Instalação de placas de som e unidades de CD/DVD - parte 1/2

Autor: Laércio Vasconcelos
Novembro/2003

    Instalar uma placa de som avulsa ou colocar em funcionamento o som onboard envolve a instalação de drivers e alguns ajustes e testes. Neste artigo analisamos a instalação de diversos modelos e abordamos também a instalação de drives de CD-ROM, DVD e gravadores. 

Parte 2

Copyright (C)
Laércio Vasconcelos Computação

Nenhuma parte deste site pode ser reproduzida sem o consentimento do autor. Apenas usuários individuais estão autorizados a fazer download ou listar as páginas e figuras para estudo e uso próprio e individual, sem fins comerciais.

Já apresentamos no capítulo sobre upgrades de hardware, as informações básicas sobre placas de som. Também apresentamos alguns modelos clássicos da família Sound Blaster (SB16, SB32, AWE32, AWE64). Neste capítulo vamos apresentar alguns modelos mais recentes e tratar sobre a instalação e a configuração de placas de som.

Instalações no Windows XP

O problema mais comum entre os usuários que fazem instalações de hardware ou mesmo um upgrade de sistema operacional é conseguir drivers para suas placas. O Windows 9x/ME possui drivers para vários modelos, mas também não possui drivers para vários outros. Felizmente na maioria dos casos, um driver antigo, de Windows 95 ou 98, funciona também no Windows ME. Quando uma placa de som é detectada mas o Windows não possui drivers nativos, passa a ser representada com um ponto de interrogação amarelo no Gerenciador de dispositivos, o que indica ausência de drivers.

Na figura 1 este problema ocorreu com a placa de som. Foram indicados um como não instalados corretamente, um “PCI Input controller” (interface para joystick) e dois “PCI Multimedia Audio Device”, que são os circuitos de áudio para sons WAVE e MIDI. O problema é resolvido com a instalação dos drivers que acompanham a placa, ou então obtidos via Internet, no site do seu fabricante.

Figura 1

A placa de som não foi instalada corretamente porque o Windows não possui drivers.

 

 

 

Lembre-se que o Windows ME aceita drivers criados para o Windows 95 e 98, e que o Windows 98 aceita drivers que foram criados para o Windows 95. Esses drivers podem em alguns casos apresentar problemas. São casos típicos de bugs, e a instalação dos drivers mais recentes normalmente resolve os problemas.

O Windows XP é bem mais completo no que diz respeito a drives de som. Somente placas muito antigas, ou placas muito novas, lançadas de 2002 em diante, podem não ter drivers nativos no Windows XP. Como ocorre em outras versões do Windows, o problema é resolvido com a instalação dos drivers mais novos. Futuras atualizações do Windows XP também serão acompanhadas de novos drivers para modelos mais recentes de placas de som e outros tipos de hardware.

Quando um PC com o Windows XP não tem placa de som instalada, ainda assim são instalados diversos drivers de software relativos ao som. Todos podem ser vistos no Gerenciador de dispostivos (figura 2). São CODECs de áudio e vídeo dispositivos de controle de mídia e dispositivos legacy.

Figura 2

CODECs de áudio e vídeo e outros drivers do Windows XP.

 

 

 

A figura 3 mostra uma placa Sound Blaster PCI 128. Esta foi uma das primeiras placas de som a utilizar o barramento PCI e a usar som quadrifônico. Seu “128” indica que tem 128 canais polifônicos, ou seja, reproduz até 128 notas musicas simultâneas.

Figura 3

Placa Sound Blaster PCI 128.

 

 

 

O Windows XP instala automaticamente seus drivers nativos para esta placa (figura 4), mas no Windows ME e em versões anteriores, é preciso utilizar os drivers fornecidos pelo fabricante. Observe na figura 4 que existem dois novos dispositivos:

Figura 4

O Windows XP possui drivers nativos para a Sound Blaster PCI 128.

 

 

 

Em praticamente todas as placas de som encontramos uma interface para joystick, que fica indicada no Gerenciador de dispositivos, na mesma seção onde fica a placa de som.

A figura 5 mostra outra placa de som relativamente comum, conhecida no mercado como Ensoniq. Esta placa é baseada em um chip da Creative Labs, e é compatível com a Sound Blaster PCI 128. Trata-se de uma versão mais barata, destinada ao mercado de PCs de menor custo.

Figura 5

Placa Creative Ensoniq.

 

 

 

O Windows XP também tem drivers para esta placa (figura 6). Algumas placas de CPU possuem seu chip integrado (ES1371 ou ES1373), portanto podemos encontrá-lo como som onboard.

Figura 6

Placa Creative Ensoniq.

 

 

 

Note que os nomes dados no comércio, como “Ensoniq” são bastante genéricos. A Creative Labs produziu na verdade várias placas de som da família Ensoniq, equipadas com vários chips.

Uma placa bastante comum é a Sound Blaster Live (figura 7). Foi produzida em várias versões. Uma característica interessante desta placa é que seus circuitos são totalmente digitais e de 32 bits. Os sons analógicos recebidos por esta placa são inicialmente digitalizados com conversores de A/D 16 bits. Depois são adicionados mais 16 bits com valor zero, totalizando 32 bits. Todas as operações internas realizadas pela placa são feitas com 32 bits, portanto os erros de arredondamento são bem reduzidos. No final do processamento, são tomados os 16 bits mais significativos para serem enviados aos conversores D/A e finalmente para as suas saídas sonoras.

Figura 7

Sound Blaster Live.

 

 

 

O Windows XP também possui drivers nativos para a maioria dos modelos da Sound Blaster Live, exceto os lançados mais recentemente.

Figura 8

O Windows XP possui drivers nativos para a Sound Blaster Live.

 

 

 

Existem entretanto versões mais novas da Sound Blaster para as quais o Windows XP não possui drivers nativos. Um exemplo é a Sound Blaster Audigy MP3 (figura 9). As placas da família Audigy da Creative Labs têm características bem parecidas com as da Sound Blaster Live. Uma grande diferença são seus conversores de saída, que operam com 24 bits.

Figura 9

Placa Sound Blaster Audigy MP3.

 

 

 

O Windows XP na sua versão original não possui drivers para as placas da família Audigy. Quando fazemos a sua instalação, os dispositivos da placa aparecem no Gerenciador de dispositivos como mostra a figura 10, que indica a falta de drivers. É preciso utilizar os drivers fornecidos no CD-ROM que acompanha a placa. Uma outra característica interessante é que esta placa possui a interface de joystick disponível em um conector separado. Dentro de alguns anos as placas de som não terão mais interface de joystick. A tendência agora é o uso de joysticks e controles de jogo USB. A velha interface de joystick encontrada nas placas de som irá portanto cair em desuso. Essas placas possuem uma interface Firewire (IEEE-1394) integrada. Isto permite a conexão de dispositivos sonoros que utilizam este padrão de comunicação. Já é bastante comum o uso das interfaces IEEE-1394 por aparelhos de som e imagem para uso profissional e até mesmo para entretenimento. Observe na figura 10 que o Windows XP possui drivers nativos para esta interface.

Figura 10

O Windows XP não tem drivers para a Sound Blaster Audigy.

 

 

 

O Windows XP também não possui drivers nativos para placas de som muito antigas. Exemplos clássicos são os das placas de som produzidos pela Diamond Multimedia. Esta empresa já foi uma das maiores produtoras de placas de som, vídeo e modems. No final de 1999 foi comprada pela S3, produtora de chips gráficos, que se encarregou de sucateá-la. Hoje não existe mais Diamond, mas ainda é possível encontrar drivers para vários dos seus antigos produtos. Esses drivers são desatualizados, e não foram criados drivers específicos para o Windows XP. Portanto placas como a Diamond Monster Sound (figura 11) não podem ser usadas no Windows XP.

Figura 11

Placa Diamond Monster Sound.

 

 

 

 

Figura 12

O Windows XP não possui drivers para as placas de som da Diamond.

 

 

 

Podemos encontrar drivers nativos para vários chips e circuitos de som onboard. A maioria dos chipsets atuais possuem esses circuitos, e basta que o fabricante da placa de CPU instale um chip adicional, que é o CODEC de som. Como a maioria dos chipsets oferece este recurso, quase todas as placas de CPU atuais, mesmo as de melhor qualidade, apresentam som onboard. A figura 13 mostra como são indicados no Gerenciador de dispositivos do Windows XP, o som onboard de placas baseadas no chipset Intel i815.

Figura 13

Controlador de áudio integrado à placa de CPU.

 

 

 

A figura 14 mostra uma outra placa de som comum no mercado brasileiro, a Genius SoundMaker Live. Apesar do nome lembrar a Sound Blaster Live, trata-se de uma placa de som simples, não muito superior à maioria dos circuitos de som onboard. Seu principal atrativo são as saídas para alto falantes quadrifônicos.

Figura 14

Placa Genius SoundMaker Live.

 

 

 

Esta placa também não é reconhecida pelo Windows XP, nem por versões anteriores. É preciso instalar os drivers fornecidos pelo fabricante. É preciso ter cuidado, pois os drivers que acompanham esta placa são desatualizados (assim como ocorre com a maioria das placas). São drivers para Windows 95/98 (o driver de Windows 98 pode ser usado no Windows ME). Para usar com o Windows XP é preciso obter os drivers mais novos em www.genius-kye.com.

Figura 15

O Windows XP não possui drivers para a placa Genius SoundMaker Live.

 

 

 

Atualizando um driver de som

Os fabricantes de hardware podem oferecer drivers de duas formas: um conjunto de drivers propriamente ditos ou um programa de instalação. A primeira coisa a fazer é obter o arquivo que contém os drivers e descompactá-lo em um diretório. Se neste diretório encontrarmos um arquivo de nome SETUP.EXE, devemos executá-lo. O programa realizará a instalação dos drivers. Se não existir tal arquivo, temos que fazer a atualização manual dos drivers. A figura 16 mostra os arquivos obtidos quando descompactamos os drivers da placa Genius SoundMaker Live. Podemos observar que existe um arquivo SETUP.EXE, portanto basta executá-lo e os drivers estarão instalados.

Figura 16

Arquivos da Genius SoundMaker Live.

 

 

 

A instalação manual é feita por um processo um pouco mais complexo. Muitas vezes podemos usar a instalação manual de drivers mesmo quando existe um programa SETUP.EXE, entretanto o uso deste programa de instalação é o método recomendável. Particularmente a placa Genius SoundMaker Live do nosso exemplo permite que seja drivers sejam instalados pelo processo manual, portanto usaremos esta placa para ilustrar o método.

Começamos clicando nos itens do Gerenciador de dispositivos (figura 15) onde existem pontos de interrogação que indicam ausência de drivers. Selecionamos a guia Driver e clicamos no botão Atualizar driver. Será executado o Assistente de atualização de driver. Escolhemos a opção de busca manual (Instalar de uma lista ou local específico) e indicamos no quadro seguinte (figura 17), o diretório onde formam descompactados os drivers.

Figura 17

Indicando o diretório onde estão os drivers.

 

 

 

No caso do Windows XP, poderá ser eventualmente informado que o driver que está prestes a ser instalado “não passou no teste do logotipo do Windows que verifica sua compatibilidade com o Windows XP”. Normalmente isso não causa problemas, apenas indica que o fabricante não enviou o driver para avaliação da Microsoft. Clicamos então em “Continuar assim mesmo”. Versões anteriores do Windows não fazem checagens deste tipo.

Figura 18

Instalação dos drivers.

 

 

 

Os drivers serão instalados e o Assistente concluirá seu trabalho. A seguir usamos o mesmo processo para atualizar os demais dispositivos da placa de som. Vimos na figura 15 que além do Controlador de áudio de multimídia, temos ainda o Dispositivo de entrada PCI (interface de joystick) sem driver.

Figura 19

Terminada a instalação de todos os drivers da placa de som.

 

 

 

Terminada a instalação de todos os drivers, a placa de som e a sua interface de joystick passarão a constar no Gerenciador de dispositivos, desta vez na seção Controladores de som, vídeo e jogo (figura 19).

Instalações no Windows 9x/ME

O método de instalação de placas de som PnP é geral, aplica-se a todos os modelos. Para placas de som não PnP, recomendamos que seja consultado o capítulo 27.

Assim que o Windows é iniciado, a placa de som é detectada e a seguir é feita a instalação dos drivers. Neste ponto duas situ­ações podem ocorrer:

1) O Windows possui drivers para a placa - Será feita a leitura dos drivers, a partir do CD-ROM de instalação do Windows.

2) O Windows não possui drivers para a placa - O usuário tem que usar um CD-ROM ou disquete fornecido pelo fabri­cante da placa, contendo os drivers apropriados.

O Windows poderá ter ou não os drivers apropriados para a placa de som que está sendo instalada, dependendo da “idade” da placa em relação à “idade” do Windows. Placas mais novas que o Windows necessitarão de driver fornecido pelo fabri­cante. Placas mais antigas que a versão do Windows existente no computador normalmente não preci­sam de driver do fabricante, já que é grande a chance do próprio Windows possui este driver. Vejamos a seguir o dois exemplos de instalação de placas Plug and Play, usando os drivers do Windows e usando os drivers do fabricante.

Depois que a placa de som está conectada em um slot livre, o Windows a detectará assim que for iniciado. Aparecerá o quadro “Novo Hardware encontrado” e entrará em ação o nosso conhecido Assistente para adicionar novo hardware.

Figura 20

Assistente para adicionar novo hardware.

 

 

 

O processo de instalação é idêntico ao de outros tipos de placa. Podemos utilizar drivers fornecidos pelo fabricante, em um disquete ou CD, podemos usar os drivers nativos do Windows, ou ainda especificar um outro local, método que é usado quando obtemos drivers através da Internet. Finalmente, existe o processo de instalação de drivers através de um software fornecido pelo fabricante.

Figura 21

Placa de som corretamente instalada.

 

 

 

Terminada a instalação dos drivers, podemos checar sua indicação no Gerenciador de Dispositivos, na seção “Controladores de som, vídeo e jogo”. No nosso exemplo temos uma placa Sound Blaster PCI 128. Ao aplicarmos um clique duplo sobre este item, veremos a indicação “Este dispositivo está funcionando corretamente”. Note ainda que na figura 21 está indicado o item “Joystick de porta de jogo”, ou seja, a interface de jogos existente na placa de som. Em breve as placas de som não terão mais esta interface. Os joysticks novos passarão a utilizar a interface USB.

A próxima etapa é fazer testes com as entradas e saídas sonoras, como mostrare­mos mais adiante neste capítulo, na seção Testando a placa de som. Terminados os tes­tes devemos instalar os utilitários existentes no CD-ROM que acompanha a placa de som.

Som integrado na placa de CPU

Um chips sonoro muito usado nessas placas é o HT1869, também fabricado com o nome CMI8330, e conhecido popular­mente como Sound Pro. Vamos abodá-lo como exemplo, já que é tão comum.

Uma forma simples de fazer a instalação é deixar os circuitos de som desabilita­dos (a desabilitação é feita pelo CMOS Setup) durante a instalação do Windows. Depois que o Windows estiver instalado, habilitamos o som no CMOS Setup. Da próxima vez que o Windows for iniciado, o chip de som será detectado. São as seguintes as etapas da instalação:

1) O assistente para adicionar novo hardware irá procurar drivers para o chip CMI8330.
2) Deixamos que o assistente exiba uma lista de tipos de hardware.
3) Selecionamos na lista a opção Controladores de som, vídeo e jogo.
4) Na lista de marcas e modelos apresentada a seguir, clicamos no botão Com disco.
5) Selecionamos o diretório do CD-ROM no qual estão os drivers da placa.

O CD-ROM que acompanha a placa de CPU na qual está o chip Sound Pro con­tém, entre outros drivers, aqueles dedicados aos circuitos de áudio (figura 22).

Figura 22

O driver para o chip SoundPro está no CD-ROM que acompanha a placa de CPU.

 

 

 

Os drivers serão instalados, e o assistente para adicionar novo hardware detectará outros dispositivos existentes no chip Sound Pro, como a interface para joystick, o sinte­tizador FM, etc. Terminada a instalação, todos esses dispositivos constarão no Gerencia­dor de Dispositivos, como mostra a figura 23.

Figura 23

Dispositivos existentes no chip SoundPro.

 

 

 

O chip Sound Pro é compatível com a placa Sound Blaster 16 no ambiente Windows, mas possui recursos adicionais, como síntese por Wave Table e 3D Enhancement. Na figura 24 vemos o mixer para este chip, ativado quando aplicamos um clique duplo sobre o alto-falante da barra de tarefas.

Figura 24

O Mixer do chip SoundPro.

 

 

 

Para habilitar os sons MIDI gerados por Wave Table Synthesis, usamos o co­mando Multimídia no Painel de Controle, e no quadro apresentado selecionamos a guia MIDI (figura 25). Teremos então 3 opções de dispositivos MIDI:

1) C-Media SoftMidi Synthesis:
Ativa a síntese por Wave Table

2) Roland MPU-401:
Os códigos MIDI são direcionados para um dispositivo MIDI externo

3) Yamaha OPL2/OPL3:
Ativa o sintetizador FM compatível com o da Sound Blaster 16

Figura 25

Habilitando os sons MIDI por Wave Table Synthesis.

 

 

 

A habilitação dos sons 3D é feita através do Mixer (figura 24). Usamos Opções / Controles avançados. O Mixer passará a exibir um botão Avançado. Ao clicarmos neste botão será apresentado o quadro da figura 26. Podemos agora marcar a opção Enable 3D.

Figura 26

Habilitando o 3D Enhancement.

 

 

 

Instalação do drive de CD-ROM

Desde que os drives de CD-ROM IDE se tornaram comuns, em meados dos anos 90, o seu processo de instalação é o mesmo. Basta ligar o drive em uma interface IDE da placa de CPU, normalmente a secundária, e o Windows o reconhecerá automaticamente. Isto entretanto não permitirá que o drive de CD-ROM seja usado no modo MS-DOS. Para isto é preciso instalar drivers de modo real, um no arquivo CONFIG.SYS e outro no arquivo AUTOEXEC.BAT. O disquete de inicialização do Windows traz esses drivers e seus arquivos de inicialização já configurados. É usado o driver genérico OAKCDROM.SYS no arquivo CONFIG.SYS e o MSCDEX.EXE no arquivo AUTOEXEC.BAT. Se você precisar usar o modo MS-DOS no Windows ME e XP, será preciso preparar um disquete de boot, e utilizar esses drivers para ter acesso ao drive de CD-ROM. Esses arquivos devem ter os seguintes comandos:

CONFIG.SYS:

DOS=HIGH,UMB
DEVICE=C:\WINDOWS\HIMEM.SYS
DECICE=C:\WINDOWS\EMM386.EXE NOEMS
DEVICEHIGH=C:\WINDOWS\COMMAND\OAKCDROM.SYS /D:MSCD000

AUTOEXEC.BAT:

LH C:\WINDOWS\COMMAND\MSCDEX.EXE /D:MSCD000

O arquivo OAKCDROM.SYS pode ser encontrado no disquete de inicialização do Windows. Copie este arquivo para C:\Windows\Command para que o CONFIG.SYS acima funcione.

A instalação pode do drive de CD-ROM pode ser um pouco mais complicada no caso de modelos muito antigos, desprovidos de interface IDE, e quando são usadas interfaces para drive de CD-ROM das antigas placas de som. Como são hoje muito raros os casos dessas instalações, optamos por não apresentá-los neste livro, mas você encontrará todas as informações em um artigo sobre instalação de drives de CD-ROM em www.laercio.com.br.

Testando a placa de som

Assim que termina a instalação de uma placa de som, escutamos pelos alto-falantes, um arquivo sonoro. Ao ouvirmos este som, temos um bom indício de que a placa está funcionando. Se não ouvirmos o som, é possível que as caixas de som estejam mal conectadas, desligadas, com volume no mínimo, ou até mesmo ligadas em um conector errado. Devemos checar as ligações e comandar a repe­tição do som. Para isto basta clicar em Meu Computador e abrir a pasta C:\Windows\Media, onde existem vários arquivos de extensão MID e WAV que podem ser usados para testes. Se esses arquivos não forem encontrados, use o comando Adicionar e remover programas no Painel de Controle e comande a instalação do item Multimídia / Exemplos de sons.

Figura 27

Exemplos de sons, encontrados em C:\Windows\Media.

 

 

 

Devemos também testar a reprodução de CDs de áudio. Para isso basta inserir um CD de áudio no drive de CD-ROM e entrará em ação o CD Player. Em versões mais novas do Windows (ME e XP), o programa Windows Media Player será usado no lugar do CD Player. Se o som não for reproduzido, devemos checar a conexão do cabo de áudio que liga o drive de CD-ROM à placa de som, mas para isto, devemos antes desligar o com­putador, por medida de segurança.

No menu Iniciar / Programas / Acessórios / Entretenimento, encon­tramos o programa Gravador de Som (fi­gura 28). Se existir um micro­fone ligado à placa de som, podemos usar o botão REC e fazer uma gravação de voz. A forma de onda será mostrada à medida em que o som for captado. Depois de pressionar STOP, podemos pressionar PLAY para ouvir o que foi gravado.

Figura 28

Gravando um som proveniente do microfone.

 

 

Quando não conseguimos reproduzir sons WAV, MID ou CDs de áudio, ou quando não conseguimos fazer gravações, é possível que o problema seja a regulagem do Mixer (Controle de Volume). Veremos a seguir como fazer os devidos ajustes.

O Mixer do Windows

Chamamos de Mixer, um circuito capaz de misturar sons de várias origens. Pro­gramas capazes de controlar este circuito também são chamados genericamente de Mixers. No Windows existe um mixer, localizado no menu En­tretenimento. Trata-se do pro­grama Controle de Volume. A figura 29 mostra o controle de volume no Windows 9x/ME, e a figura 30 mostra o controle de volume no Windows XP.

Figura 29

O controle de volume no Windows 9x/ME.

 

 

 

 

Figura 30

Controle de volume no Windows XP.

 

 

 

O Controle de Volume também pode ser executado apli­cando um clique duplo sobre o alto-falante da barra de tarefas. Através dele podemos ajustar os volumes de di­versas fontes sonoras. Este programa possui vários botões deslizantes:

Controle de volume - Atua sobre o amplificador de saída da placa de som. Este controle atua de forma simultânea sobre todas as outras fontes so­noras.

Som Wave - Controla o volume dos sons digitalizados, como por exemplo, vozes e efeitos sono­ros presentes nos programas de multimídia ou em arquivos WAV.

MIDI - Regula o volume do som proveniente do sintetizador MIDI.

Áudio de CD - Regula o volume do som proveniente de CDs de áudio.

Entrada de linha - É uma entrada sonora existente nas placas de som (Line IN). Através dela podemos cap­tar sons de um VCR ou qualquer outro apare­lho que produza sons.

Os controles deste programa possuem associados outros botões deslizantes para balanço estéreo, deslocando o som para a esquerda ou para a direita. Cada um deles possui também a opção Sem áudio, usada para silenciar totalmente a respec­tiva fonte so­nora. Este programa possui ainda uma opção de controles avançados que permite o ajuste individual de sons graves e agudos. Esta opção é ati­vada atra­vés do botão Avan­çado (figuras 29 e 30). Se este botão não estiver presente, use o comando Opções / Con­troles Avançados. Ao ser usado o botão Avançado, é apresentado o quadro da figura 31. Este quadro também habilita outros controles, como a função 3D Stereo Enhancement e outros recursos da placa de som.

Figura 31

Controle de sons graves e agudos.

 

 

 

Os ajustes mostrados nas figuras 29 e 30 estão relacionados com a repro­dução de sons. Existem também ajustes relativos à gravação. Por exemplo, podemos realizar atra­vés de programas apropriados, a gravação de uma voz proveniente de um micro­fone juntamente com uma música de fundo proveniente de um CD.

Figura 32

Propriedades do controle de volume.

 

 

 

Para isto, no menu Op­ções escolhemos Propriedades, o que apresenta o quadro mostrado na figura 32. Sele­cionamos a opção Gravação e marcamos quais as fontes sonoras que desejamos ajus­tar. O programa ficará com o as­pecto mostrado na figura 33.

Figura 33

Ajustando o volume para gravação.

 

 

 

O quadro mostrado na figura 33 é bem parecido com os das figuras 29 e 30. A diferença funda­mental é que os das figuras 29 e 30 dizem respeito aos controles para a reprodução sonora, e o da figura 33 diz respeito aos controles para a gra­vação. Observe que existem, logo abaixo dos botões de controle de vo­lume, quadros com a indicação Selecio­nar.

Uma placa de som pode ter várias entradas e saídas, mas não necessariamente todas estarão representadas no controle de volume/gravação. Através do quadro da figura 32 podemos especificar quais dessas entradas e saídas sonoras serão mostradas. Na figura 34, habilitamos todas as entradas no controle de gravação da placa Sound Blaster Live. Observe que na maioria das vezes não usamos todas essas conexões, portanto podemos configurar o programa para mostrara apenas as entradas e saídas que estamos usando.

Figura 34

Controlando todas as entradas da placa de som.

 

OBS.: O controle de volume é um programa que é executado com Iniciar / Programas / Acessórios / Entretenimento / Controle de volume. Também podemos chegar a ele clicando no ícone do alto falante na barra de tarefas, ao lado do relógio. Se este ícone não for mostrado, habilite-o usando Painel de controle / Sons e multimídia (ou Sons e dispositivos de áudio). No quadro de propriedades apresentado, selecione a guia Volume e marque a opção “Exibir o ícone do alto falante na barra de tarefas”.

Habilitando o som 3D Enhanced

O som 3D enhanced consiste em uma espécie de distorção sonora que dá uma sensação de realismo. É um recurso presente em praticamente todas as placas de som modernas. O método usado para habilitar este recurso varia muito de uma placa para outra. Também depende dos drivers e do sistema operacional. Na maioria dos casos, a placa de som é acompanhada de um utilitário que habilita este recurso e faz vários outros controles. Em outros casos, esta habilitação é feita pelo Gerenciador de dispositivos, ou pelo Painel de controle, ou pelo Controle de volume.

Figura 35

Habilitando o recurso 3D Stereo Enhancement usando o controle de volume.

 

 

 

Na figura 35 temos o quadro de Controles avançados para o Controle de volume de uma placa Sound Blaster 16. Nele existe uma opção para habilitar o recurso 3D Enhancement. Em geral este é o lugar onde esta opção está disponível, mas dependendo da placa de som podemos encontrá-la em ou­tros locais. Por exemplo, no Gerenciador de Dispositivos. Aplique um clique duplo so­bre a placa de som no Gerenciador de Dispositivos e no quadro de propriedades apre­sentado selecione a guia Configurações. A figura 36 mostra um exemplo do quadro obtido. Podemos marcar então a opção Ativar o Creative 3D Stereo Enhancement.

Figura 36

Outra forma de habilitar a função 3D Enhancement.

 

 

 

Escolhendo o sintetizador MIDI

As placas de som modernas podem gerar sons MIDI de três formas diferentes:

1) Através do sintetizador FM (Yamaha OPL2 ou OPL3)
2) Através de síntese por Wave Table, nas placas que possuem este recurso
3) Enviando códigos MIDI a um dispositivo externo, pela UART MPU-401

Para escolher a saída MIDI a ser usada, usamos no Windows 9x/ME o comando Multimídia no Painel de Controle. No quadro apresentado selecionamos a opção MIDI. Pode­mos agora escolher a saída MIDI desejada.

Figura 37

Escolhendo a saída MIDI a ser utilizada.

 

 

 

No Windows XP, usamos no Painel de controle o comando Sons e dispositivos de áudio. Selecionamos a guia Áudio e podemos finalmente escolher o sintetizador MIDI (figura 37).

Parte 2