Home » Artigos arquivados » 2006 – Informática em concursos públicos

2006 – Informática em concursos públicos

Autor: Laércio Vasconcelos
Maio/2006
Tipicamente as questões de informática dos concursos públicos não separam os que sabem daqueles que não sabem informática. Muitas são restritas a “decoreba de teclas de atalho”. As questões sobre hardware, parece que foram retiradas de algum livro de 15 anos atrás, e preparadas por pessoas que não lidam profissionalmente com o assunto.

Informática em concursos públicos

Quem trabalha com informática e já deu uma olhada nas provas de concursos públicos e pedem “noções de informática”, já constatou o absurdo de que essas provas não separam os que sabem daqueles que não sabem, e sim, selecionam os que têm mais sorte ao chutar. Certa vez uma prova para auditor fiscal apresentou a questão: “O protocolo RARP fica localizado em qual camada do modelo OSI?”. Tudo bem se fosse uma prova para profissionais de informática, mas não para um auditor que precisa ter noções de informática, como aliás é sempre indicado no edital.

Especificamente na área de hardware, tenho visto perguntas sobre a arquitetura do PC, mas que parecem ter sido retiradas de livros muito antigos. Os formuladores das questões parecem não entender sobre hardware, devem ser profissionais de software, então formulam questões como:

– Qual é o clock e o número de bits do barramento MCA
Detalhe: era um barramento usado nos primeiros micros IBM PS/2 que não “vingou” no mercado, praticamente não foi usado no Brasil e mesmo nos Estados Unidos, acabou sendo descontinuado por ser proprietário da IBM, e os fabricantes de placas de expansão não o adotaram.

– Barramento EISA
Era um barramento ISA melhorado, voltado para servidores. Em meados dos anos 90 foi substituído pelo PCI.

– Tipos de discos rígidos
Antes de reinarem os discos IDE para desktop, a partir de 1990, e os discos SCSI para servidores, existiram três outros padrões usados nos HDs anos 80: MFM, RLL e ESDI. Chegaram a apresentar questões sobre detalhes comparativos entre essas três interfaces para HD.

– Memórias antigas
Capricham nas questões sobre memórias antigas como FPM e EDO, usadas nos micros entre 1990 e 1996 (até 486).

– Processadores antigos
Questões baseadas em detalhes técnicos sobre processadores 286 e 386 que são generalizadas para processadores modernos, como por exemplo, citando a “cache externa” como se fosse sempre localizada na placa mãe, até nos micros modernos.

– MP3 x WAV
Uma certa prova recente indicava o MP3 como “o padrão” para armazenamento de sons de alta qualidade, quando na verdade os profissionais de áudio trabalham com o som original, sem compressão, portanto a resposta WAV também estaria correta.

Há algumas semanas fui procurado por dois candidatos que haviam prestado concurso para a polícia civil do Rio de Janeiro, pedindo que eu apontasse alguns erros no gabarito oficial. O problema deles era que várias questões estavam totalmente fora do que pudesse ser considerado como “noções de informática”. Na minha condição de leigo no que diz respeito às atividades de um agente de polícia, cujo concurso pede “noções de informática”, sou levado a pensar que o candidato precisa saber usar um computador para ajudar na solução de crimes, para analisar estatísticas, produzir documentos de texto, e como todo usuário, usar a Internet, ter uma noção básica geral no funcionamento sobre o funcionamento do micro. É claro que seria preciso aprender a utilizar aplicativos para uso policial, como aqueles que fazem o retrato falado de suspeitos, mas isso deve ser obviamente aprendido pelos candidatos aprovados.

A prova à qual me refiro tinha no seu edital, o programa de informática:

Noções de informática, software e hardware, sistema operacional Windows 2000, Offfice 2000…

Sendo assim, contesto respeitosamente as respostas das seguintes questões:

Questão 61:
Em relação aos periféricos que podem ser instalados em microcomputadores, assinale a afirmativa INCORRETA:

a) Os cartuchos de alguns modelos de impressoras de jato de tinta podem ter a cabeça de impressão acoplada ao cartucho (CORRETO)

b) O spooler é uma memória interna da impressora utilizada para armazenar temporariamente os dados enviados do microcomputador (*)

c) As portas paralelas dos microcomputadores podem permitir a instalação de unidades de CD-ROM externa.

d) As informações de ECC armazenadas em um disquete são utilizadas para detectar erros de leitura. (CORRETO)

e) Se dois ou mais periféricos estiverem utilizando o mesmo IRQ, poderá haver uma situação de conflito de interrupções (CORRETO) (*)

O gabarito especifica a opção “B”. É porque o spooler não fica na impressora, e sim no computador. Seria importante para um policial que precisa ter noções de informática, saber a diferença entre “spooler de impressão” e “buffer de impressão”?

Ainda assim a questão tem outras imprecisões. A opção D foi considerada uma afirmativa correta. Há cerca de 9 anos atrás, antes da popularização das interfaces e periféricos USB, existiam no mercado alguns gravadores de CD que eram ligados na porta paralela. Tais dispositivos eram entretanto bastante raros, mesmo naquela época, afinal os micros tinham interfaces IDE e local disponível para a instalação de unidades de CD-ROM ou gravadores internos. Então a noção de informática que o candidato deve demonstrar aqui é conhecer um periférico raro que era usado há 9 anos atrás.

Finalmente, a alternativa E está correta, mas por pouco não confunde. O conflito de IRQ acontecia no caso de micros antigos que não eram compatíveis com o padrão Plug and Play, coisa que ocorria há mais de 10 anos atrás. Nos computadores dos últimos 10 anos, a regra é não ocorrerem os conflitos de IRQ, já que o barramento PCI permite o compartilhamento de interrupções. O conflito seria então uma exceção, e não uma regra. Um detalhe de relevância bem reduzida para um agente policial que precisa ter noções de informática.

Questão 63:
Sobre a arquitetura dos microcomputadores padrão PC, são feitas as afirmativas abaixo:

I – O barramento local liga o processador à memória RAM, enquanto que os barramentos de I/O como o ISA, permitem a ligação de dispositivos periféricos ao computador. (*)

II – A memória cache de um processador permite que ele simule a memória RAM em um arquivo do disco rígido. (ERRADA)

III – O canal IDE permite que dispositivos acessem diretamente a memória RAM e a memória ROM do microcomputador, sem a necessidade de usar o processador para esta tarefa. (*)

Então estão corretas:

(A) I, apenas
(B) I e II apenas
(C) I, II e III
(D) II, apenas
(D) III, apenas

A resposta do gabarito é A, portanto apenas a afirmativa (I) estaria correta. Também nesse caso, respeitosamente discordo. Nos microcomputadores padrão PC dos últimos 11 anos, o processador não fica ligado diretamente na memória, e sim, indiretamente, através da ponte norte do chipset. O termo “barramento local” caiu em desuso desde então, passou a ser chamado de barramento de sistema ou FSB. Portanto a menos que estejamos falando de computadores 486, é errado afirmar que a memória é ligada no barramento local do processador. A segunda parte da afirmação I também é errada, pois entre 1993 e 1995, computadores baseados no processador 486 usavam o VESA LOCAL BUS, que era um barramento local para ligação de placas de vídeo e controladoras de disco. Portanto esses dispositivos estavam efetivamente ligados no barramento local, e não em barramentos de E/S. A citação de termos em desuso como “barramento local” e do barramento ISA, que caiu em desuso há 6 anos atrás, mostra que a preparação das questões foi baseada talvez em uma literatura muito antiga, ou por alguém que não está diretamente envolvido com hardware. Não vejo como este tipo de noção de informática poderia ajudar nas funções de um policial, mas não cabe a mim discutir os objetivos da banca examinadora ao pedir este tipo de questão. Seja como for, a afirmativa (I) é falsa, tanto nos micros modernos que não têm mais a memória ligada no barramento local, quanto para os micros antigos (1992-1995) que usavam o VESA LOCAL BUS.

Quanto à afirmativa III, está correta. Os canais IDE são capazes de operar em modo BUS MASTERING, o equivalente ao “modo DMA” nas arquiteturas antigas. As interfaces podem acessar diretamente a memória, sem o envolvimento direto do processador. Nas operações de leitura e gravação, o processador tem apenas que enviar a ordem para a interface IDE correspondente e aguardar a finalização, que é sinalizada por uma interrupção. Durante este tempo de espera, o processador pode executar outros processos. As interfaces IDE podem fazer transferências de DMA sobre qualquer endereço de memória, seja ele ocupado por RAM, seja ocupado por ROM. Obviamente no caso da RAM, as operações são de leitura ou escrita. No caso da ROM, apenas operações de gravação no disco são suportadas. Ocorre ainda que não é usual o sistema operacional comandar a cópia de áreas de ROM para o disco, mas a questão é que as interfaces IDE permitem este tipo de operação. Não vejo como este tipo de conceito poderia beneficiar o trabalho de um agente policial.

Levando em conta que apenas a afirmativa III está correta, a resposta à questão seria a letra (E).

Questão 65:
Um usuário do Windows Explorer observou que, em um determinado diretório, existia um arquivo com a extensão BAT. Esta extensão indica que o arquivo:

(A) armazena informações sobre os arquivos eu foram enviados para a lixeira e ainda assim podem ser recuperados

(B) armazena informações temporárias sobre arquivos que sofreram backup a partir do Windows Explorer

(C) é um arquivo de configuração do sistema operacional e seu conteúdo está criptografado

(D) é um arquivo que permite a execução de scripts contendo comandos do sistema operacional

(E) é um link lógico no desktop e aponta para um arquivo armazenado em um diretório do disco rígido

É claro que a resposta correta é a letra D, conforme o gabarito. O problema aqui é que o arquivo BAT tem comandos do sistema operacional DOS, e não do Windows. O Windows suporta uma boa parte dos comandos do DOS. O edital do concurso pede conhecimentos do sistema operacional Windows, e não DOS, nem do suporte a DOS existente no Windows. O edital pede conhecimentos do Windows, mas não pede que sejam conhecidos todos os recursos do Windows, pois sendo assim tais conhecimentos não seriam considerados como “noções de informática”. É claro que com o uso contínuo do computador, o usuário acabará aprendendo o que é um arquivo BAT, mas o edital deveria ser mais específico que indicar quais partes do Windows devem ser aprendidas.

Questão 66:
Marque a opção que apresenta um arranjo de vários discos rígidos, formado para aumentar a taxa de transferência e a confiabilidade dos dados armazenados nos discos rígidos.

(A) AGP
(B) CISC
(C) UART
(D) SMART
(E) RAID

A resposta do gabarito está correta, é RAID, mas isso não pode ser considerado como “noções de informática” como diz o edital. O RAID é usado principalmente em servidores e micros de alto desempenho. Entre os desktops, são poucos os que usam RAID. Ter RAID em um micro não é portanto regra, e sim, exceção. Mesmo que o candidato fosse resolver a questão por eliminação, teria que saber ainda que CISC é “Complex Instruction Set Computer”, ou que SMART é “Systema Management and Reporting Technology”. Um técnico especialista em hardware precisa saber o que é AGP, UART, SMART e RAID para desempenhar suas funções. Saber o que é CISC é importante para um estudo teórico. Não podemos incluir RAID, SMART e CISC entre os conhecimentos de alguém que tem “noções de informática”.

Ainda assim a questão é digna de anulação pois tem uma grande precisão. Afirma que o RAID é usado para aumentar a taxa de transferência e a confiabilidade. Na verdade o RAID pode ser configurado para aumentar apenas a taxa de transferência (ex; RAID modo 0), ou apenas a confiabilidade (RAID modo 1), ou ambas as coisas (RAID 0+1), mas não necessariamente as duas coisas ao mesmo tempo. A questão deveria ser formulada como “aumentar a taxa de transferência e/ou a confiabilidade”.

Conclusão:

Como professor há 27 anos, constato infelizmente que as questões de informática citadas não separam de forma eficiente aqueles que têm e aqueles que não têm noções de informática. Deveriam ser evitadas questões que necessitem de conhecimentos profundos considerados irrelevantes para o desempenho da função. Dentro de 10 questões para avaliar os conhecimentos, grande parte delas não cumpre com esta avaliação e acaba beneficiando os candidatos que têm mais sorte ao “chutar”. Devemos ainda levar em conta que o concurso público tem outras questões de outras matérias mais importantes para o desempenho da função. Questões como as quatro citadas acima não selecionam adequadamente, e podem ajudar a eliminar candidatos bons nas outras áreas de conhecimento mais importantes para a carreira.

OBS: Fiquei feliz em saber que uma das questões de informática da prova para a polícia civil do Rio de Janeiro foi anulada, espero que tenha sido uma das que contestei a pedido dos candidatos, não exclusivamente pela minha contestação, mas pelo fato de estarem realmente erradas e terem sido contestados por inúmeros professores dos cursos preparatórios.

OBS: Você pode fazer comentários a respeito desse artigo. Basta ir à área de colunas de Laércio Vasconcelos no Forum PCs – www.forumpcs.com.br . Ou você pode ir direto ao link da coluna, em:

http://www.forumpcs.com.br/coluna.php?b=153894