Home » Artigos arquivados » 2000 – Memórias (Perguntas e Respostas)

2000 – Memórias (Perguntas e Respostas)

1) Pouca memória convencional livre no Windows 95
Meu problema é que quando inicio meu computador, a tela escrita Windows 95 não aparece mais e o computador liga direto. É um problema? Outro problema é que quando reinicio em modo MS-DOS, a memória convencional é de apenas 460KB mesmo tendo 640KB! Meu computador é um Pentium 100 MHz da IBM Aptiva de 24MB de RAM e Windows 95. Teria um jeito de resolver estes problemas?
Resposta:
O aparecimento ou não da tela com o logotipo do Windows 95 durante sua inicialização é controlado pelo comando LOGO no arquivo MSDOS.SYS, localizado no diretório raiz do disco rígido. Com LOGO=1 o logotipo é exibido, com LOGO=0 o logotipo é suprimido, e em seu lugar é apresentada uma tela escura com o cursor na primeira linha. Note que antes de editar o arquivo MSDOS.SYS é preciso usar o comando ATTRIB –R –S –H MSDOS.SYS, e depois de editá-lo, usar o comando ATTRIB +R +S +H MSDOS.SYS. O problema da baixa quantidade de memória convencional é resolvido com os seguintes comandos no início do arquivo CONFIG.SYS:

DOS=HIGH,UMB
DEVICE=C:\WINDOWS\HIMEM.SYS
DEVICE=C:\WINDOWS\EMM386.EXE NOEMS

A seguir troque os comandos “DEVICE” (exceto os indicados acima) por DEVICEHIGH no CONFIG.SYS. No arquivo AUTOEXEC.BAT, use o comando LH no início das linhas que ativam programas que ficam residentes na memória convencional, para que passem a ocupar a memória superior. Note ainda que no Windows 95 OSR2 e no Windows 98 versão original, existe um problema de redução da quantidade da memória convencional. No caso do Windows 95 OSR2 é preciso substituir o arquivo IO.SYS pelo IOSYSBRZ. No caso do Windows 98, é preciso instalar a sua atualização (Windows 98 segunda edição). Você encontrará todos os detalhes sobre esta atualização, bem como dicas para melhorar o gerenciamento de memória, na área de artigos de www.laercio.com.br.

2) Expansão de memória em PC IBM
Tenho um IBM Pentium 166 MMX, HD 3.9 GB, 16 Mb de Memória RAM, multimidia de 28x e queria saber se para colocar mais memória RAM, tem que ser só da IBM ou pode ser de outra marca?
Resposta:
Isto depende muito do modelo do seu PC, e a melhor coisa a fazer é obter junto à assistência técnica da IBM, as instruções para expansão de memória, bem como suas especificações. IBM, Compaq e outros grandes fabricantes produzem uma grande quantidade de modelos, alguns com memórias no padrão de mercado, outros com memórias proprietárias ou de tipos raros. Por exemplo, alguns usam memórias DIMM/168 EDO, bastante raras, já que são mais comuns os módulos DIMM/168 SDRAM. Sendo um PC relativamente antigo, é possível que use módulos SIMM/72 padrão EDO, muito comuns no tempo do Pentium-166. Se você não quiser contactar o fabricante, pode pedir ajuda a um bom técnico. Ele poderá abrir o computador e identificar as memórias já instaladas. Saberá então as memórias que podem ser usadas na expansão. Se as memórias forem proprietárias (fora do padrão de mercado), será preciso comprá-las com o fabricante, e os preços normalmente são mais elevados.

3) Erro na memória
Tenho três problemas com dois computadores. O primeiro é um K6-2 450 com 64 de RAM e Windows 98. Nas últimas semanas, dependendo do programa que eu abro, ele me apresenta a seguinte mensagem: “Sistema Paralisado. Erro de Paridade de Memória.” Então a máquina trava e eu tenho que reiniciar. Como resolvo isso? O segundo foi um que eu montei para o escritório de onde eu trabalho. Peguei minha placa mãe antiga (586 com 32 de RAM) e juntei com algumas placas que eu tinha sobrando. Instalei o Windows 95, pois achei que para quantidade de memória e para o processador, o 98 seria muito. Instalei um modem US Robotics 33.6 e então, quando eu conecto o mouse trava. Já modifiquei as configurações da portas COMl e COM2, mas nada adiantou. O que faço? Outra coisa: a máquina está com travamentos freqüentes.
Resposta:
O erro de paridade na memória indica que o processador armazenou um dado e quando foi ler novamente o mesmo dado, este tinha um valor diferente do original. As memórias podem estar defeituosas, ou então serem de velocidade abaixo da exigida pela placa de CPU. Os circuitos de paridade existentes na placa de CPU, desde que seja usada memória com paridade, são os responsáveis por esta detecção de erro. Memórias sem paridade, ao danificadas, não fornecem condições para a checagem de paridade, e os erros são manifestados através de travamentos e operações ilegais. Troque as memórias por novas, com as especificações corretas para a sua placa de CPU, mas lembre-se que tocar os chips diretamente com as mãos danifica os circuitos, e esta é a principal causa de defeitos. Não deixe de ler meu artigo sobre os cuidados com a eletricidade estática, em www.laercio.com.br. O problema do conflito entre o mouse e o modem provavelmente ocorre pelo fato de ambos estarem usando a mesma IRQ. Existem vários caminhos para resolver o problema. O mais rápido é desabilitar a COM2 no CMOS Setup e configurar os jumpers do seu modem para COM2 / IRQ3. Os travamentos freqüentes podem ter inúmeras causas: mau contato, aquecimento do processador, memórias defeituosas, chips e placas danificadas por eletricidade estática… Realmente precisam de uma investigação ao vivo para serem solucionados.

4) Expansão de memória com bancos cheios
Meu pc é um pentium só que EU TENHO 32MB DE MEMÓRIA DE RAM (edo ram), QUER DIZER 4 pentes de 8mb, SÓ QUE TENHO MAIS UM BANCO de memória dimm E QUERO COLOCA UMA MEMÓRIA DIMM DE 32 MB DE RAM PARA FICA 64 MB DE RAM, ISSO VAI FUCIONAR?
Resposta:
Não, a maioria das placas de CPU que possui soquetes DIMM/168 e SIMM/72 combinados não permite usar ambos os tipos ao mesmo tempo. Para fazer expansões de memória no seu PC, sugiro que retire os atuais módulos SIMM/72 (EDO DRAM) e instale um único módulo DIMM/168, que deve ser do tipo SDRAM. Algumas empresas de assistência técnica estão comprando memórias SIMM/72 para usar em manutenção, pois é difícil encontrar memórias novas deste tipo no mercado brasileiro.

5) Memórias proprietárias
Na procura por mais memória para turbinar mais o meu micro um K6 3D 300, placa TX – PRO com 80 Mb RAM ( 01 DIMM de 64 e 2 EDO de 8). Abri um micro que temos aqui na empresa um HP UX Declass 9000 = 100 Mhz com 160 Mb RAM que era usado mais para gravação de Backups em fitas. Verificamos que nesse micro, existiam 4 pentes de memória tipo EDO, um pouco diferentes no seu formato das que eu já havia visto, com rótulo de fabricante HP, parecem uma EDO normal sobre a outra. Estas memórias la no HP faziam as seguintes paridades: 2 x 64 e 2 x 16 = 160 MB RAM. Retirei 2 destas memórias de 64 cada. verifiquei no manual da minha placa as instruções de instalação de memória e deixei um pente de DIMM de 64 Mb e coloquei as 2 EDO de 64 cada, ( elas encaixam direitinho no pente ) humm já pensou, meu micro ia para 192 Mb RAM, Yeahh!! Mas… Incrível, para minha decepção o meu micro não inicializou, Led, HD, nada, nem a fonte. não funciona nada, parece não ter energia, já tive problemas com memória tipo “memoria defeituosa, paridade errada, etc. mas o micro ligava, só as vezes ficava apitando, não aparecia nada no vídeo, mas esse comportamento de não funcionar nada, nem ligar a fonte, nunca tinha visto. pode me esclarecer o que seja? Memória exclusiva do fabricante HP?
Resposta:
Não diria que se trata de memória exclusiva da HP, mas memórias de um padrão pouco comum no mercado. No tempo em que a maioria dos PCs usava memórias SIMM/72 EDO, vários fabricantes de PCs de grife usavam memórias DIMM/168 EDO. Naquela época ainda não eram comuns as memórias SDRAM, mas os módulos DIMM/168 já existiam, porém com memórias EDO. Hoje os módulos DIMM/168 EDO caíram em desuso e encontramos apenas DIMM/168 SDRAM. Tanto é assim que muitos pensam que DIMM e SDRAM são sinônimos, o que não está certo. Os fabricantes de memórias ainda produzem módulos DIMM/168 EDO, em quantidades menores, para reposição e expansão em computadores “antigos”. O seu PC está portanto com memórias EDO e SDRAM ao mesmo tempo, configuração que na maioria dos casos não funciona. Os módulos DIMM/168 EDO podem ser instalados em muitas placas de CPU, desde que não seja em conjunto com DIMM/168 SDRAM.

6) Expansão de memória não aumentou desempenho
Amigo Laércio, estou com um problema aqui no meu micro, é o seguinte: Minha máquina é um K6 3D/300 placa TX-PRO 2, placas de vídeo e som onboard, WIN 98, uso muito programas gráficos, tipo: Corel, Adobe, etc. Antes eu tinha 64 MB de memória RAM, comprei mais um pente de 64 MB RAM, ou seja, somou-se 128 MB RAM, reconheceu 131 MB no BIOS e no System do Windows 124 Mb… mas o incrível é que não notei nada de diferente na velocidade. Fiz um teste no Adobe com os 64 MB, executei uma operação e cronometrei o tempo gasto, depois, coloquei a outra régua de 64 MB aí foi pra 128 MB RAM, e cronometrei de novo, não teve diferença nenhuma e não foi só no Adobe… não fez diferença nas outras operações… imaginei que de 64 MB dobrando para 128 MB, os resultados seriam significativos. Será que perdi dinheiro??
Resposta:
A expansão de memória nem sempre trará aumento no desempenho. Se você estiver executando programas e processando dados que caibam todos dentro de 64 MB, qualquer quantidade adicional de memória não será usada, e não haverá queda no desempenho. O que ocorre na prática é o seguinte: se a quantidade total de memória utilizada pelos programas em execução no momento e pelos arquivos de dados abertos ultrapassaram a quantidade de memória real, o sistema usará a memória virtual, que é um arquivo em disco (C:\WIN386.SWP) que simula mais memória. Ao precisar de mais memória, o Windows copiará para este arquivo o conteúdo de blocos de memória que estiverem há mais tempo sem uso (Less Recently Used), liberando o espaço. Ao precisar acessar os dados daquela “memória” que foi copiada para o disco, procurará um bloco livre na memória real (RAM) e fará a leitura a partir da memória virtual (WIN386.SWP). Todas essas operações em disco tornam o PC lento. Quando um PC faz muitos acessos a disco durante o uso de programas, provavelmente está usando mais memória que a quantidade de RAM disponível, precisando então fazer uso da memória virtual. É melhor o PC ficar lento que reclamar por falta de memória. Ao instalar mais memória RAM, o sistema poderá ficar trabalhando só na memória real, sem usar a memória virtual, suportando uma quantidade maior de dados e programas em execução. Experimente processar um arquivo de 70 MB usando o Photoshop com 64 MB e você verá como é demorado. Ou então experimente usar o Photoshop junto com outros programas, ou abrir vários arquivos no Photoshop. Quando o uso da memória ultrapassa os 64 MB, entrará em ação a memória virtual e o PC ficará lento. Ao aumentar para 128 MB, este efeito não ocorrerá tão facilmente, a menos que você use tanta memória que chegue a ultrapassar os 128 MB.

7) Memória compartilhada
Há dois meses comprei um computador MS NET k6-2 500 que veio com 32 MB de memória, resolvi colocar mais 64 MB aí percebi que ele estava compartilhando 4MB porque ficou com 92MB. O que posso fazer para que a memória do meu computador não seja mais compartilhada com a placa de video? Um amigo meu disse que se eu colocar uma placa aceleradora 3D o problema será resolvido. É verdade? Quanto custa essa placa em Goiânia? Porque os computadores de marca estão vindo com a placa de vídeo compartilhada?
Resposta:
Ao instalar qualquer placa de vídeo de verdade e desabilitar o vídeo onboard no CMOS Setup, deixará de ocorrer o “problema do compartilhamento” da memória de vídeo. Uma placa de vídeo 3D simples custa um pouco menos de 100 reais (ex: Trident, Cirrus Logic), uma de boa qualidade e desempenho custa entre 150 e 200 reais (ex: qualquer uma equipada com o chip gráfico Nvidia TNT2), e uma de maior desempenho custa por volta de 400 reais. Praticamente todas as lojas especializadas em hardware comercializam este tipo de placa. Não é verdade que “os micros de marca estão vindo com placa de vídeo compartilhada”. O que ocorre na verdade é que todos os PCs de baixo custo utilizam vídeo onboard com memória compartilhada. O motivo é a redução do custo. Placas de CPU com vídeo onboard se destinam a serem usadas em PCs de baixo custo que irão utilizar programas simples, como editores de textos, planilhas e acesso à Internet. São inadequadas a programas que operam com gráficos 3D complexos, como jogos de última geração, programas de CAD, programas para editoração eletrônica e aplicações profissionais em geral. O mal dessas placas de CPU não é a redução da quantidade total de memória, e sim a redução da porcentagem do tempo em que a memória está disponível para o processador. O ideal é que a memória fique 100% do tempo disponível para ser acessada pelo processador, mas em placas como a sua, a memória fica disponível para o processador apenas entre 60% e 80% do tempo, o que resulta em lentidão. A coisa certa a fazer não é sair à procura de uma placa de vídeo, e sim, antes de comprar o computador, saber para que ele vai ser usado e escolher a configuração de acordo com o uso. Ver apenas o número de MHz e o número de Reais gastos em um computador é realmente a pior forma de fazer uma compra.

8) Erro de memória
Tenho um Pentium MMX 166, 64 Mb de memória, placa mãe PC Chips (não me lembro o modelo), Windows 98 SE, placa de som Yamaha OPL3Sax, dois HD´s (1,2 Gb e 13 Gb), driver de CDRom Creative 12x e demais acessórios. Tudo funcionava bem até certo dia, quando notei que, ao iniciar o micro, após o teste da memória, a identificação do processador e do driver de CD-Rom, aparecia uma mensagem dizendo “Test memory fail”, o que parava o boot. Apertando-se F1, o processo continuava e o Windows 98 carregava normalmente. Só que senti necessidade de reinstalar o Windows por causa de erros que apareceram mais tarde e passaram a impedir seu carregamento. Qual não foi minha surpresa ao constatar que, após iniciar o micro pelo drive A, com suporte a CD-Rom, não conseguia instalar o windows. Ao digitar “instalar”, o micro retorna uma mensagem dizendo que “o programa executável deve ter um tamanho mínimo de 460… Kbytes”, e abortava a instalação. Ao tentar rodar o Scandisk, em DOS, aparecia a mensagem “não há memória livre suficiente para rodar este aplicativo”. Renomeei então todas as linhas de drives do Config.sys para que o comando ‘DEVICE=” carregasse os drivers na memória superior, alterando-o para “DEVICEHIGH=”, porém nem isso surtiu efeito. Agora não consigo carregar ou instalar o Windows, não rodo o Scandisk e não sei o que fazer. O que pode estar acontecendo?
Resposta:
Erro na memória é um problema muito grave. Não é para teclar F1 e continuar. É para chamar um técnico de confiança para resolver o problema. A chance de teclar F1 para continuar é para tornar possível realizar um boot através de disquete e executar um programa de diagnóstico para testar a memória, a placa mãe, etc. Não é para carregar o Windows. Tanto é que mais tarde surgiram erros no Windows que passaram a impedir o seu carregamento (arquivos corrompidos, por exemplo). Não adianta formatar o HD e reinstalar o Windows. Isto realmente precisará ser feito, mas antes é preciso resolver o problema na memória. Este problema está provavelmente dentro da memória convencional, ou seja, nos primeiros 640 kB da memória, já que o programa de instalação do Windows reclama que não existe memória convencional em quantidade suficiente. Providencie portanto a solução do problema na memória. É possível que o seu módulo de memória esteja defeituoso. Mas tome cuidado para não comprar um módulo novo e danifica-lo com eletricidade estática, um incidente muito comum entre os desavisados.

Módulo de memória

9) Mais memória convencional
Gostaria de saber qual é a configuração que deve ser colocada no CONFIG.SYS e no AUTOEXEC para ter mais memória convencional disponível.
Resposta:
A primeira coisa a fazer é começar o arquivo CONFIG.SYS com:

DOS=HIGH,UMB
DEVICE=C:\WINDOWS\HIMEM.SYS
DEVICE=C:\WINDOWS\EMM386.EXE NOEMS

A seguir, troque os demais comandos DEVICE do CONFIG.SYS por DEVICEHIGH. Programas executados pelo AUTOEXEC.BAT devem ser precedidos por LH ou LOADHIGH nas respectivas linhas de comando. Isto resulta em cerca de 610 kB de memória convencional livre. Ocorre que no Windows 95 OSR2 e no Windows 98 existe um bug que impede que a memória convencional atinja este valor. O problema é que o arquivo IO.SYS é muito grande, ocupa quase todo o espaço na HMA, o que obriga o HIMEM.SYS a ficar na memória convencional, ocupando cerca de 45 kB. Desta forma a quantidade máxima de memória convencional obtida é de cerca de 570 kB. Este problema pode ser corrigido facilmente:
a) No Windows 95 OSR2
A Microsoft apresenta uma descrição do problema:
http://support.microsoft.com/support/kb/articles/q170/4/56.asp

Para corrigir o problema você deve fazer o download do arquivo IOSYSBRZ.EXE, encontrado no site FTP da Microsoft:
ftp://ftp.microsoft.com/Softlib/mslfiles/iosysbrz.exe

Note que apesar de não ser muito divulgada, esta é uma atualização perfeitamente segura, feita pela própria Microsoft.
b) No Windows 98
A Microsoft apresenta uma descrição do problema em:
http://support.microsoft.com/support/kb/articles/a197/0/30.asp
A atualização que corrige este problema é o Service Pack 1 para Windows 98. Este pacote foi lançado juntamente com o Windows 98 segunda edição, em julho/99. Para fazer download desta atualização, acesse a página www.microsoft.com.br.

10) Configurando a memória para aplicativo em COBOL
Tenho um sistema em Cobol 4.5 e preciso pelo menos de 600 kB para rodá-los. Só estou conseguindo 520k.
Resposta:
Você encontrará no diretório C:\WINDOWS, um ícone chamado “Modo MS-DOS para jogos com suporte a memória EMS e XMS”. Esqueça a palavra “jogos”, este prompt servirá também para os seus programas. Clique em Propriedades / Programa / Avançadas e você verá o CONFIG.SYS e o AUTOEXEC.BAT que disponibilizam a maior quantidade possível de memória convencional. Descarte as linhas relativas ao drive de CD-ROM e placa de som. O boot realizado quando você clica neste Prompt deverá dar mais de 600 kB de memória convencional livre. Entretanto existem um pequeno problema. No Windows 95 OSR2 e no Windows 98, a máxima quantidade de memória convencional livre era 580 kB, graças a um bug no arquivo IO.SYS. No caso do Windows 95 OSR2, a correção é feita pela instalação do arquivo IOSYSBRZ.EXE, disponível no site da Microsoft. No caso do Windows 98, será preciso instalar o Windows 98 segunda edição, e o problema estará resolvido. Ambas as soluções são encontradas no site da Microsoft, www.microsoft.com.br. Você encontrará mais detalhes sobre o problema e a sua solução na área de ARTIGOS de www.laercio.com.br.