Home » Artigos arquivados » 2004 – Sete coisas erradas no seu micro

2004 – Sete coisas erradas no seu micro

Autor: Laércio Vasconcelos
Set/2004

Montagens mal feitas são conseqüência da falta de preparo técnico de muitos produtores de micros. Reduzir os preços é uma boa idéia, mas para isso muitas vezes os produtores usam mão de obra com pouca qualificação. Veja aqui alguns erros comuns.

Se você tem um computador que não apresenta problemas, é um felizardo. Problemas diversos podem ser causados por software, por peças defeituosas, por uso indevido, rede elétrica instável, peças incompatíveis, aquecimento, configuração ou montagem erradas, etc. Vamos apresentar alguns erros comuns para que você mesmo possa resolver, ou pedir ajuda a um técnico ou colega experiente, ou mesmo exigir que tudo seja feito corretamente quando for comprar seu próximo micro.

Bonito por fora, errado por dentro

Montar um computador é fácil, e mesmo que algo seja feito errado, ele normalmente funciona, pelo menos até certo ponto. Por isso muitas pessoas montam micros sem a devia qualificação. Cheque os pontos a seguir para evitar problemas:

1) Gabinete midi torre – Os processadores modernos esquentam muito. É muito importante usar um gabinete de tamanho apropriado. Os gabinetes indicados são os chamados “midi torre” ou “gabinetes de 4 baias”, e possuem cerca de 45 cm de altura. Gabinetes menores (mini-torre) muitas vezes resultam em superaquecimento do computador.

2) Fonte de alimentação – A fonte de alimentação usada atualmente segue o padrão ATX12V, mas é conhecida popularmente como “fonte de Pentium 4”. É vendida juntamente com o gabinete. Para um computador moderno é recomendável que a fonte tenha pelo menos 400 watts. Fontes com 300 watts funcionam quando o micro tem uma configuração simples, mas poderão ser insuficientes quando queremos instalar muitos dispositivos de alta velocidade. Por exemplo, um processador modernos exige de 50 a 100 watts, uma placa de vídeo, de 20 a 50 watts, um gravador de CDs, cerca de 40 watts. Fica claro que uma fonte de 300 watts pode precisar ser substituída quando queremos fazer muitas instalações.

3) Ventilador adicional – Dentro da fonte de alimentação existe um pequeno ventilador (exaustor) que expulsa o ar quente para fora do computador. Este ventilador não é suficiente para os micros atuais, e é preciso usar um ventilador adicional. Pode ser um ventilador instalado na parte traseira do gabinete, expulsando o ar quente para fora, ou um ventilador frontal, puxando o ar frio para dentro.

4) Refrigeração do disco rígido – O calor do disco rígido é dissipado pela sua carcaça metálica. A sua placa de circuito, que fica do lado oposto, é bem menos quente. Não devemos deixar a carcaça metálica obstruída, por exemplo, pelo drive de disquetes. Devemos deixar um espaço para que o calor saia da carcaça com facilidade. Muitas lojas vendem um ventilador para o disco rígido, que é aparafusado de forma a ventilar a sua placa. Este ventilador não resfria o disco, pois a parte quente é a carcaça metálica.

5) Refrigeração do gravador de CDs – O gravador de CDs dissipa calor durante a gravação, pelas partes superior e inferior. Se o gabinete tiver espaço, devemos deixar uma baia livre acima e outra abaixo do gravador.

6) Refrigeração da placa de vídeo – A placa de vídeo não deve ser obstruída por outras placas. Devemos deixar pelo menos um slot livre ao lado desta placa.

7) Cabos organizados – Não deixe os cabos flat desorganizados no interior do computador, pois prejudicam a circulação de ar e a refrigeração. Os cabos devem ser recolhidos para que não fiquem no caminho do ar.

col_011

Interior do computador e alguns pontos importantes

1- Fonte de alimentação, no mínimo 400 watts
2 – Local para instalação de cooler frontal
3 – Local para instalação de cooler traseiro
4 – Disco rígido com carcaça metálica livre
5 – Gravador de CDs está errado, é preciso deixar espaços livres acima e abaixo
6 – Os cabos devem ficar organizados