Home » Artigos arquivados » 2000 – BIOS e CMOS Setup (Perguntas e Respostas)

2000 – BIOS e CMOS Setup (Perguntas e Respostas)

1) Problemas no BIOS de um PC 486
Tenho enfrentado alguns problemas com a minha BIOS. Sobre o ano 2000, ela não voltou para 1900, e sim sempre que desligo o PC, o ano muda para 2094. Eu tinha um HD NEC de 2,1 GB e a BIOS detectava normalmente. Troquei-o por um HP Maxtor de 4,3GB e minha BIOS detecta ele com 73 MB somente, mas consigo usar o espaço total de 4,3GB. Como faço para resolver estes dois problemas? Já tentei de tudo, tenho vários flash’s writer’s mas preciso de atualizar minha ROM primeiro. Como faço isso? O risco fica por minha conta, estou comprando um k6, e quero corrigir estes erros nesta bios do meu 486. Por favor, me ajude. Já visitei a url www.ping.be/bios que saiu em uma edição anterior e não consegui fazer o upgrade de ROM. Informações da BIOS – ID 11/03/1994 – 2c4x6h01-00 ver’ão 4.50g release 11/01/1994 marca award chipset Pcchips.
Resposta:
Todos os PCs Pentium e superiores permitem atualizações de BIOS (pelo menos todos os que passaram por mim e todos os que vejo nos sites de fabricantes, mas talvez alguns dos primeiros modelos – 1994 e 1995 – não permitam esta atualização). O que faz um PC permitir atualização é a presença de BIOS armazenado em Flash ROM, um tipo especial de memória ROM que pode ser modificada pelo usuário através de programas especiais, fornecidos pelo fabricante da placa de CPU. PCs mais antigos usavam memórias ROM para armazenar o BIOS. Essas memórias não permitem alterações, portanto seus BIOS não podem ser atualizados. Este é o caso da esmagadora maioria dos PCs 486 e anteriores. PCs equipados com processadores 586 são mais recentes, e vários deles permitem atualização. Através do utilitário CTBIOS encontrado em www.ping.be/bios/, você deve ter encontrado o site do fabricante da sua placa de CPU, e até mesmo identificado o modelo. Não deve entretanto ter encontrado o BIOS para este modelo, simplesmente por esta placa não ter sido projetada visando atualizações futuras. Não possui Flash ROM e por este motivo o fabricante não desenvolveu versões novas do seu BIOS. Note que até aproximadamente 1995 as atualizações de BIOS raramente eram necessárias. Até aquela época a maioria das interfaces ficavam localizadas em placas de expansão. Um PC antigo podia utilizar periféricos novos, desde que fossem instalados com a sua interface. Quando interfaces de disco rígido passaram a fazer parte da placa de CPU, a compatibilidade com modelos novos em PCs antigos passou a ser garantida através da atualização de BIOS, operação padrão em todos os PCs novos. Por isso as placas de CPU antigas não usavam Flash ROM. Existe ainda outro problema: muitos fabricantes de placas de CPU menos conhecidos não possuem sites de suporte na Internet, ficando assim inviável obter manuais e atualizações de BIOS.
A dificuldade em reconhecer discos rígidos de elevadas capacidades é um problema nos PC antigos, devido a limitações dos seus BIOS. A solução para o problema nos casos em que o BIOS não pode ser atualizado é utilizar um software chamado “driver LBA”. Os mais comuns são o Disk Manager e o EZ Drive. Programas como esses são encontrados nos sites dos fabricantes de discos rígidos.

2) Atualização de BIOS
Laercio preciso da sua ajuda urgente foi fazer uma atualização de BIOS e me dei mal agora o meu computador na hora que e ligado nao aparece nem uma imagem e fica dando o boot no disquete toda hora e dando uns apito sem parar quando a gente coloca um disquete o apito muda em vez de ficar dando um apito ele fica dando dois apitos o que pode ter acontecido estou desesperado só você para me ajudar desde já agradeço.
Resposta:
A atualização de BIOS não é uma operação corriqueira a ser feita com a mesma freqüência que uma atualização de driver ou reinstalação de um software. Em casos extremos, é possível que o BIOS fique corrompido após uma atualização. Se faltar energia elétrica ou ocorrer um problema na memória, por exemplo, o BIOS ficará perdido. A recuperação de um BIOS danificado deve ser feita preferencialmente por um técnico que já tenha realizado Inicialmente é preciso instalar um outro BIOS, retirado de preferência de uma placa de CPU semelhante, e se não for possível encontrar uma igual, que seja pelo menos de uma que utilize o mesmo chipset. Depois de dar boot, retiramos o BIOS com o PC ligado, com muito cuidado. Chaves de fenda plásticas (ou de brinquedo) são ideais para retirar o chip, mas há quem use até pauzinhos de comida japonesa. Colocamos no soquete o BIOS defeituoso e rodamos novamente o programa de atualização. Mais uma vez lembro: não tente fazer em casa, o mínimo erro pode dar um curto circuito na sua placa e danificá-la para sempre.

3) BIOS da Asus P5AB
Tenho um Bios Award 586 Pnp de 1995 e recentemente comprei uma placa da Asus P5AB e estou querendo fazer uma experiência de gravação no Bios que tenho de reserva usando minha placa atual. Gostaria de saber se é possível executar um boot com o Bios antigo e fazer essa gravação sem causar danos a minha placa-mãe atual e saber quais são os riscos e restrições dessa operação.
Resposta:
A atualização de BIOS é sempre uma operação arriscada. É mais arriscada ainda quando envolve o uso de uma segunda memória, como é o seu caso. Cada BIOS deve ser “casado” com a sua placa de CPU. Não só a memória Flash ROM deve ser do mesmo tipo (algumas são programadas com +5 volts, outras com +12 volts, portanto ao fazer uma troca, você pode ligar +12 onde deveria ter +5 e queimar o chip). Além disso o arquivo imagem do BIOS deve ser obtido diretamente no site do fabricante da placa de CPU, caso contrário não funcionará. O BIOS da placa P5AB só serve para a P5AB, e assim por diante. O boot com o BIOS antigo só poderá ser executado se ele utilizar o mesmo chipset da P5AB. Isto garante o funcionamento da placa de CPU no modo MS-DOS e da interface de disquetes, o que é suficiente para a leitura do arquivo imagem do BIOS e do programa de gravação. Muitos técnicos realizam o boot com o BIOS normal, depois retiram o BIOS com o computador ligado (o que é muito arriscado), colocam a outra memória e fazem a gravação. Normalmente funciona, mas este procedimento só deve ser adotado em último caso. Não faça experiências com gravações de BIOS se não tiver necessidade, você poderá perder a sua placa de CPU.

4) BIOS e SiS530
Está ocorrendo uma anomalia em minha BIOS, de uma placa mãe com Chipset Sis 530 que adquiri. Toda vez que ligo meu computador, tenho que configurar a BIOS toda de novo. A bateria não deve ser, o jumper clear cmos está correto. O que pode ser esse defeito? Isso tudo começou a ocorrer quando executei um programa de atualizar a BIOS que veio no CD-Rom da placa mãe.
Resposta:
A atualização do BIOS não é uma operação 100% segura. Todos os fabricantes avisam que esta atualização deve ser feita por conta e risco do usuário. O BIOS pode ficar corrompido, deixando a placa de CPU inutilizada, se faltar energia elétrica durante uma atualização, por exemplo. Ou pior ainda, a nova versão do BIOS pode ter um bug, e funcionar de forma pior que a anterior. Não são raros os casos de produtos de hardware que foram colocados no mercado com erros de projeto. Apenas para citar alguns exemplos: as primeiras versões do Pentium, o Pentium III/1130, o chip MTH do chipset i820, o MS-DOS 4.0, o Windows 95, alguns modelos de placas de CPU da Zida/Tomato e da PC Chips. De uma forma ou de outra, os fabricantes tentaram resolver os problemas: recolher os produtos e trocar por novos sem defeito e atualizar o software, por exemplo. Em alguns casos, o prejuízo ficou por conta do usuário.
Sua placa de CPU pode estar com problemas de bateria. Troque a bateria por uma nova. Verifique se o jumper da bateria está posicionado corretamente, caso contrário ela não envia corrente para o CMOS, que por sua vez perde os dados do Setup. É possível que a nova versão do BIOS que você instalou esteja com problemas, experimente acessar o site do fabricante da placa de CPU e obter a penúltima versão do BIOS (que deve ser igual à que veio com sua placa).

5) Relógio atrasando
Tenho um computador com processador Pentium II, com 32 MB de memória RAM e clock de 100 MHZ, rodando em Windows 98, com acesso à internet. O relógio de meu computador está sempre atrasado, inclusive data, com relação às data e hora atuais. Parece-me que ele sempre para na última data e hora em que o computador foi acessado, preciso sempre acessar as propriedades de data/hora no painel de controle para corrigí-los. Gostaria de saber por que isto acontece e o que devo fazer para que não aconteça mais.
Resposta:
Temos algo de errado aqui. Se é Pentium II, não pode ser de 100 MHz. Pode ser um Pentium II com clock externo de 100 MHz, sendo o interno de 350, 400 ou 450 MHz, ou então é na verdade um Pentium comum, com clock de realmente 100 MHz. Este problema ocorre quando a bateria da placa de CPU está fraca. Trata-se de uma bateria de lítio, com 3 volts, em forma de moeda. Existem baterias de níquel-cádmio, em forma de cilindro, soldadas na placa de CPU, mas este tipo caiu em desuso. Você pode comprar esta bateria em lojas especializadas, ou até mesmo em lojas que trocam baterias de relógio. Verifique ainda se no manual da sua placa de CPU existe algum jumper para habilitar/desabilitar o funcionamento da bateria (acho improvável que esteja desabilitada, caso contrário os dados do CMOS Setup seriam sempre perdidos quando o computador é desligado).
2000_13
Bateria de lítio da placa de CPU

6) Problema sério de bateria
Tenho um Pentium MMX 233 Mhz, Drive 24 velocidades, 16 Mb Ram e Mother Board Tx Pro. A um período de 2 meses atrás, perdi meu HD, sendo constatado que o mesmo não poderia ser recuperado. Desde então o micro ficou parado até que consegui um outro HD para substituir o danificado. Foi então que o pior aconteceu. Logo na inicialização aparecia as seguintes mensagens: Cmos Checksum Bad Cmos Display Wrong Battery LOW Press <F1> to run SETUP. Quando pressionava o f1 aparecia a tela do setup e quando saia desta, apenas uma mensagem aparecia, Battery LOw, pedindo novamente para acionar F1, ficando nisto toda vez. Deixei o micro ligado vários dias na expectativa de poder recarregar a bateria, mas não adiantou. Também procurei ajuda especializada, mas sem êxito, pois a minha placa mãe apresenta uma bateria diferente das demais, que apresentam se na forma de “pastilhas”, semelhantes a de relógio, a minha pelo contrario é na forma de um retângulo e pelo que pude constatar é fixa a placa mãe. Sendo assim, fui informado que a mesma não poderia ser substituída, a menos que outra placa mãe semelhante a minha fosse conseguida, para poder aproveitar a bateria desta para uma possível substituição. Diante de todos estes problemas, gostaria de saber o que poderia ser feito.
Resposta:
A figura mostra os três tipos de bateria existentes nos PCs. O primeiro tipo é o de níquel-cádmio. Esta bateria é recarregável. Fica sem carga quando o PC permanece muito tempo desligado (em geral mais de um mês), mas é novamente carregada quando o PC fica ligado durante algumas horas. É soldada na placa de CPU, e sua substituição é um pouco trabalhosa. É preciso retirar a placa de CPU do gabinete, dessoldar a bateria e soldar uma nova. Esta bateria pode durar muitos anos, mas pode apresentar defeito depois de dois ou três anos, sendo necessária a substituição. O segundo tipo é o de mais fácil substituição e o mais comum nas placas de CPU modernos. Trata-se de uma bateria de lítio, em formato de moeda. Não é recarregável e dura de 2 a 10 anos, dependendo do consumo de corrente do chip CMOS utilizado. O terceiro tipo é um chip CMOS com bateria interna. É chamado NVRAM, e tem duração de 10 anos. Se este for o seu, será preciso encontrar na “sucata” eletrônica, uma placa de CPU que utilize um chip idêntico ao seu. Na Rua Santa Ifigênia, em São Paulo, com um pouco de sorte, pode ser possível localizar alguma placa defeituosa com um chip igual. Se for mesmo deste tipo, talvez seja mais simples instalar uma placa de CPU nova.
2000_14
Tipos de baterias: (Níquel-Cádmio; Lítio; NVRAM)

7) Atualização do BIOS
Como faço para atualizar o BIOS da minha placa mãe? O fabricante do BIOS é Award e o chipset é i430VX. Já tentei em www.award.com mas não tiver resposta.
Resposta:
A atualização de BIOS não é responsabilidade do seu fabricante (no seu caso, a Award), e sim, do fabricante da placa de CPU. O BIOS Award é adaptado para diversos modelos de placas de CPU, portanto a versão correta deve ser fornecida por este fabricante, e não pela Award. O site que você deve acessar para atualizar o seu BIOS é www.wimsbios.com. Lá você encontrará o programa CTBIOS, que identificará a marca e o modelo da sua placa de CPU. De posse desta informação você terá um link para o fabricante, onde poderá fazer o download da versão atualizada do BIOS, bem como do programa de atualização. Leia mais sobre o processo de atualização de BIOS no artigo disponível em www.laercio.com.br.

8) Setup em um Notebook
Tenho um Compaq, modelo Armada 1592 de 233Mhz e 3.2 Mb; minha dúvida é se a parte do setup (ajustes) vem gravado no próprio HD ou se há um circuito específico para realizar esta tarefa. Meu equipamento deu problema no HD e não consigo ter acesso ao setup. Onde posso adquirir um HD novo, já que o mesmo está com problemas?
Resposta:
Os notebooks não seguem padrões de hardware, como ocorre com os PCs comuns. A coisa mais segura a fazer é contar com a assistência técnica da Compaq. Em caso de impossibilidade, procure uma assistência técnica especializada em notebooks. Se você quiser resolver o problema por conta própria poderá ter mais dificuldades. A primeira coisa a fazer é descobrir qual é a tecla ou seqüência de teclas que dá acesso ao CMOS Setup. No Meu Notebok Zenith, por exemplo, tenho que teclar Fn+F5 (Como iria adivinhar? Ainda em que está no manual!). Chegando a este ponto você encontrará um Standard CMOS Setup parecido com o de PCs de mesa. Uma outra tentativa que você pode fazer é utilizar programas externos que dão acesso aos dados do CMOS. Posso citar o TweakBIOS, além de outros disponíveis em www.sysopt.com.

9) Apagando o CMOS
Como gerar um curto em uma bateria, para que possa fazer alterações no setup, já que o mesmo encontra-se com senha? O micro é um 486.
Resposta:
Desligue o computador, abra o gabinete e localize a bateria. Em muitos PCs é uma bateria de lítio, em formato de moeda. Basta retirá-la do local e fazer contato entre os dois terminais do seu soquete, usando um objeto metálico, como um clipe ou chave de fenda. Coloque a bateria no lugar e ligue novamente o computador. Se a bateria for de formato cilíndrico (níquel-cádmio), ligue os seus dois terminais usando um clipe metálico. Mantenha o contato durante alguns segundos, retire-o e ligue o computador. Depois de ligado, o PC apresentará uma mensagem de erro indicado que o CMOS está apagado (CMOS Checksum Error). Entre no CMOS Setup e use o comando LOAD BIOS DEFAULT VALUES. Se você não tem experiência com o uso do CMOS Setup, leia meus artigos a respeito, em www.laercio.com.br.

10) Bateria dura pouco
Há cinco meses comprei um computador AMD K6 II 500 Mhz com tudo on-board. Acontece que, desde que o comprei, já troquei a bateria interna três vezes. O computador está literalmente “comendo” as baterias. O modelo das baterias que eu comprei é CR 2032 Panasonic. Gostaria de saber o que pode estar acontecendo, pois tive um computador AMD 586 de 133 Mhz durante quatro anos e nunca tive que trocar sua bateria. Será que eu estou comprando o modelo errado de bateria?
Resposta:
Isso é muito estranho. O modelo de bateria que você está comprando está certíssimo. Vários fabricantes como Sony, Panasonic e Maxwell produzem baterias modelo CR2032, são baterias de lítio com 3 volts, e dependendo da placa de CPU, podem durar mais ou menos. No mínimo duram 2 ou 3 anos, no seu caso estão durando apenas um mês. Sugiro inicialmente que você experimente comprar baterias CR2032 de outro fabricante, em outro lugar. É possível que você esteja usando baterias de um lote defeituoso. Me ajudaria bastante na resposta se você tivesse indicado o modelo da sua placa de CPU. De qualquer forma, na loja onde você comprou o computador você poderá conseguir ajuda. Ou existe algum “macete” para desligar o circuito que está indevidamente consumindo uma bateria a cada mês, ou poderão fazer a troca por uma placa boa, já que isto pode também ser um defeito na placa de CPU. Lembro ainda que as placas de CPU em geral possuem um jumper para indicar se a bateria é recarregável ou não. Se o seu jumper estiver configurado para bateria recarregável (níquel-cádmio), poderá danificar a bateria de lítio, reduzindo bastante a sua vida útil.