Home » Artigos arquivados » 2003 – Conexão direta via cabo

2003 – Conexão direta via cabo

Autor: Laércio Vasconcelos, abril/2003
A conexão direta via cabo que acompanha o Windows é um recurso que permite criar uma rede doméstica com dois computadores, sem usar placas de rede, através das portas seriais ou paralelas.

A conexão direta via cabo que acompanha o Windows é um recurso que permite criar uma rede doméstica com dois computadores, sem usar placas de rede, através das portas seriais ou paralelas. Basta conectar os dois computadores por um cabo apropriado, encontrado com facilidade no mercado brasileiro. Pode ser usado no Windows 95, 98, ME, 2000 e XP. Usamos então o programa Conexão direta via cabo (DCC, ou Direct Cable Connection). Através de cabos apropriados, este recurso utiliza as interfaces seri­ais ou paralelas dos dois PCs para im­plementar uma pequena rede.

Como a velocidade obtida com essas interfaces é muito baixa em comparação com genuínas interfaces de rede, não é recomendável o uso deste recurso de forma intensiva, como método de implementação de uma rede de baixo custo. Não devemos, por exemplo, usar este recurso para, a partir de um PC, editar um arquivo localizado no outro PC. O acesso e a transferência de dados para este arquivo serão muito lentos. É viável utilizá-lo, por exemplo, como um método para transferir arquivos entre os dois PCs, desde que o volume de dados não seja muito grande. Para transferir grandes volumes de dados com muita freqüência, a melhor coisa a fazer é implantar uma pequena rede, através de um cabo Ethernet e placas de rede. O custo da implantação desta pequena rede é muito baixo, basta usar duas placas de rede e um cabo UTP/RJ-45 crossed.

Quando a quantidade de dados a serem transferidos não é muito grande, e quando essas transferências não são freqüentes é interessante usar a co­nexão direta via cabo.

No Windows 9x/ME, a Conexão Direta Via Cabo é um programa que pode ser encontrado no menu Programas/Acessórios/Comunicações. Caso este programa não esteja pre­sente, será preciso realizar a sua instalação. Usamos o comando Adicio­nar/Remover Pro­gramas no Painel de Controle. Selecionamos a guia Instalação do Windows, e a seguir, Comunicações, onde o programa pode ser encontrado.

No Windows 2000/XP, a Conexão direta via cabo é ativada por um método um pouco diferente, através do assistente de configuração de rede, como veremos mais adiante. Apesar desta conexão ter métodos de instalação no Windows XP diferentes dos que vigoram no Windows 9x/ME, sua utilização é bastante similar, e ambas são compatíveis. Podemos ter por exemplo um cliente usando o Windows XP e um servidor usando o Windows ME, e vice-versa.

Neste tipo de conexão, um computador opera como cliente (convidado), acessando os recursos do outro, que opera como servidor (host). O convidado pode acessar arquivos, impressoras e a conexão com a Internet disponíveis no host.

A conexão direta via cabo permite que o cliente tenha acesso a arquivos e impressoras compartilhadas no servidor. Não permite entretanto compartilhar uma conexão com a Internet. Para compartilhar uma conexão com a Internet entre dois computadores conectados por DCC, é preciso usar softwares adicionais, como o Winroute, encontrado em www.lpt.com.

A conexão direta via cabo deve ser utilizada em âmbito doméstico ou pessoal. Não é recomendável usá-la em um computador de uma rede maior. Ao ligarmos, por exemplo, um PC portátil em um outro PC que já faça parte de uma rede, estamos na verdade adicionando um novo computador à rede já existente, operação que deve ser feita somente com autorização e suporte do administrador da rede.

Tome cuidado com o tipo de cabo a ser usado na Conexão direta via cabo. Procure nas lojas pelo Cabo laplink paralelo, ou Cabo laplink serial. Use preferencialmente o cabo paralelo, pois a taxa de transferência obtida será bem maior que a das interfaces seriais.

DCC no Windows 9x/ME

A conexão direta via cabo foi introduzida no Windows 95. Versões mais novas do Windows também têm oferecido este programa, e sua utilização é bastante parecida. Apenas no Windows XP encontramos algumas diferenças na sua configuração. Veremos então inicialmente como utilizar o DCC no Windows 95, 98 e ME.

Requisitos para usar a Conexão direta via cabo

Na Conexão Direta Via Cabo, um PC será o Servidor, e o outro será o Cli­ente. O Cliente terá acesso a pastas e impressoras compartilhadas do Ser­vidor. O Servidor po­derá continuar sendo usado normalmente, mesmo du­rante uma conexão. É preciso que estejam instalados os seguin­tes componentes de rede:

Adaptador Dial-Up

Um protocolo de comunicação

Cliente para redes Microsoft

Esses três componentes são necessários para que um PC opere como cliente nesta conexão. O PC que irá operar como servidor precisa também do “Compartilhamento de arquivos e impressoras em redes Microsoft”.

OBS.: Os protocolos de uso mais comum, como o TCP/IP, o IPX/SPX e até mesmo o já obsoleto NetBEIU podem ser usados. Entretanto na ligação entre um PC com Windows 9x/ME e um com o Windows 2000/XP, recomendamos que seja usado o protocolo IPX/SPX e que seja ativado o “suporte NETBIOS no protocolo IPX/SPX”.

R001

Figura 1
Configuração de rede necessária para usar um cliente (ou convidado) DCC no Windows 9x/ME.

 

 

 

Note que o componente “Adaptador Dial-Up” neste caso não se refere ao modem, e sim à interface paralela. Trata-se de uma espécie de interface virtual que pode ligar um protocolo de comunicação com um dispositivo físico, como um modem ou porta paralela.

Se você for configurar manualmente esses componentes, não esqueça de usar no quadro de propriedades de rede, a guia Identificação, e indicar um nome para o computador e um nome para o grupo de trabalho.

Quando esses componentes não estão presentes, o próprio programa Conexão direta via cabo faz a sua instalação. Se esta instalação for feita pelo programa, será preciso reiniciar o Windows e repetir o uso do programa. A instalação desses componentes pode ser feita de forma manual, através do quadro de configurações de Rede.

Configurando o servidor DCC no Windows 9x/ME

A primeira coisa a fazer é instalar, através do Painel de Controle, o programa Conexão direta via cabo (DCC). Este programa não é instalado de forma automática quando fazemos a instalação do Windows. A instalação deve ser feita no servidor e no cliente. Devemos usar:

Painel de controle / Adicionar e remover programas / Instalação do Windows / Comunicações / Conexão direta via cabo

R002

Figura 2
Instalando a conexão direta via cabo no Windows 9x/ME.

 

 

 

A seguir usamos o quadro de configuração de rede do Painel de Controle para instalar os seguintes componentes de rede:

Adaptador Dial-Up

Um protocolo qualquer operando sobre o adaptador Dial-Up

Cliente para redes Microsoft

Compartilhamento de arquivos e impressoras em redes Microsoft.

R003

Figura 3
Configuração de rede necessária para usar um servidor (ou host) DCC no Windows 9x/ME.

 

 

 

Se você instalar esses componentes manualmente, não esqueça de definir um nome para o computador e para o grupo de trabalho, na guia de identificação do quadro da figura 3. O cliente e o servidor precisam necessariamente usar o mesmo grupo de trabalho.

No host é preciso ainda criar compartilhamentos de pastas, drives e impressoras para que possam ser acessados pelo cliente durante a conexão. Esses compartilhamentos são criados pelos processos usuais e podem ser configurados antes mesmo da instalação do DCC.

Uma vez que a rede esteja configurada podemos usar o programa e configurá-lo como Servidor. Será mostrado o quadro da figura 4.

R004

Figura 4
Quadro de abertura do programa Conexão direta via cabo.

 

 

 

Temos que indicar neste quadro que o computador irá operar com Host (Servidor). A seguir usamos o botão Avançar, e chegaremos a um quadro onde temos que indicar qual é a interface a ser utilizada. É apresentada uma lista com todas as interfaces seriais e paralelas disponíveis. Devemos escolher o mesmo tipo de interface em ambos os PCs que serão conectados. Se o servidor usar a interface paralela (LPT1), obrigatoriamente o cliente deverá ser também configurado para usar a interface paralela.

R005

Figura 5
Indicando a porta a ser usada na conexão.

 

 

 

Depois de indicar a porta a ser usada, é apresentado um quadro onde podemos definir uma senha para a conexão. O uso de senha é opcional, e normalmente é desnecessário. Normalmente este tipo de conexão é usado por um só usuário com dois computadores, quase sempre para realizar transferências de arquivos. Se os dois computadores forem usados por usuários diferentes, pode ser interessante criar uma senha para a conexão. Basta marcar no quadro da figura 6 a opção “Utilizar proteção por senha” e clicar em Definir senha.

R006

Figura 6
Podemos ativar a proteção por senha.

 

 

 

Clicamos então em Concluir. Será apresentado o quadro da figura 7, e o Host ficará aguardando que o cliente faça a conexão. Se quisermos desistir de estabelecer uma comunicação com o convidado agora, basta clicar em Fechar.

R007

Figura 7
O host está aguardando a conexão do convidado.

 

 

Se neste momento o convidado já estiver configurado e estabelecer a conexão, o quadro apresentado pelo host assumirá o aspecto mostrado na figura 8. Para interromper a conexão clicamos em Fechar.

R008

Figura 8
O convidade fez a conexão com o host.

 

 

Ao usarmos este programa novamente no host, é apresentado o quadro da figura 9. Para dar início à operação, basta usar o botão Escutar. Se quisermos alterar a configuração do programa, como por exemplo, transformar o Servidor em Cliente, ou especificar o uso de outra porta, ou alterar a senha, basta usar o botão Alterar.

R009

Figura 9
Programa já configurado.

 

 

 

Configurando o cliente DCC no Windows 9x/ME

Antes de usar um PC como cliente nesta conexão, temos que instalar os seguintes com­ponentes de rede, através do quadro de configurações de rede no Painel de Controle:

Adaptador Dial-Up

Protocolo igual ao do servidor, operando sobre o adaptador Dial-Up

Cliente para redes Microsoft

OBS.: Se esses componentes não estiverem instalados, o próprio programa irá pedir a sua instalação. É preciso fazer as instalações necessárias, reiniciar o computador e repetir o programa DCC.

Podemos agora configurar o programa. Ao ser usado pela primeira vez, é apresen­tado um quadro como o da figura 10, no qual selecionamos a opção Convidado. Clicamos em Avançar.

R010

Figura 10
Indicando que este computador irá operar como Convidade (cliente).

 

 

 

Será apresentada uma lista das portas que podem ser usadas para a conexão. É permitido usar portas seriais e paralelas. Devemos obviamente usar o mesmo tipo de porta no Host e no Convidado, e ambos devem estar ligados pelo cabo apropriado, preferencialmente o paralelo.

R011

Figura 11
Indicando a porta a ser usada na conexão.

 

 

 

Terminada esta rápida configuração, o programa estará pronto para ser usado. Um quadro indicará que a configuração foi feita com êxito (figura 12). Podemos agora clicar em Concluir.

R012

Figura 12
Configuração feita com êxito.

 

 

 

O programa entrará agora em operação e estabelecerá contato com o Host (figura 13). Se não quisermos utilizar a conexão agora, basta clicar em Fechar.

R013

Figura 13
Estabelecendo contato com o Host.

 

 

Caso tenha sido definida uma senha para acesso ao Host durante a sua configuração, será apresentado um quadro como o da figura 14. Temos que preencher o nome do usuário (esta informação não é importante, a conexão depende apenas da senha e do grupo de trabalho), a senha que foi configurada no Host e o seu grupo de trabalho. Lembre-se que o nome do grupo de trabalho é configurado com a guia de identificação do quadro de propriedades de rede. Ambos os computadores devem usar o mesmo nome para o grupo de trabalho. No nosso exemplo, usamos MSHOME.

R014

Figura 14
Indicando a senha e o grupo de trabalho.

 

 

 

Dependendo do protocolo de comunicação utilizado, o programa poderá pedir que seja informado o nome do computador (Host), como vemos na figura 15. Isto ocorre por exemplo quando são usados os protocolos TCP/IP ou IPX/SPX. Se for usado o protocolo NetBEUI, este quadro não é apresentado. O Host é automaticamente identificado.

R015

Figura 15
Informando o nome do computador Host.

 

 

 

Uma vez informando o nome do host, será automaticamente apresentada uma janela com os recursos compartilhados. No nosso exemplo (figura 16), o Host tem duas pastas e uma impressoras compartilhadas.

R016

Figura 16
Recursos disponíveis no Host.

 

 

 

Uso do DCC no Windows XP

Tanto a conexão direta via cabo existente no Windows 2000 como a do Windows XP são compatíveis com as do Windows 9x/ME. Da mesma forma, tanto o Host quanto o convidado podem usar qualquer um dos sistemas citados aqui: Windows 95, 98, ME, 2000 e XP. Apenas a configuração no caso do Windows 2000 e do Windows XP é um pouco diferente dos casos já mostrados. Mostraremos aqui como fazer a configuração do Host e do Convidado no Windows XP. No Windows 2000, as configurações são semelhantes.

Configurando um Host DCC no Windows XP

O DCC no Windows XP não é um programa específico, como ocorre no Windows 9x/ME. No Windows XP seu uso consiste em criar uma conexão especial. Partindo da pasta Meus Locais de rede, clique em Exibir conexões de rede e a seguir em Criar uma nova conexão. Entrará em ação o Assistente para novas conexões (figura 17).

R017

Figura 17
Assistente para novas conexões.

 

 

 

No próximo quadro (figura 18), o Assistente perguntará o tipo de conexão a ser criada. Selecione a opção “Configurar uma conexão avançada”. Este tipo de conexão permite a utilização de cabos paralelos, seriais e ainda por dispositivos de transmissão e recepção por raios infravermelhos.

R018

Figura 18
Marque “Conexão avançada”.

 

 

 

No próximo quadro (figura 19), marque a opção “Conectar-me diretamente a outro computador”.

R019

Figura 19
Marque “Conectar-se diretamente a outro computador”.

 

 

 

A partir do próximo quadro (figura 20), existirão configurações diferentes para o servidor (Host) e para o cliente (Convidado). Marquemos a opção Host e cliquemos em Avançar.

R020

Figura 20
Para configurar o Host.

 

 

 

No próximo quadro escolheremos o tipo de interface a ser usada. Em uma lista encontraremos as opções Paralelo direto, Serial e infravermelho (este último, se estiver disponível no computador). No nosso exemplo usaremos o cabo paralelo direto, o mesmo usado nas conexões direta via cabo do Windows 9x/ME.

R021

Figura 21
Escolhendo o tipo de interface a ser usada.

 

 

 

No próximo quadro temos que cadastrar usuários e computadores que terão acesso a este Host pela conexão direta por cabo paralelo. A programação será um pouco diferente, dependendo do sistema operacional a ser usado pelo convidado.

R022

Figura 22
Cadastramento de usuários.

 

 

 

a) Para convidados que usam o Windows 2000/XP: Clique em Adicionar e cadastre um nome de usuário. A senha é opcional.

b) Para convidados que usam o Windows 9x/ME: Clique em Adicionar e cadastre o nome do computador convidado. O nome do computador é encontrado no sistema convidado, na guia Identificação do quadro de propriedades de rede. Não use senhas, caso contrário o logon não ocorrerá com sucesso na conexão com um convidado que use o Windows 9x/ME.

Em ambos os casos, clicamos em Adicionar no quadro da figura 22, e será apresentado o quadro da figura 23. Para convidados que usem o Windows 9x/ME, preencha simplesmente no campo “Nome do usuário”, o nome do computador que será conectado. No nosso exemplo usamos NOTEBOOK, mas note que qualquer nome pode ser usado. Isto não significa que apenas notebooks possam usar este tipo de comunicação. Para convidados que usem o Windows 2000/XP, preencha um nome de usuário. É permitido utilizar senhas. Lembramos que em geral não é necessário usar senhas na conexão direta via cabo, já que os computadores envolvidos estarão normalmente na mesma sala, e quase sempre utilizados pela mesma pessoa, portanto os cuidados com segurança podem ser dispensados.

R023

Figura 23
Cadastramento de computador/usuário.

 

 

 

O Assistente então conclui seu trabalho. A conexão foi criada com sucesso. Podemos encontrar a nova conexão na janela Conexões de rede.

R024

Figura 24
O Assistente finaliza seu trabalho.

 

 

 

Na figura 25 vemos a janela Conexões de rede, na qual estão indicadas as conexões Dial-Up (no nosso exemplo, BOL), as conexões de rede local de alta velocidade (Ethernet) e na área Recebidos, a nossa conexão direta por cabo paralelo. Podemos fazer alterações na sua configuração, bastando clicar no ícone com o botão direito do mouse e escolher no menu a opção Propriedades. Note que no momento o ícone da conexão tem a indicação “Não há clientes conectados”.

R025

Figura 25
Para alterar as configurações da conexão.

 

 

 

O quadro de propriedades apresentado tem as guias Rede, Geral e Usuários. Na guia Usuários (figura 26) fazemos uma configuração que é absolutamente necessária quando usamos convidados que usem o Windows 9x/ME: marcamos a opção “Nunca exigir senha de dispositivos conectados diretamente, como PCs de mão”. Na verdade quando usamos este recurso, nenhum computador convidado que utilizar esta conexão terá que informar senha. Se não tomarmos esta providência, será apresentado no convidado a mensagem de erro “Cabo paralelo desconectado”, mesmo depois do fornecimento da senha. Lembramos que para convidados com Windows XP/2000 podem perfeitamente utilizar senhas na conexão.

R026

Figura 26
Clientes com Windows 9x/ME não podem usar senhas, caso contrário a conexão não ocorrerá com sucesso.

 

 

 

Quando uma conexão for estabelecida com um cliente, aparecerá na janela Conexões de rede, um segundo ícone, ao lado da conexão que criamos. As indicações desses dois ícones dependerá de como foi feito o logon:

a) Logon sem senha: Teremos as indicações “Conexões de entrada – 1 cliente conectado” e “Acesso não autenticado – conectado paralelo direto”.

b) Logon com senha: Teremos as indicações “NOME – Conectado paralelo direto” e “Conexão de entrada – 1 cliente conectado” (NOME é o nome do usuário cadastrado quando criamos a conexão).

R027

Figura 27
Pasta Conexões de rede, depois que o convidado estabeleceu uma conexão.

 

 

 

Neste momento será possível acessar as pastas e impressoras compartilhadas no Host, a partir do Convidado.

Configurando um Convidado DCC no Windows XP

Um computador com Windows XP é configurado como Convidado em uma conexão direta via cabo serial ou paralelo, através do comando Criar nova conexão, similar ao já apresentado para o Host. Nos quadros apresentados pelo Assistente para novas conexões, escolhemos:

Configurar uma conexão avançada

Conectar-se diretamente a outro computador

Convidado

Os quadros apresentados para as três conexões acima são os mesmos já apresentados para o Host. A partir da indicação do computador como Convidado, os quadros apresentados pelo Assistente serão diferentes.

R028

Figura 28
Indicando o nome do computador Host.

 

 

 

O Assistente pergunta o nome do computador Host (figura 28). Este nome será usado para designar a conexão, cujo ícone será criado na pasta Conexões de rede. Será perguntado qual é o meio físico a ser usado na conexão (cabo paralelo direto, cabo serial ou infravermelho). Usaremos no nosso exemplo o cabo paralelo direto. O Assistente terminará então seu trabalho. Para estabelecer a conexão, basta clicar no seu ícone, localizado na pasta “Conexões de rede” (figura 29). Observe que nesta pasta as conexões são agrupadas por tipo. A conexão por cabo paralelo no Convidado aparece com o tipo “Direto”, como vemos na figura. Observe a indicação “P4MSI Desconectado – Paralelo direto”.

R029

Figura 29
O ícone da conexão direta, na pasta Conexões de rede.

 

 

 

Para estabelecer uma conexão com o Host, basta aplicar um clique duplo no seu ícone, exatamente como fazemos para conectar o computador com a Internet. Será apresentado um quadro como o da figura 30, com campos para indicação de nome e senha. Devemos preencher esses dados e clicar em Conectar-se.

R030

Figura 30
Iniciando a conexão.

 

 

 

A conexão será estabelecida em poucos segundos. O ícone da conexão no Host mudará como já mostramos na figura 27. No convidado, o ícone da conexão passará a constar como “Conectado” (figura 31).

R031

Figura 31
Conexão estabelecida.

 

 

 

A partir deste ponto podemos encontrar o computador Host partindo de Meus Locais de rede. Se o computador Host não aparecer, digite na barra de endereço da janela Meus locais de rede, o nome do computador Host, precedido por “\\”. No nosso exemplo digitamos:

\\P4MSI

A janela mostrará então os recursos compartilhados no Host (figura 32). Podemos agora utilizar todos os comandos de rede para acesso a arquivos e impressoras.

R032

Figura 32
No convidado temos agora acesso aos recursos compartilhados no Host.

 

 

 

Conexão pelas portas seriais

Todas as conexões diretas mostradas até agora podem ser feitas tanto por cabos paralelos como por cabos seriais. Use a conexão serial apenas em último caso, pois sua taxa de transmissão é bem menor que a oferecida pelas conexões por porta paralela. Você observou que em todas as conexões criadas aqui, sempre existia um quadro para selecionamento da porta a ser usada. Em todos os casos escolhemos a porta paralela, mas podemos também usar portas seriais. Sob o Windows 9x/ME, a operação de conexão é idêntica. No Windows 2000/XP, a operação de conexão será parecida com a de uma ligação com a Internet, inclusive fazendo referências a “discagem” e “modems”, que na verdade não existem. Depois de estabelecida a conexão, o uso será idêntico ao da conexão paralela.

No Windows 9x/ME, a comunicação serial por DCC é muito lenta, feita à taxa fixa de 28.800 bits por segundo, mais lenta que uma ligação via Internet. Já no Windows 2000/XP, podemos regular a velocidade da conexão serial. No Host, abra a pasta Conexões de rede, clique no ícone da conexão com o botão direito do mouse e escolha no menu a opção Propriedades. Selecione a opção “Cabo de comunicação entre dois computadores” e clique em Propriedades.

R033

Figura 33
Propriedades da conexão.

 

 

 

Será apresentado um quadro como o da figura 34, no qual podemos escolher a taxa de transmissão a ser usada pela interface serial na conexão direta via cabo. Host e convidado devem usar a mesma taxa de transmissão. A taxa máxima disponível dependerá do chip existente na placa de CPU, no qual estão as interfaces seriais (Super I/O). Alguns chips suportam até 115.200 bps, outros chegam taxas maiores, como 230.400 bps, 460.800 bps e 921.600 bps.

R034

Figura 34
Indicando a taxa de transmissão a ser usada na comunicação serial.

 

 

 

Configurações semelhantes devem ser feitas no computador Convidado. Clicamos no ícone da conexão com o botão direito do mouse e escolhemos no menu a opção Propriedades. Na guia Geral (figura 35), selecione “Cabo de comunicação entre dois computadores” e clique em Configurar.

R035

Figura 35
Para programar a velocidade de comunicação serial do convidado.

 

 

 

Será apresentado um quadro no qual indicamos entre outras opções, a velocidade máxima a ser usada na comunicação. Para evitar problemas, é conveniente usar a mesma taxa no Host e no Convidado.

R036

Figura 36
Indicando a velocidade de comunicação do Convidado.

 

 

 

Cabos para conexão direta

Os cabos a serem usados nas conexões seriais e paralelas são encontrados com facilidade nas lojas de informática. São chamados normalmente de:

Cabo de Laplink Serial

Cabo de Laplink Paralelo

O Laplink é um antigo programa de comunicação que possibilitava a trans­missão de arquivos entre dois PCs, usando as interfaces seriais e parale­las. Seus cabos funcio­nam também na Conexão Direta Via Cabo do Windows. Muitas lojas de informática vendem esses cabos. Em caso de dificulda­des, você mesmo pode construir esses cabos, desde que tenha alguma experiência com soldagem. A figura 37 traz os es­quemas do cabo paralelo e do cabo serial para usar na Conexão Direta Via Cabo.

R037
Figura 37 – Pinagens dos cabos Laplink serial e paralelo.

Para construir um cabo serial, é preciso adquirir conectores fêmea, tipo DB-25 ou DB-9, conforme forem os conectores seriais dos PCs a serem liga­dos.

Para construir um cabo paralelo é preciso usar dois conectores tipo DB-25 macho e realizar as ligações mostradas na figura 37. Ao adquirir cabos prontos, certifique-se de que realmente tratam-se de cabos para Laplink. Existem, por exemplo, certos cabos paralelos que possuem ligações diferentes. Um deles, serve para ligar um PC a uma caixa comutadora de impressoras. Cabos como este possuem ligações corres­pondentes pino-a-pino, ou seja, o pino 1 de um conector é ligado ao pino 1 do outro conector, e assim por diante.

Solução de problemas

Quando algo ocorre de errado, a conexão direta via cabo apresenta uma mensagem de erro, como “Cabo não conectado”. Não significa necessariamente que o cabo não esteja conectado. Outras situações que impedem a conexão resultam na mesma mensagem. São as seguintes as causas mais comuns de erros:

1) Cabo inadequado

Verifique se você está mesmo usando um cabo Laplink compatível. Use um multímetro para checar as conexões entre os pinos, caso você tenha dúvida. Use o esquema da figura 37.

2) Protocolos errados

Na ligação entre computadores com Windows 9x/ME, a princípio qualquer protocolo pode ser usado. Experimente habilitar no Host e no Convidado, inicialmente o protocolo TCP/IP. Se continuar com problemas, instale em ambos o protocolo NetBEUI. Finalmente, experimente usar o protocolo IPX/SPX. No quadro de propriedades de rede, aplique um clique duplo sobre o protocolo IPX/SPX sobre o adaptador Dial-UP e marque a opção “Ativar suporte a NetBIOS”.

3) Senhas

Não use senhas para as conexões entre computadores com sistemas 9x (95, 98 e ME) e NT (2000 e XP).

4) Host não aparece em Meus locais de rede

É possível que o Host não apareça em Meus Locais de rede, e nem no grupo de trabalho ao qual pertence. Para resolver o problema, abra uma janela qualquer (Meu Computador, por exemplo), e digite na barra de endereço, o nome do computador, precedido por “\\”. Veja por exemplo a figura 32.