Home » Redes » 2014 – Para iniciar no mercado de redes

2014 – Para iniciar no mercado de redes

Para iniciar no mercado de redes

Autor: Marcelo Vasconcelos

A primeira vez que eu tive contato com o mundo das redes de computadores foi no ano de 2002 enquanto ainda estava na faculdade de Engenharia e busquei mais informações sobre como compartilhar os meus recursos domésticos com um novo computador que eu comprei. Eram dois computadores porém apenas uma impressora e, mais importante, uma única conexão com a Internet. Hoje em dia os provedores já disponibilizam os seus serviços com roteador e wi-fi sem custo adicional, porém em 2002 se você conectasse dois computadores através da conexão PPPoE você era cobrado duas vezes. Resumindo a história tive que aprender a me virar e fui apresentado aos conceitos de redes de computadores. Alguns leitores vão se lembrar dos modems speedstream da figura abaixo.

speedstream

Figura 1: Modem ADSL SpeedStream

Desde 2002, muita coisa mudou, no mercado e no conhecimento acumulado ao longo dos anos. Eu resolvi escrever esse texto para apresentar o mercado de trabalho de redes, principalmente para aqueles que pretendem ter o primeiro contato com esse mundo.

Os técnicos que atuam nessa área, normalmente tem a sua formação em: técnico em informática, técnico em eletrônica, técnico em eletrotécnica, técnico em telecomunicações, técnico em informática para internet, técnico em manutenção e suporte em informática ou técnico em redes de computadores.

A primeira coisa que deve ser dita é que a área de redes é muito segmentada e que não existe um profissional que domine todos os tópicos envolvidos. Desconfie de alguém que afirma conhecer tudo de redes.

Em uma rede de computadores, existem profissionais que se especificam nas seguintes áreas: Infraestrutura física, Ambiente Microsoft, Serviços de Redes e Servidores, Roteamento, Segurança e Programação. Nenhum profissional é especialista em todas essas áreas, mas é necessário ter conhecimento de todas elas se você quer trabalhar com redes de computadores. Essa divisão por assunto pode ser questionada por algumas pessoas, mas vamos nos ater a ela por uma questão de facilidade de entendimento.

Infraestrutura Física

O profissional que atua na área de infraestrutura física tem um campo muito vasto para seu trabalho, é aqui que se inserem todas as conexões físicas da rede: cabos de rede, fibra óptica e enlaces rádio. Normalmente os profissionais se especializam em um desses três métodos de transmissão de dados.

O mais comum é o cabeamento de rede, onde o profissional atua diretamente com os cabos de rede e implementando projetos de cabeamento estruturado. Esse profissional conhece bem as técnicas de montagem de cabos, conectores e patch-panel.

patch pannel (2)

Figura 2: Exemplo de um patch-panel bem feito.

Uma grande dificuldade nessa área é facilidade de funcionamento da rede, mesmo que o cabeamento não esteja no padrão, num primeiro momento tudo pode estar funcionando, mas com o uso efetivo da rede os problemas começam a aparecer.

erro 8 (2)

Figura 3: Exemplo de um cabeamento mal feito.

Uma rede de computadores que precise se estender de um andar a outro, entre prédios distintos ou necessite isolamento elétrico ou ainda de grandes velocidades, deve fazer uso das fibras ópticas. As fibras são um pouco mais complicadas de se trabalhar pois necessitam de cuidados e equipamentos especiais para a confecção de uma rede. A acomodação física dos cabos em locais internos e externos, normalmente são feitas pelas mesmas equipes que fazem o cabeamento estruturado, porém toda a conexão em cabos ópticos deve ser feita utilizando uma máquina específica, comummente chamada de “máquina de fusão” e que requer um profissional especializado e que normalmente executa somente esta atividade.

As redes rádio deixaram de ser exclusividade de grandes operadoras e se tornaram uma opção atrativa para empresas que necessitam de interconexão entre prédios separados, mas que possuem a chamada “visada” entre eles (de um prédio é possível ver o outro). A instalação de um enlace rádio envolve a parte de cabeamento e também a instalação das antenas em torres ou prédios. Para o correto funcionamento de um enlace rádio é necessário o perfeito alinhamento entre as antenas instaladas. Se você não gosta de alturas, esse trabalho não é pra você.

torres

Figura 4: Trabalho em torres de telecomunicações.

torre 2

Figura 5: Torre instalada no topo de um prédio.

Ambiente Microsoft

O Ambiente Microsoft é bastante conhecido pois o Windows é o sistema operacional mais popular do mercado. Este ambiente é composto pelas máquinas dos usuários e também pelo servidor Windows que cria um domínio e apresenta diversas facilidades e controle do usuário. A Microsoft disponibiliza um programa de treinamento e um conjunto de certificações que habilita o técnico a atuar com diversos níveis de profundidade nesse ambiente.

Para conhecer mais sobre os treinamentos e certificações Microsoft, basta acessar o seguinte endereço: https://www.microsoft.com/learning/pt-br/default.aspx

Serviços de Redes e Servidores

O primeiro assunto que o técnico deve conhecer com profundidade para atuar nessa área é o Sistema Operacional Linux. O Linux é o Sistema mais utilizado para serviços de redes como: DNS, E-mail, Hospedagem, etc. Além de conhecer o Linux, o técnico também precisa conhecer a Virtualização. Nos últimos anos com o conceito de nuvem, os serviços estão, em sua maioria virtualizados, conceitos como blade, storage, cluster etc devem ser dominados completamente.

Um grande fabricante de software de virtualização é o VMWare, para conhecer mais sobre as possibilidades da virtualização, basta acessar o site www.vmware.com.

DSC02563

Figura 6: Cluster de Servidores

Roteamento

Roteamento é um termo bastante genérico, mas podemos englobar nesse tópico a configuração de switches e roteadores. Esses equipamentos estão presentes em todo tipo de rede e é necessário que o técnico conheça as características de configuração de cada fabricante. Os dois maiores fabricantes de switches e roteadores são a Cisco e a HP, porém existem diversas outras como Mikrotik, Alcatel, Junipper, Brocade etc. A Cisco possui um programa de treinamento e certificação muito antigos que acabaram se tornando referência no mercado de redes.

Pode parecer fora do tema, mas um técnico que queira trabalhar nessa área deve conhecer com profundidade alguns conceitos básicos de matemática, como conversão de números decimais para binários, aritmética básica e lógica. Esses conceitos são utilizados nos cálculos de máscara de redes que são fundamentais para o endereçamento e roteamento em uma rede IP. Um bom técnico nessa área se diferencia por dominar esse assunto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Figura 7: Alguns Switches.

Segurança

A segurança de redes é um assunto antigo que recentemente está recebendo grande atenção por parte das empresas. Um profissional que atua nessa área precisa conhecer bastante sobre roteamento e servidores, bem como o uso de equipamentos específicos como firewall e sistemas de prevenção de intrusão.

Existem diversas formações no mercado e certificações reconhecidas internacionalmente.

Programação

Normalmente as pessoas ficam surpresas quando eu falo sobre programação na área de redes, mas a realidade é que a cada dia aumenta a necessidade pelo desenvolvimento de softwares específicos para atender as demandas da área de rede.

Os softwares de gerência de redes estão sendo cada vez mais utilizados pelas empresas de pequeno e médio porte, o que gera muita demanda para programadores.

Os softwares de gerência de redes mais conhecidos são: Nagios, HP IMC e IBM Tivoli.

Conclusão

O Mercado de redes está em expansão, gerando oportunidades em diversas áreas. A demanda por técnicos qualificados é muito grande e a falta desse profissional no mercado é uma reclamação recorrente em todas as empresas da área.

Se você pretende entrar nesse mercado, faça um curso técnico, estude bastante e procure se especializar com cursos de fabricantes e provas de certificação.

 

Marcelo Vasconcelos é Engenheiro de Comunicações formado pelo IME – Instituto Militar de Engenharia, mestre em Sistemas e Computação e doutorando em Engenharia de Defesa, também pelo IME.