Home » Artigos arquivados » 2000 – Scanners, câmeras digitais, digitalização (Perguntas e Respostas)

2000 – Scanners, câmeras digitais, digitalização (Perguntas e Respostas)

1) Imagens escaneadas estão muito grandes
Comprei um scaner Mustek 600 III EP Plus, mas sempre que escaneio fotos para por na Internet, vejo que o tamanho é de 1Mb para cima. Amigos que me mandam fotos, tem apenas 70Kb a 100kb no máximo. Como fazer isso?
Resposta:
Um scanner é capaz de capturar imagens com resolução muito maior que o necessário para a simples exibição na tela. Para que as imagens tenham tamanho reduzido (abaixo de 100 kB, por exemplo), é preciso que sejam armazenadas no formato JPG e que a resolução não seja muito elevada. Uma imagem de 640×480 ocupa muito mais espaço que outra com 320×240, que por sua vez é muito maior que outra com 160×120. A regra geral é utilizar a menor resolução possível que ofereça visualização apropriada. Ao escanear as imagens, utilize resoluções entre 100 e 200 DPI. Depois de capturadas as figuras, utilize o programa gráfico que acompanha o scanner para reduzir o tamanho das imagens.
Outro ponto a ser levado em conta é o fator de qualidade / compressão JPG. Trata-se de um número de 1 a 100 (ou 1% a 100%) que define a relação entre a qualidade e o nível de compactação da imagem. Compressão alta significa qualidade baixa, e vice-versa. Podemos encontrar um meio termo entre qualidade e compressão. Experimente começar com 50% e verifique o tamanho do arquivo resultante e a qualidade da imagem. Se a imagem estiver muito boa para visualização na tela, experimente reduzir a qualidade (aumentar o fator de compressão), o que resultará na diminuição do tamanho. Usando este processo, tenho conseguido imagens de 640×480 ocupando entre 30 kB e 60 kB.

2) Problemas com scanner TCE
Tenho um scanner da TCÊ S440 e, recentemente, comprei uma placa de fax modem da marca NetCom de 56 K, V90. Porém, ao ser instalada ocorreu um erro de incompatibilidade entre o scanner e a placa de fax. O scanner só funcionava se a placa fosse retirada do seu slot. Ao consultar alguns técnicos na tentativa de resolver o problema, fui informado que alguns scanners da TCÊ estão dando incompatibilidade com algumas marcas de placas de fax modem, e que a única solução para esse caso seria a troca ou da placa de fax ou do scanner. Logo após ficar sabendo disso, desfiz da placa de fax da NetCom e estou à procura de outra. Qual placa de fax modem posso comprar e que não vai causar nenhum problema de incompatibilidade com meu scanner.
Resposta:
A informação sobre incompatibilidade entre certos modelos de scanner TCE e certos modelos de modems parece ser extra-oficial ou inventada, já que nada é dito a respeito no site da TCE (www.tce.com.br). Em relação ao seu scanner, o modelo S440 paralelo, existem vários ajustes para resolver problemas de compatibilidade com certas impressoras, mas nada é dito sobre modems. Acho difícil um scanner paralelo apresentar conflito de hardware com um modem, a menos que o modem e a porta paralela estejam usando a mesma IRQ. Se este for o caso, devemos usar o Gerenciador de Dispositivos para alterar a IRQ da porta paralela ou do modem, desfazendo o conflito. Pode ainda existir conflito entre os drivers do modem e do scanner. A solução seria tentar usar um driver mais atualizado para o modem ou para o scanner. O técnico que passou a informação sobre esta incompatibilidade também deve saber a sua origem, e indicar quais são os modelos compatíveis, ou pelo menos indicar um modelo que o seja. Se não conseguir esta informação, sugiro que a peça diretamente à TCE. De qualquer forma acho um tipo de incompatibilidade notável: o scanner só funciona quando a placa fax/modem é retirada.

3) Scanner incômodo
Adquiri um scanner TCE S440 e insralei-o em um Pentium 133 com HD 2 GB e 32 MB de RAM. Consigo escanear imagens normaLmente, porém, tenho tido um problema. Tenho que ligar o micro antes de energizar o scanner ou antes de conectá-lo à porta paralela do micro. caso contrário o micro não liga. já mudei a confuguração da porta paralela na BIOS para EPP. Já entrei em contato com assistência técnica autorizada TCE e com a empresa que me vendeu o micro, que não souberam solucionar o problema.
Resposta:
Este tipo de problema não deveria acontecer, mas de fato ocorre, é uma característica do seu scanner, tanto é que nem o fabricante conseguiu encontrar uma forma de resolvê-lo. Alguns scanners exigem que sejam ligados antes do micro, outros exigem ser ligados depois do micro, outros podem ser ligados antes ou depois. Você terá que conviver com esta característica do seu scanner, que afinal não é tão incômoda assim. Nunca conecte nem desconecte o scanner ao PC, a menos que ambos estejam desligados. Se você não tomar este cuidado pode queimar a porta paralela do seu PC, ou então queimar o próprio scanner.

4) Digitalização de vídeo
Gostaria de saber como faço para gravar o conteúdo de uma fita de vídeo (VCR) no PC. É preciso uma placa com captura de video? Existe alguma reportagem (matéria) sobre?
Resposta:
Recentemente nosso caderno publicou uma matéria sobre vídeo digital, você pode consultá-la para maior informações. É preciso realmente muita coisa, e uma placa digitalizadora de vídeo é apenas uma delas. É preciso um computador muito rápido, com muita memória RAM, um disco rígido muito rápido e de elevada capacidade. Com os PCs mais simples, a digitalização é feita com restrições, a imagem tem que ser sacrificada em qualidade para que seja compatibilizada com os recursos de hardware do computador. Digitalizações profissionais exigem computadores e placas caríssimos, muito acima da faixa dos PCs. Com um PC de médio porte e uma placa digitalizadora de baixo custo, você conseguirá apenas gerar arquivos AVI em janelas de pequeno tamanho. Terá também dificuldades quanto à duração do vídeo. A menos que você use uma placa capturadora e compressora MPEG por hardware (www.b-way.com) os 650 MB de um CD-ROM dificilmente serão suficientes para armazenar 15 minutos de vídeo com boa qualidade. É claro, será também preciso ter um gravador de CD-R para armazenar os vídeos que você criar. Um programa de edição de vídeo, como o Adobe Premiere também será necessário. Normalmente as placas digitalizadoras de vídeo são acompanhadas deste tipo de programa. Sugiro ainda que você dê uma olhada em:
http://www.tomshardware.com, onde existem alguns tutoriais sobre digitalização de vídeo.

5) PC para digitalização de vídeo
Trabalho com filmagens de casamentos, aniversários e o outros eventos, e gostaria de adquirir um computador para fazer edição de vídeo. As minhas dúvidas são as seguintes: gostaria de usar a placa de vídeo DV 500, Pinnacle Systems. Ela foi testada por vocês? Qual o seu valor? Outra questão é o equipamento em si. Um Pentium III 700 Mhz, HD de 20 GB e memória RAM 256 MB seria o suficiente? Se não, qual seria a configuração ideal? Poderia haver alguma vantagem em se colocar 2 HDs de 10 GB ao invés de um único de 20 GB? Esclareço que vou não equipá-lo com fax-modem mas pretendo colocar gravador de CD, e ainda, um scanner e uma impressora. As imagens editadas poderia ser gravadas em um CD e assistidas em um computador, no formato de tela cheia, com qualidade? Em um CD, caberiam quantos minutos de vídeo?
Resposta:
Bem que eu gostaria de testar esta placa, mas infelizmente não a recebemos para avaliação. São poucos os revendedores / distribuidores de produtos de informática que enviam produtos para avaliação. Empresas de software, como Microsoft, Symantec e Conectiva, sempre enviam produtos para avaliação. Já os produtores de hardware, com raras exceções, não gostam muito de enviar produtos para avaliação. Eu mesmo, para escrever meus artigos sobre hardware, tenho que comprar quase tudo.
O computador que você especificou é adequado para edição de vídeo. Apenas não recomendo usar dois HDs de 10 GB ao invés de um de 20. É vantagem entretanto, dividir o HD de 20 GB em dois drives lógicos de 10 GB. Deixe o segundo (D) só para captura e edição de vídeo, pois os arquivos são muito grandes. O CD-RW é realmente um equipamento necessário, você pode encontrar vários modelo à venda em www.gravador.com.br, a empresa fica localizada em Belo Horizonte mas eles enviam produtos para todo o Brasil. Aliás, sendo justo, esta é uma das raras empresas que constantemente envia equipamentos para nossa avaliação. A placa digitalizadora que você escolheu é adequada, conclusão à qual cheguei pelas informações no site do fabricante: http://www.pinnaclesys.com
A duração do vídeo armazenado em um CD-ROM dependerá da qualidade que você desejar. Ajustando o nível de compressão e o frame rate, até uma hora de filme com qualidade razoável pode ser armazenada.

6) Webcam
Gostaria da sua ajuda para resolver um problema de instalação de minha Webcam 3 que comprei recentemente. Instalei-a na porta de impressora em modo EPP/ECP com extensão para o mouse e ela não funciona de maneira alguma. Acende uma luz, mas não está ativa, mesmo tendo iniciado o programa de monitorização que instalei no CD que veio junto. O que poderia ser? O que posso fazer para botar a danada para funcionar? Meu micro é um Pentium III 650 Mhz, com 64 RAM, placa mãe ASUS-P3B-F (JumperFree), HD Fujitsu de 10.2 GB e o monitor LG 520Si de 15″.
Resposta:
A primeira coisa a fazer é identificar o tipo de interface que deve ser usada. Existem webcams com interface paralela e USB. A sua placa de CPU possui na parte traseira, ao lado direito dos conectores para teclado e mouse, dois conectores USB. Se a sua webcam for do tipo USB, é acompanhada de um cabo USB próprio para ligação e uma dessas interfaces. Se for um modelo paralelo, utiliza um cabo com um conector DB-25 macho. Vejo um possível erro na sua instalação, devido à frase “Instalei-a na porta de impressora em modo EPP/ECP com extensão para o mouse”. O mouse não tem relação alguma com a conexão da webcam, você deve estar utilizando um conector ou extensão errada. Se for realmente utilizada uma conexão errada, o programa de instalação vai indicar que a câmera está inativa, e é isso o que está ocorrendo com você. Cheque novamente as instruções de instalação, para que isto seja feito de forma correta. É possível ainda que exista algum problema com a porta paralela do seu computador. Se você já usava uma impressora ligada nesta porta, então ela está funcionando bem, mas se nunca usou uma impressora, talvez a porta paralela esteja defeituosa. Experimente instalar a câmera em outro computador para verificar se existe algum defeito na câmera.

7) Captura de Vídeo com placa Trident
Tenho uma placa de vídeo Trident Providia 9685 TV 4 MB PCI, e no “Features”, da caixa do produto, vem dizendo que o equipamento tem o recurso Video Capture. Gostaria de saber como usá-lo, já que a placa só tem saídas de vídeo, uma em RCA e a outra em super VHS (mini Dim), além da saída VGA. Utilizando a saída VGA consigo visualizar as imagens do computador na TV em NTSC, mas se tento o contrário, tipo ligar a saída RCA do vídeo cassete na placa de vídeo e peço para algum programa como o Adobe Premier para capturar o vídeo, tudo que consigo é uma tela rosa estática sem imagem alguma, mesmo tendo instalado os drivers que acompanham o CD da instalação da placa, AVI Drives. Meu computador é um Pentium MMX 233 Mhz, com 64 Mb de RAM.
Resposta:
Muitas placas de vídeo são produzidas em versões com mais recursos, outras com menos recursos. Em geral o que está indicado na caixa são possíveis recursos, com pequenos quadrados ao lado, que são deixados em branco quando a placa não possui o recurso, e marcados com um X quando possui. Sua placa pode ser portanto uma integrante mais simples de uma família de placas que tem versões mais completas. Se ela só possui saídas de vídeo, não permite fazer a captura. Quando uma placa permite a captura, é acompanhada de amplas instruções para o seu uso, além de um programa para edição de vídeo, como o Adobe Premiere. Programas como este não fazem a captura propriamente dita, apenas enviam para os drivers da placa, um comando de captura. Um outro detalhe: placas que fazem captura de vídeo são bem mais caras. As mais simples custam em torno de 300 reais. De acordo com o preço que você pagou por esta placa, pode também confirmar que ela não faz captura. Caixa de placas é algo que não devemos levar muito a sério, principalmente quando a placa é de fabricante genérico, como o caso das placas “Trident”. Essas placas possuem na verdade um chip gráfico Trident, mas os fabricantes podem ser diversos. É o mesmo que ocorre com modems “Lucent” e “Motorola” – essas são as marcas dos chips, e não dos fabricantes da placa. Veja um caso típico: modems “Genius” com chip Motorola. De “Genius”, este modem só tem a caixa. A placa que você encontra dentro da caixa de um modem “Genius” é na verdade de um fabricante genérico.

8) OCR com muitos erros
Adquiri um scanner TCE com OCR português/espanhol. É possível arranjar esse OCR para o idioma inglês? É comum o grande número de erros quando da utilização de OCR? Existe algum programa OCR mais perfeito para que eu obtenha melhores resultados?
Resposta:
Qualquer programa de OCR, para qualquer idioma, será capaz de reconhecer textos em inglês, já que este idioma não possui acentos nem caracteres lingüísticos especiais, além daqueles que fazer parte da tabela ASCII, comuns a todos os idiomas. O que talvez você não possa conseguir é a exibição de menus e comandos em inglês (File, Open, Edit, etc.). Se quiser menus em inglês, pode utilizar outro OCR que acompanhe o scanner de um amigo, ou outro scanner existente no seu trabalho. Esta compatibilidade universal entre scanners, programas gráficos e OCRs existe graças ao padrão TWAIN. Atualmente, todos os scanners, programas gráficos e OCRs são TWAIN compatíveis. Sendo assim, qualquer scanner pode operar com qualquer OCR e com qualquer programa gráfico, e qualquer programa gráfico ou OCR reconhecem qualquer modelo de scanner.
Para obter melhor taxa de acerto no reconhecimento de caracteres, o texto precisa ficar perfeitamente alinhado (não pode ficar inclinado). O idioma deve ser programado previamente, para que os acentos e caracteres especiais sejam reconhecidos. O scanner deve operar no modo Black/White (1 bit por pixel, também chamado de Line art) e com a resolução de 300 ou 400 DPI (a maioria dos programas exige uma resulução fixa, em geral 300 DPI). Use os comandos de Contrast e Brightness para que a imagem seja captada de tal forma que não fiquem pontos pretos em áreas que deveriam ser brancas, e que não existam falhas em áreas ocupadas pelos caracteres. Consulte ainda meu artigo sobre instalação e uso de scanners, em http://www.laercio.com.br.

9) Scanner não funciona no novo computador
Recentemente troquei o meu computador, um Pentium-266 por um K6-2 de 450 e desde que realizei a troca, o meu scanner S440 da TCE parou de funcionar. O computador até que detecta o scanner mas na hora de ativá-lo aparece uma mensagem de erro dizendo que o scanner não foi encontrado, sugerindo que eu verifique se a porta está ativada, se o cabo está conectado ou se a fonte de energia está ligada, mas tudo esta correto. Já fiz testes em outros computadores para ver se era algum defeito no cabo, mas o scanner funcionou perfeitamente.
Resposta:
O problema pode estar na configuração da porta paralela. As portas paralelas podem operar nos modos SPP (também chamado de Standard, Normal, Nibble ou Compatible), ECP o EPP. Antes de trocar um PC por outro, é bom checar qual é o modo de funcionamento atual da porta paralela (isto pode ser checado pelo Gerenciador de Dispositivos), para programar no mesmo modo a porta paralela do novo PC, ou da nova placa de CPU. Agora você terá que experimentar um modo de cada vez, descobrindo qual é o que funciona. Comece desconectando a impressora, deixando apenas o scanner ligado na porta paralela. Agora remova a porta paralela no Gerenciador de Dispositivos. Reinicie o computador e entre no CMOS Setup. No item Peripheral Configuration ou Integrated Peripherals, selecione o modo desejado para a porta paralela. Ao voltar para o Windows, a porta paralela será detectada no novo modo de funcionamento. Note que para o Windows, as configurações EPP e ECP utilizam o mesmo driver, e aparecerão ambos como “porta de impressora ECP”. Depois de configurada a porta e detectada pelo Windows, reinstale o driver do scanner e cheque o seu funcionamento.
Aproveito para lembrar que a troca do Pentium II/266 por um K6-2/450 pode não ser vantajosa, se você utilizar uma placa de CPU para o K6 com vídeo onboard. O Pentium II/266 tem índice de velocidade em torno de 130, medido com o Norton Sysinfo 3.0, enquanto o K6-2/450 tem índice em torno de 150, entretanto se estiver usando vídeo onboard com memória compartilhada (que reduz o desempenho do processador), o K6-2/450 pode ficar com índice em torno de 110. Realmente as placas de CPU de baixo custo, com vídeo onboard, atrapalham muito o desempenho do processador. O problema não ocorre se você estiver usando uma placa de CPU sem vídeo onboard.

10) Scanner sempre ligado
Meu PC tem um SCANNER Spectrum F-1200 AOC. O SCANNER permanece ativado (ligado) durante todo período que estou em atividades; o vendedor disse: ISTO É O CORRETO, mas como sou um iniciante, aceitei. Realmente não há como desligá-lo temporariamente, sem prejudicar o funcionamento do Sistema? Caso o vendedor esteja enganado, como desligá-lo e ativá-lo posteriormente? Ou vou ter que me acostumar com a espera da conexão do Scanner toda vez que se executar a inicialização?
Resposta:
O Scanner fica ligado, mas como não está em uso, entra automaticamente no modo de baixo consumo de energia (standby). A maioria dos seus circuitos ficam desligados, e outros ficam em “hibernação”. A maioria dos scanners trabalha assim. Muitas impressoras também fazem o mesmo. A diferença é que nas impressoras encontramos um botão liga/desliga (que em geral apenas a coloca em standby), nos scanners não. A alimentação deste scanner é feita por um adaptador DC que o acompanha. Este adaptador não possui interruptor. Não é boa coisa conectar e desconectar o plug do adaptador DC no scanner cada vez que for usá-lo. O fio poderá partir por excesso de manuseio. Sugiro que você utilize uma extensão (“filtro de linha”) com interruptor, e nela ligue o adaptador DC. Deixe esta extensão com o interruptor desligado e ligue-o quando for utilizar o scanner.

11) Ver TV no PC
Como leitor assíduo da sua coluna no o Popular, gostaria que vc me esclaresse uma dúvida. Uma vez um amigo me disse que é possível conectar um vídeocassete no micro, utilizando o monitor para assistir a filmes. È necessário algum tipo de equipamento especial? É preciso conectar uma placa de TV? Se sim, quais as melhores e onde encontrar e quais são os preços? Obs.: Possuo um Pentium 200 MMX e gostaria de saber se tais alterações é viável.
Resposta:
Para isto você precisa de uma placa de vídeo que possua entrada para vídeo composto, como a ATI All-in-Wonder ou a PixelView. Com a entrada de vídeo composto você pode exibir na tela imagens provenientes de aparelhos de videocassete ou câmeras. Se além de tudo isso você quiser sintonizar canais de TV (cuidado, a TV está cheia de programas horrorosos, podem prejudicar seu cérebro), precisará de uma placa com entrada de RF (antena) e sintonizador de canais. Note que a maioria das placas, tanto com entrada para RF como as de vídeo composto, estão preparadas para operar com o sistema NTSC ou com o sistema PAL da Europa. Poucos são os modelos que aceitam o sistema PAL-M, usado no Brasil. As placas ATI All-in-Wonder e PixelView aceitam entrada em PAL-M. Se você usar uma placa que opere apenas em NTSC, a imagem ficará em preto e branco. O problema pode ser parcialmente resolvido através do uso de um transcodificador. Sinais de vídeo composto podem ser convertidos facilmente de PAL-M para NTSC, mas não podemos fazer o mesmo com sinais de RF, apenas indiretamente. No caso você terá que sintonizar os canais através do VCR, usar a saída de vídeo composto e nela ligar um transcodificador, para então ligar na placa de vídeo. Para não ter todo esse trabalho, use uma das placas de vídeo citadas, que já operam em PAL-M.

12) Scanner não funciona no Windows 98
Tenho um scanner Genius ColorPage Vivid com seus softwares originais. Formatei meu HD que tinha Win95, instalei o Win 98 e reinstalei os programas do scanner, porém, o mesmo não foi reconhecido. Meu scanner está ligado em paralelo com minha HP 890 CXI: HP – scanner-computador. A impressora funciona normalmente, o que indica que não é problema de comunicação. Fui ao site da Genius e baixei o driver compatível com o win 98 e não obtive resultados. Um amigo tem um PC similar ao meu com Win98 que reconhece o meu scanner. O que poderia ser?
Resposta:
Primeiro tente fazer o scanner funcionar sozinho, sem a impressora ligada a ele. Depois que estiver funcionando, conecte a impressora. Você está usando o driver mais recente para o seu scanner e não tem sucesso. Sugiro que você mude a configuração da porta paralela. Existem três modos básicos: SPP, EPP e ECP. Para alterar o modo, faça o seguinte: 1) Remova a porta paralela, no Gerenciador de Dispositivos; 2) Entre no CMOS Setup e altere o modo de funcionamento da porta paralela, na seção Peripheral Configuration; 3) Reinicie o Windows e deixe a porta paralela ser detectada no novo modo. Note que o Windows não faz distinção entre EPP e ECP, o driver ECP funciona em ambas as modalidades. Lembro ainda que para operar no modo EPP/ECP, o cabo paralelo tem que ser padrão IEEE-1284 (está marcado este número ao longo do cabo), mas os revendedores nacionais infelizmente não sabem o que é isto, e por isso não trazem este cabo, que é encontrado com facilidade nos Estados Unidos e custa o mesmo que o cabo comum. Um revendedor me disse que o cabo IEEE-1284 é mais grosso e mais pesado, por isso a importação sai cara, e o cabo comum, mais fino e leve, é o único trazido para o Brasil. Lamentável.

13) Driver para Scanner Artec
Faz uns 02 (dois) anos adquiri um Scanner marca ARTEC, ViewStation A6000C Plus (Higth Resolution True Color Scanner) com placa SCSI. Até aí tudo bem, pois, funcionava normalmente, mas, quando fiz um upgrade do Micro, hoje um Pentium III 450 MHz, 128 MB RAM, HD 4.2, fui instalá-lo e para minha surpresa o disquete de drive sumiu/desapareceu e não tenho como instala-lo, pois, tento com alguma marca de scanner relacionado dentro do Windows, mas, não dá certo. Gostaria de saber onde conseguir o drive deste scanner. Qual endereço eletrônico do fabricante?
Resposta:
Este tipo de problema (perda de driver) não deve causar preocupação. Existem diversas formas de descobrir o site de um fabricante. Você pode por exemplo consultar a área de links de algum site dedicado a hardware (www.laercio.com.br, por exemplo), ou então procurar no Drivers Headquarters (www.drivehq.com), ou então usar um site de busca para procurar pela expressão +”nome do produto” +”nome do fabricante”. Por exemplo, entre no Altavista e procure por “Artec Scanner”. Por sinal, o endereço que você quer é:
http://www.artecusa.com/

Caso encontre dificuldades na instalação do scanner, consulte meu artigo sobre instalação de scanners, na área de artigos do meu site.

14) Conflito entre scanner TCE e impressora Canon BJC620
Possuo um Pentium 200MMX = 68 mb memoria, win98, tudo funcionando perfeitamente. Adquiri um Scanner TCE e após a instalação do mesmo houve uma incopatibilidade com a minha impressora – uma Canon BJC620. ela se perde nas impressões, tando no word, como qualquer outro programa instalado, desinstalo o scanner tudo volta ao normal, o driver da minha impressora é versão 1.8, existe alguma coisa que possa ser feito para que a impressora não se perca após ser instalado o scanner, isso não acontece com outras marcas de impressoras, pois já testei e não houve problema. Creio que está havendo atrito entre o driver da impressora e a do scanner.
Resposta:
Não sei se os scanners TCE são os mais vendidos no Brasil, mas o fato é que toda semana recebo muitas dúvidas de leitores relatando problemas com scanners desta marca. Não gosto de dizer simplesmente “procure a resposta no site do fabricante”, mas você não informou o modelo do scanner, portanto não posso dar a solução “na mosca”. No site www.tce.com.br, clique em SAC (Serviço de atendimento ao cliente) / Dúvidas freqüentes. Lá existem relatados vários problemas que ocorrem com diferentes modelos de scanner, e cada um tem uma solução particular. Os problemas mais comuns são travamentos de software, falhas na impressão, travamentos no mouse e na unidade de disquetes. As soluções apresentadas também variam de acordo com o tipo de impressora. Para a maioria dos problemas, o fabricante recomenda desabilitar o suporte bidirecional da impressora e configurar a porta paralela no BIOS e no Windows para os modos ECP ou EPP. Existe ainda uma solução que sempre dou para conflitos de dispositivos que compartilham a porta paralela: instale uma caixa comutadora de “1 PC para 2 impressoras”, que seja do tipo “bidirecional” (tem todos os fios ligados). Ligue nesta caixa o scanner e a impressora e use a chave seletora de acordo com o periférico que pretende usar. Isto certamente irá resolver o seu problema.
Muitas das falhas de impressoras são causadas pelo fato de não existirem à venda no Brasil, cabos de impressora próprios para o funcionamento nos modos EPP e ECP (2 MB/s). Os cabos à venda são cabos paralelos comuns, ou os chamados “cabos bidirecionais”, cuja fiação só suporta de forma confiável a taxa de 150 kB/s do modo SPP (porta paralela comum). Quando uma impressora e uma porta paralela são configurados para os modos EPP ou ECP e a ligação é feita por um cabo comum, a impressão funciona mas apresenta falhas aleatórias. Qualquer loja de suprimentos nos Estados Unidos vende os dois tipos de cabo paralelo: o comum e o ECP/EPP (também chamado de IEEE 1284). No Brasil, os Srs. Importadores acharam por bem não trazer este tipo de cabo, apesar de todos os fabricantes de impressora especificarem o seu uso obrigatório.

15) Scanner paralelo exige porta ECP
Estou escrevendo pq comprei um PC novo, um IBM Aptiva para ser preciso, e o meu scanner antigo não está funcionando. A mensagem que continua aparecendo diz que configurações como o APTIVA não tem uma “enhanced parallel port” e que sem isso o scanner não funcionará. O curioso é que a impressora que está conectada à CPU através do scanner funciona sem problemas.
Resposta:
Peço aos leitores que não esqueçam de informar as marcas e modelos dos periféricos envolvidos no problema. Sabendo a marca e modelo do seu scanner, talvez fosse possível dar uma solução “na mosca”. Sem esta informação, a resposta precisa ser mais abrangente. Todos os PCs modernos (pelo menos os fabricados nos últimos 5 anos) possuem portas paralelas avançadas, que funcionam nos modos EPP e ECP, além do tradicional SPP (Standard Parallel Port). Em muitos PCs, o modo configurado como padrão é o SPP (compatível com as impressoras muito antigas). Para obter melhor desempenho, configure a porta paralela como EPP ou ECP. Para isso, entre no CMOS Setup e procure a seção Peripheral Configuration ou Integrated Peripherals. Defina então a porta paralela como ECP. Isto fará com que a sua porta paralela opere sempre no modo máximo suportado pelos seus periféricos. Vá ao Windows e entre no Gerenciador de Dispositivos (Painel de Controle, Sistema). Clique em Portas COM/LPT, marque a porta de impressora e use o botão Remover. Use agora o botão Atualizar. A porta de impressora será agora detectada como ECP. Se não for detectada, reinicie o Windows para que a detecção automática ocorra. A partir daí os modos ECP e EPP estarão disponíveis na sua porta paralela e o seu scanner deverá funcionar.

16) Scanner recebe cores erradas
Possuo um scanner Genius Vivid PRO 2 e todos os softwares originais instalados. Desde que comprei o scanner, não consigo ajustar as tonalidades (cor, brilho, contraste ) do scanner com uma figura scanneada ou seja, a figura digitalizada nunca fica igual ao original no monitor. Já procurei atualização de software para ajustar padrões e não tive resultados.
Recentemente realizei um trabalho com a fotografia de um cliente e não consegui de forma alguma salvar o arquivo (formato JPEG, TIF, BMP … ) com a tonalidade original da pessoa, o tom original da pele na foto era bronzeada e após a figura ser digitalizada, a pele ficou com tom mais clara no monitor. Tentei os ajustes e nada adiantou. As atualizações existentes no SITE da Genius não resolveram este problema. A opção de calibração no software não possui esquema para este modelo da Genius, somente de outros fabricantes.
Como posso ajustar para o mais real possível no monitor uma figura digitalizada neste scanner? Existe alguma configuração especial para este tipo de trabalho ? Existe algum suporte técnico da Genius no Brasil que me forneça orientação e atualização de software ?
Softwares utilizados pelo Scanner Genius Vivid Pro 2: Ulead Photoimpact SE 3.02, Ulead IPhoto Express 1.1, MGI Photo Suite, Ulead Gif Animator 1.5. Desde já agradeço a atenção.
Resposta:
Este é um problema bastante sério e comum. É preciso que tanto o scanner como o monitor e a impressora estejam calibrados para as mesmas tonalidades. Se esta calibração não for feita, as tonalidades vistas na tela e na impressora não serão iguais às captadas pelo scanner. Editores gráficos como o Photoimpact são responsáveis por exibir corretamente as cores na tela, e enviar as cores corretamente para a impressora. Uma mesma foto ao ser impressa pelo PhotoImpact pode ter tonalidades diferentes das impressas pelo Paint Shop Pro e por outros editores gráficos. Esses programas possuem um comando para a calibração das cores de acordo com o fator “gama” do monitor. No PhotoImpact, este comando é File / Preferences. No quadro apresentado selecione a guia Display. Ajuste então o valor de gama até que os dois retângulos ao lado deste controle fiquem com cores iguais.

Ajustando o gama do monitor no programa PhotoImpact
Com este ajuste as cores exibidas na tela e impressas pelo PhotoImpact terão as mesmas tonalidades que as capturadas pelo scanner. Quanto ao suporte da Genius no Brasil, que eu saiba ele não existe. Infelizmente esta é uma realidade brasileira. Encontramos à venda milhares de produtos de informática, mas a presença dos fabricantes para por aí. No hora do suporte é preciso contactar o fabricante pela Internet. É algo a se pensar na hora de comprar um scanner ou outros equipamentos de informática.

17) Baixa resolução da webcam
Adquiri uma webcam Creative Go e gostaria de saber como fazer para tirar fotos com melhor qualidade ? Mesmo em resolução “high” a qualidade das fotos é sofrível…
Resposta:
A Web Cam é um produto barato, bem mais barato que uma câmera digital. A diferença dos preços fica por conta de circuitos mais simples. Uma WebCam não precisa armazenar as fotos, apenas deve transferir as imagens para o computador. Outra grande diferença é o sensor de imagem, o que chamamos de CCD. Um CCD para vídeo utiliza resolução baixa, como 320×240. Já um CCD para fotos utiliza resoluções bem mais elevadas. As câmeras digitais novas chegam a resoluções em torno de 2000×1500, e ainda possuem um sistema ótico bem mais avançado e preciso. Uma WebCam tem como único objetivo, transmitir a imagem do usuário em uma pequena janela. A qualidade não é boa para fotos de média e alta resolução. Ao tirar fotos usando qualquer WebCam, mesmo com resolução de 640×480 (obtida por interpolação), a imagem realmente será sofrível. Usar circuitos e CCDs que permitem melhores imagens representa um custo adicional desnecessário, pois a qualidade será inútil para as aplicações típicas de uma WebCam. As fotos obtidas serão portanto de qualidade sofrível, não existe nada de errado com a sua WebCam.

18) Outro scanner TCE com problemas
Tenho um scanner tce – s 440 e durante um certo tempo ele funcionou bem. Mas agora ao tentar usá-lo obtenho a seguinte mensagem: ” A porta da impressora está ocupada, tente digitalizar mais tarde “. O quê pode ter acontecido? Como posso solucionar tal problema? Algumas pessoas me orientaram a usar um chaveador, isso é necessário?
Resposta:
Alguns scanners TCE da série S440 apresentaram problemas com certos modelos de impressora. Você pode encontrar informações a respeito no site da TCE (www.tce.com.br). Lá existem inclusive algumas soluções “mágicas” para eliminar os problemas, dependendo do modelo da impressora. O uso de um chaveador quase sempre resolve o problema, mas antes é preciso verificar se o scanner funciona corretamente se for ligado na porta paralela sem impressora. Se não funcionar, não adianta usar o chaveador, o problema será de solução mais complexa, e deve ser resolvido com a ajuda do fabricante do scanner. Se não for conseguida ajuda do fabricante e se o chaveador não resolver, existe uma outra solução, que é instalar uma LPT2. Devemos comprar uma placa IDEPLUS de 16 bits, com manual, e desabilitar todas as suas interfaces, menos a paralela. Configuramos seus jumpers para que opere como LPT2. O PC ficará então com duas portas paralelas, uma para a impressora e outra para o scanner. Raramente é preciso usar esta solução.

19) Problemas com OCR
Possuo um Scanner TCE S440 que comprei para copiar digitalizar textos e passar para o Word, mas não consegui em resultado satisfatório. A maioria dos textos o programa OCR não consegue captar. Existe algum outro programa mais eficiente que posso utilizar? Como conseguí-lo?
Resposta:
Muitos scanners são acompanhados de programas de OCR (reconhecimento ótico de caracteres) “fraquinhos”, mas felizmente, qualquer programa de OCR pode funcionar com qualquer scanner. Você pode utilizar o programa de OCR que acompanha o scanner de algum colega, ou então obter outros programas de OCR diretamente nos sites dos fabricantes de scanners.
Existem ainda cuidados que você deve ter para conseguir bons resultados com um programa de OCR. Comande a captura no modo B/W (1 bit por pixel), com 300 ou 400 DPI. O texto deve ficar perfeitamente orientado na horizontal. A maioria dos programas aceita também o texto na vertical (página deitada), mas nunca de forma inclinada. O texto não pode ser manuscrito, ter boa qualidade e não usar fontes de caracteres exóticas. Não esqueça ainda de configurar o seu programa para a língua portuguesa (normalmente Preferences / Language / Portuguese). Se isto não for feito, os caracteres acentuados da nossa língua não serão reconhecidos.

20) Scanner não funciona no novo PC
Tenho um scanner Genius que funcionava num Pentium 133 com 16M de RAM, agora troquei minha maquina por um AMD K6 500 onboard e o scanner não funciona. O que devo fazer para que o micro reconheça este hardware?
Resposta:
Primeiramente, a porta paralela precisa estar funcionando. Às vezes trocamos a placa de CPU mas esquecemos de fazer a conexão do cabo da porta paralela, ou então o fazemos de forma errada. Um erro muito comum ao trocar uma placa de CPU é aproveitar os conectores seriais e paralelo da placa antiga, guardando os conectores da placa nova. Técnicos que fazem upgrade muitas vezes fazem isso. Trocam a placa, mantém os conectores da placa antiga (velhos) e guardam os conectores da nova (que são novinhos em folha). O problema é que esses conectores não são padronizados, ou seja, o conector de uma placa não necessariamente funcionará em outra placa. É preciso então remover os conectores seriais e paralelo da placa antiga e instalar os da nova. Feito isso, é preciso testar a porta paralela, checando seu correto funcionamento. Um bom método de teste é conectar uma impressora e verificar se ela consegue imprimir. Só depois que o funcionamento da porta paralela for comprovado, devemos fazer a instalação do scanner, e é provável que desta vez ele funcione.

21) PAL-M x NTSC
Tenho uma placa de video trident 9750 pci com saída para televisão. Só que nao consigo exibir as imagens em colorido, apenas em preto e branco, apesar de ter usado o transcoder… Sera que estou usando o transcoder errado, sendo que minha tv é uma sony trinitron de 29 polegadas. Como faço para exibir as imagens em colorido?
Resposta:
Esta placa possui uma saída em vídeo composto NTSC. Pode ser ligada diretamente na entrada de vídeo composto da sua TV, caso esta entrada seja também NTSC. Se a entrada for PAL-M, o sistema usado no Brasil, será preciso utilizar um transcodificador. A especificação deste transcodificador é a seguinte: entrada em vídeo composto NTSC, saída em vídeo composto PAL-M. Certifique-se de que este transcodificador é realmente deste tipo. Na sua TV, as imagens estão em preto e branco, o que indica que o sistema de cor está errado.

22) Armazenando fotos
Tenho cerca de 6 mil fotos. Possuo um K6-3 450MHz, com 64MB de RAM, 8,2GB de HD, placa Asus P5A-B. Gostaria de saber o que devo acrescentar em minha máquina para:

-Armazenar essas fotos no micro.
-Trabalhar na montagem de um livro para deixá-lo pronto para a gráfica.
Há como aproveitar meu micro para esse trabalho? Quais os melhores programas para esse tipo de serviço e a melhor forma de armazenar as fotos de forma a montar um arquivo de datas e por assunto? Qual scanner e impressora você me recomenda para obter boa definição nas fotos? Existe algum scanner que processe o negativo das fotos?
Resposta:
Inicialmente será preciso um bom scanner e um gravador de CDs. As fotos digitalizadas podem ocupar muito espaço. Podem ficar pequenas quando o objetivo é simplesmente visualizá-las na tela, mas podem ocupar muito espaço quando precisarem ter resolução suficiente para uma impressão colorida profissional. Você não vai querer correr o risco de perder todas essas fotos e ter que escaneá-las novamente, portanto é importante fazer sua gravação em CDs. Se você optar por escanear a maioria das fotos em alta resolução e alta qualidade, os arquivos poderão ter em torno de 1 MB cada um, portanto o seu disco rígido logo ficará lotado. Será então preciso de um disco rígido de maior capacidade. Scanners são normalmente acompanhados de um software para catalogar imagens, mas você pode utilizar softwares avulsos, como o Thumbs Plus, encontrado em versão DEMO na maioria das bibliotecas de programas, com versão completa vendida pela Internet. Pode usar um bom scanner HP para uso profissional, preferencialmente de 36 bits. Um bom gravador de CDs é o 8432, da Creative Labs. A maioria das impressoras oferece boa resolução, mas não para trabalhos profissionais. Os designers gráficos normalmente usam uma impressora a jato de tinta para fazer provas impressas, mas a versão definitiva é feita em fotolitos ou em impressora laser a cores, em birôs de editoração eletrônica.
Para produção de livros com aspecto profissional, você pode usar um programa como o Page Maker. A saída pode ser feita em arquivo fechado para impressão de fotolitos em um birô. Uma opção de impressão mais barata é dar a saída em papel Laserfilm, em uma impressora a Laser. Este papel pode ser usado diretamente para a confecção de chapas para impressão dos livros, sem a necessidade de fotolitos. É uma boa opção quando o livro não utiliza cores nem fotos.