Home » Artigos arquivados » Monitor de hardware

Monitor de hardware

Autor: Laércio Vasconcelos
Data: 1/jun/2006

hardware_na_pratica

Trecho extraído parcialmente do capítulo 13 do livro HARDWARE NA PRÁTICA

Processadores modernos são muito quentes, e mais exigentes com respeito à refrigeração e à alimentação elétrica. Por isso todas as placas mãe atuais oferecem programas conhecidos genericamente como “Monitores de hardware”. Monitoram constantemente as temperaturas do processador e do sistema, voltagens da fonte e rotações dos coolers.

Monitor de hardware

Este é um recurso muito importante de todas as placas de CPU modernas. Trata-se de um software que opera em conjunto com um chip existente na placa mãe que checa continuamente temperaturas, voltagens e as rotações dos coolers. Em caso de problemas, o usuário é avisado imediatamente. Explicando melhor, as placas de CPU modernas possuem:

a) Um chip que faz continuamente medidas de temperaturas do processador e do gabinete, voltagens da fonte de alimentação e rotações do cooler do processador e coolers do gabinete.

b) Um programa que permite acessar continuamente este chip. O programa avisará o usuário caso algum evento grave ocorra, como a elevação acentuada na temperatura do processador. Nesse caso o programa pode até mesmo comandar um desligamento de emergência.

Monitor de hardware no CMOS Setup

Uma forma fácil de comprovar se uma placa de CPU tem o recurso de monitoração do hardware é checando se no CMOS Setup existe algum comando que faz essas medições. Este comando, dependendo do Setup, pode ser Hardware monitor, ou PC Health Status, ou outro nome que sugira esta monitoração. No exemplo da figura 124, o comando é Power / Hardware monitor.

m124

Figura 124 – Monitoração no Setup.

Neste exemplo vemos que alguns pontos críticos são checados:

Motherboard Temperature ouSystem Temperature Mede a temperatura interna do gabinete. Esta temperatura precisa estar em limites aceitáveis, como mostraremos adiante, caso contrário, todos os componentes internos do computador ficarão também muito quentes.
CPU Temperature Temperatura do processador. Cada modelo tem uma temperatura máxima suportada, indicada pelo fabricante. Em algumas placas existe também a medição da temperatura da ponte norte do chipset.
CPU Fan Speed Mede a velocidade de rotação (em RPM – rotações por minuto) do cooler do processador.
Chassis Fan SpeedSystem Fan SpeedCase Fan Speed Medem as rotações dos demais coolers do computador, como os presentes no gabinete. A rotação só pode ser medida quando o cooler é ligado em um conector de 3 pinos na placa mãe. Coolers ligados diretamente na fonte de alimentação não têm sua rotação monitorada.
VCORE Voltage Voltagem do núcleo do processador. Cada modelo opera com sua própria voltagem. Todos os processadores modernos apresentam voltagens próximas de 1,5 volt.
+3,3V Voltage Mede a saída de 3,3 volts da fonte de alimentação.
+5V Voltage Mede a saída de 5 volts da fonte de alimentação.
+12V Voltage Mede a saída de 12 volts da fonte de alimentação.
Outras voltagens Em algumas placas são feitas outras medidas de voltagem, como a da bateria de lítio (3.0 volts), a tensão de standby (+5VSB) e as saídas de -5 e -12 volts da fonte de alimentação.

Monitoração de hardware dentro do Windows

No caso da placa mãe possuir o chip de monitoração (basta checar no CMOS Setup), podemos instalar o programa que faz esta monitoração dentro do Windows. Este programa é encontrado no CD-ROM que acompanha a placa mãe. Temos então que configurar o programa, indicando:
·         Temperatura máxima suportada pelo processador
·         Temperatura máxima suportada pelo interior do computador
·         Faixas de tolerância das tensões da fonte de alimentação
·         Valores limites mínimos para rotações dos ventiladores

Em caso de problemas (queda de voltagem, ventilador travando, temperatura alta), o programa avisará o usuário e poderá até comandar o desligamento do micro.

m125 1
Figura 125 – Core Center – exemplo de programa de monitoração de hardware que acompanha as placas da MSI.

Cada placa mãe tem seu próprio programa monitorador de hardware. Este programa é encontrado no CD que acompanha a placa mãe, ou no site do fabricante (Support / Download / Utilities). Alguns exemplos de programas:
·         Asus PC Probe
·         MSI Core Center
·         ABIT EQ

Esses programas têm visuais diferentes, mas todos têm o mesmo objetivo. Monitoram constantemente voltagens, temperaturas e rotações de ventiladores. Em caso de problemas, avisam imediatamente ao usuário.

Voltagens da fonte de alimentação

Ao configurar as tolerâncias das voltagens, use as mais recentes especificações para fontes ATX, mostradas na tabela abaixo:

5% para as saídas de +12V, +5V, +3,3V e +5VSB.
10% para -12V e -5V (note que as mais novas já não usam -5V).

A tolerância de +12V pode ser de 10% quando opera com carga máxima (por exemplo, processador 100% ocupado), mas o ideal é ficar dentro da faixa de 5%.

m126
Figura 126 – Faixas de voltagems e tolerância de uma vonte ATX versão 2.2.

As saídas de +5V e +3,3V devem ficar rigorosamente dentro da tolerância de 5%. Não podem ficar fora da faixa, em hipótese alguma. As saídas de -5V e -12V podem ficar em uma faixa de tolerância de 10%. A saída de +12V sempre pode ficar na faixa de tolerância de 10%, mas as mais recentes especificações ATX já recomendam uma tolerância de 5%. Pode chegar a 10% apenas quando o processador está operando em plena carga, por exemplo, executando um programa de compressão de vídeo. Se as saídas de +5V ou +3,3V ficarem fora da faixa de tolerância (por exemplo, +5V abaixo de 4,75 volts, ou + 3,3V abaixo de 3,14 volts), é recomendável trocar a fonte por uma mais potente, e de preferência, de melhor qualidade. O computador poderá travar aleatoriamente por culpa da fonte.

Se as fontes de -5V ou -12V ficarem fora de faixa, você não precisa se alarmar. Praticamente nenhuma placa moderna usa essas voltagens. Apenas a tensão de 12V negativos pode ser usada por algumas placas de som, modems e interfaces seriais. Ainda assim, essas placas podem funcionar com tensões menores.

Já a fonte de +12V, se ficar abaixo de 11,4 volts, você deve prestar atenção. Se isso ocorrer, mas o processador não travar, pode mantê-la. Se ocorrerem travamentos e sua placa mãe possui o conector ATX de 12 volts (indica que alimenta o processador), é melhor trocar por uma fonte melhor ou mais potente.

Temperatura máxima do processador

Programas de monitoração de hardware medem, entre outras coisas, a temperatura máxima do processador. Quando esta temperatura é atingida, o computador desligará automaticamente para evitar o superaquecimento.

A maioria dos processadores Pentium 4 e Celeron suportam temperaturas de até cerca de 70°C. Alguns modelos suportam um pouco mais, outros suportam um pouco menos, como 67°C.

Os processadores Athlon 64, Athlon 64 FX e Sempron para soquete 754, suportam 70°C.

Processadores Athlon, Duron, Athlon XP e Sempron (Socket A) podem suportar 75°C, 80°C, 85°C, 90°C, 95°C ou 100°C, dependendo do modelo. Para esses processadores, é recomendável não usar o limite máximo. Mantenha um valor 10°C abaixo do indicado.

Você pode descobrir o valor exato da temperatura máxima suportada por qualquer processador Intel. Basta ir ao endereço

http://processorfinder.intel.com

Selecione então o seu processador e velocidade. Serão apresentadas fichas detalhadas. Se preferir, pode digitar diretamente o s-Spec number, que é um código de 5 dígitos na forma SXXXX estampada na face superior do processador.

Por exemplo, vemos na parte direita da figura 127A, as inscrições em um Pentium 4, cujo s-Spec number é SL7PW. Com essa informação em mãos, e utilizando à página citada, descobrimos que este modelo suporta até 67,7°C.

m127
Figura 127 – Informações obtidas a partir do S-Spec number.

m127a
Figura 127A – O S-Spec number em um processador Pentium 4.

Processadores Athlon 64, Athlon 64 FX e Sempron para Socket 754 suportam no máximo 70°C. Você pode usar este limite ao configurar o seu programa monitorador de hardware.

Já os processadores para Socket A (Athlon, Duron, Athlon XP e Sempron) requerem que seja lida uma inscrição na sua face superior. Configure o seu programa monitorador com uma temperatura de processador 10°C abaixo daquela anunciada pelo fabricante. No exemplo da figura 128, o código do processador é:

AXDA2600DKV3C

 m128m128a Figura 128Código identificador de um Athlon XP. 

 

A antepenúltima letra (terceira de trás para frente) é o indicador de temperatura. No nosso exemplo: AXDA2600DKV3C

Use a tabela:

Código Temperatura
R 70°C
Y 75°C
V 85°C
T 90°C
S 95°C
Q 100°C

É desaconselhável deixar o processador chegar a temperaturas muito altas. Programe limites de 70 ou 75 graus para os processadores especificados para esses limites (códigos R e Y). Para os demais modelos, use um limite mais baixo, como 75 ou 80 graus.

Note que os limites configurados acima devem ser atingidos apenas quando o processador está com sua carga máxima de trabalho. Quando o processador está ocioso, sua temperatura normalmente fica um pouco acima de 50 graus.

Podemos obter informações atualizadas sobre processadores AMD em:

www.amdcompare.com

Rotações de coolers

Os programas de monitoração de hardware fazem a checagem das rotações de coolers. Se o cooler apresentar defeito (parar de girar, ou reduzir a rotação), o usuário será avisado imediatamente. Se for o cooler do processador, poderá comandar o desligamento automático do computador.

Programe o limite de rotação como a metade da rotação normal do cooler. Digamos por exemplo que em uso normal o cooler do processador gira a 4000 RPM (medidos pelo programa). Configure o programa para dar o alarme quando esta rotação chegar a 2000 RPM.

Quando uma tomada de ventilador na placa mãe não for usada, será indicada como 0 RPM (isto é comum, por exemplo, quando ligamos um cooler de gabinete diretamente na fonte de alimentação, e não na placa mãe). O programa poderá soar o alarme continuamente, indicando esta rotação de 0 RPM. Se uma das conexões de coolers na placa mãe ficou sem uso, mas mesmo assim está sendo monitorada pelo programa, configure-a com limite de 0 RPM para que não soe mais o alarme.

Temperatura do sistema

Os programas de monitoramento de hardware medem a temperatura interna do gabinete, normalmente chamada de SYSTEM TEMPERATURE ou MOTHERBOARD TEMPERATURE. Quanto mais quente está o gabinete, mais quente ficará o processador. Tradicionalmente os fabricantes de processadores têm especificado uma temperatura máxima de 42°C para o interior do gabinete. Este limite pode ser usado para a maioria dos computadores.

Tanto a Intel quanto a AMD têm especificado limites de temperatura mais baixos para micros com seus novos processadores. De um modo geral, processadores muito velozes, como os acima de 3 GHz (no caso dos Athlons, modelos acima de 3000+) exigem que o gabinete esteja no máximo a 39°C. Se o gabinete ficar mais quente que isso, não significa que o computador vai superaquecer. Significa apenas que será mais difícil manter o processador em uma temperatura segura, quando este operar com carga de trabalho máxima. Simplificando bastante, configure o programa assim:
·         Máximo de 42°C, para processadores até 3 GHz.
·         Máximo de 39°C, para processadores a partir de 3 GHz, inclusive.