquivados » PCI-X não é PCI Express!

PCI-X não é PCI Express!

Autor: Laércio Vasconcelos
Data: 20/fev/2007

Não bastam as palavras inexistentes da vida cotidiana como “menas” e “seje”, as inexistentes da informática como “megas” e “gigas”, e termos inexistentes que passaram a existir, como “pente” e “mp4”. Agora temos uma novidade: chamar PCI Express de PCI-X (o correto é PCI-E). Não seria problema se PCI-X já não fosse um termo existente muito antes do PCI Express ser lançado…

PCI-X não é PCI Express

Não confunda PCI-X com PCI-E (PCI Express). O PCI-X é um barramento anterior ao PCI Express, usado em servidores, que utiliza slots mecanicamente semelhantes aos slots PCI, porém opera com clocks maiores e usa técnicas de transferência DDR e QDR para aumentar a taxa de transferência. Esses slots são usados em placas mãe para servidores, como a da figura 1.

hard-02
Figura 1 – Placa mãe dual com slots PCI-X e PCI-E.

A placa mãe da figura 1 tem três slots PCI-X de 64 bits e um slot PCI comum, de 32 bits. Por acaso tem também dois slots PCI Express x16. Suporta dois processadores AMD Opteron com Socket 940, cada um com suas próprias memórias.

A figura 2 mostra uma placa de rede PCI-X e a figura 3 mostra um servidor com vários slots PCI-X.
hard-03

Figura 2 – Placa de rede PCI-X.

hard-04
Figura 3 – Sevidor com vários slots PCI-X.

A confusão entre o já existente PCI-X e o novo PCI-E provavelmente surgiu quando a Intel usou o “X” nos nomes dos seus novos chipsets com suporte a PCI Express, como o 925X. O que importa é que agora milhares de pessoas aprenderam e falar errado.

Em sites de vendas como o Boa Dica (www.boadica.com.br), o PCI Express é invariavelmente chamado de PCI-X (não pelo site, mas nas descrições de produtos feitas pelos anunciantes). Mas os anunciantes não têm tanta obrigação de conhecer os termos corretos, mas os técnicos sim. Você que é técnico ou especialista em hardware não pode permitir que vendedores digam como os produtos devem ser chamados (ou seja, não repetir os termos errados que você “aprende na Internet”). Você deve sim, aprender os termos corretos e ensiná-los aos vendedores quando tiver oportunidade. O PCI Express pode ser um caso perdido, pois existe até livro onde o termo “PCI-X” é usado na capa para abrever PCI Express. Espere só até chegarem as placas PCI Express x32, que com certeza serão chamadas erradamente de “PCI-X de 32 bits” (lembram das placas de som de 512 bits?).

Informações técnicas sobre o PCI-X e o PCI Express podem ser encontradas em www.pcisig.com.

Padrão Taxa de transferência
(32 bits)
Taxa de transferência
(64 bits)
Clock Transferências por ciclo
PCI 33 MHz 133 MB/s 266 MB/s 33 MHz 1
PCI 66 MHz 266 MB/s 533 MB/s 66 MHz 1
PCI-X 66 266 MB/s 533 MB/s 66 MHz 1
PCI-X 100 400 MB/s 800 MB/s 100 MHz 1
PCI-X 133 533 MB/s 1066 MB/s 133 MHz 1
PCI-X 266 1066 MB/s 2133 MB/s 133 MHz 2
PCI-X 533 2133 MB/s 4266 MB/s 133 MHz 4

O slot PCI comum, encontrado nas placas mãe para desktop, opera com 32 bits e 33 MHz, o que resulta em uma taxa de 133 MB/s. Essa conta é fácil de fazer, basta multiplicar o clock pelo número de byte (4, já que são 32 bits). O PCI de 64 bits opera com 266 MB/s. O padrão PCI prevê ainda o uso de clock de 66 MHz, resultando em taxas de 266 MB/s para 32 bits e 533 MB/s para 64 bits). Essas modalidades do PCI são usadas apenas em placas mãe para servidores, ficando as placas para desktop limitadas a 32 bits e 33 MHz.

O PCI-X é um padrão similar ao PCI, com protocolos e drivers semelhantes, mas com taxas de transferência aumentadas por usar clocks mais altos e modos DDR e QDR. Uma placa PCI comum funciona em um slot PCI-X.

No PCI-X, o clock foi aumentado para 66, 100 e 133 MHz, em contraste com os 33 MHz originais. Foram criados modos DDR (duas transferências por ciclo) e QDR (quatro transferências por ciclo), e mantidas as versões de 32 e 64 bits. Apenas em chipsets para servidores encontramos implementações do PCI-X.