Home » Artigos arquivados » 1999 – Utilitários, backup, scandisk, vírus… (Perguntas e Respostas)

1999 – Utilitários, backup, scandisk, vírus… (Perguntas e Respostas)

1) Disquete de backup danificado
Formatei o meu disco rígido, mas antes fiz um backup com o compactador RAR. Porém, na hora de descompactar, o primeiro dos 9 disquetes apresentou erro de leitura. O que posso fazer para recuperar este disquete? O NDD do Norton Utilities diz não ser possível recuperá-lo por não haver espaço suficiente no disquete.
Resposta:
Se foi apresentado erro de leitura (erro físico) em um dos disquetes, certamente um os mais arquivos nele contidos não poderão ser recuperados. A primeira tentativa a ser feita é uma operação de Restore mesmo com erro. Durante a leitura do disquete probemático, será apresentada uma mensagem de erro. Use a opção Ignorar, caso seja apresentada, e anote os nomes dos arquivos envolvidos no trecho errado. Esses arquivos deverão ser descartados, mas todos os demais estarão perfeitos.
Se não for possível ignorar os erros físicos, podemos tentar transformá-los em erros lógicos. Isto não irá recuperar dados danificados, mas poderá pelo menos permitir a leitura pelo programa que faz o Restore. Em outras palavras, os setores do disquete, depois de consertados, poderão ser lidos, não apresentando mais a mensagem de erro de leitura, mas os dados serão inconsistentes. A descompactação será feita, e nos arquivos cujos setores foram “consertados”, será apresentada uma mensagem de erro. Anote o nome desses arquivos para descartá-los depois, já que não podem ser recuperados. Tratemos então de conversão de erros físicos em erros lógicos.
O Norton Disk Doctor não pode fazer milagres. Quando setores ficam fisicamente danificados, seus dados são irremediavelmente perdidos. O que este programa faz é ler arquivos, mesmo com setores defeituosos (ignorando os erros), e transferir o resultado para setores que estejam fisicamente perfeitos. Os dados lá armazenados ficarão adulterados. Se fizermos isto, por exemplo, com um arquivo de texto, o trecho correspondente aos setores recuperados será preenchido com ‘eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee’, ou outros caracteres, mas sempre iguais. Desta forma será pelo menos possível ler os trechos bons do arquivo. Este método não pode ser utilizado para outros tipos de arquivos, como planinhas e gráficos, e principalmente os executáveis. Depois de recuperados devem ser apagados. Os setores defeituosos anteriormente ocupados serão marcados na FAT para que não sejam mais usados.
No caso de um disquete onde foi realizado um backup, o NDD não consegue fazer o seu trabalho, já que não existe espaço disponível (os disquetes são 100% preenchidos nas operações de backup). Podemos entretanto fazer o mesmo trabalho do NDD de outra forma. Basta copiar o conteúdo do disquete problemático para um outro disquete vazio. Usamos por exemplo, o comando COPY do MS-DOS. Quando for feita a leitura dos setores defeituosos, será apresentada uma mensagem de erro (Abortar, Repetir, Ingorar, Falha). Escolhemos a opção Ignorar. Terminada a cópia, o novo disquete terá os setores fisicamente perfeitos, apesar de ter dados adulterados.
Finalmente cabe apresentar uma norma de segurança muito importante: Para fazer um backup, utilize disquetes novos e de boa qualidade. Se você vai apagar os dados do disco rígido e confiar no backup, faça a leitura completa de todos os seus disquetes. Isto pode ser feito simplesmente copiando cada um desses disquetes para um diretório do disco rígido. Eventuais erros serão detectados nesta hora.

2) Anti vírus antes de instalar o Windows 95
Não possuo anti-vírus no meu computador, e quero passar do Windows 3.11 para o Windows 95. Existe alguma vantagem em fazer uma checagem de vírus antes de fazer a atualização, em relação a fazê-lo depois?
Resposta:
Para quem possui acesso à Internet, é fácil obter versões de Shareware de programas anti-vírus, sendo o SCAN o principal deles. Já que o custo é zero, vale a pena fazer a checagem de vírus antes de instalar o Windows 95. Nesta checagem inicial, podem ser até mesmo usados programas anti-vírus próprios para o MS-DOS e/ou Windows 3.x. Depois que o Windows 95 estiver instalado, o anti-vírus a ser usado deve ser específico para Windows 95. Neste caso você poderá obter pela Internet, uma versão do SCAN para Windows 95, ou então adquirir um pacote comercial, como o Norton Anti Vírus. Para quem não tem acesso à Internet, pode ser feita a assinatura anual do SCAN (as atualizações serão enviadas gratuitamente pelo correio, durante um ano) na Compusul (011-5505-1009, fax 011-5505-1006).

3) Memória insuficiente para o Norton Anti vírus
Quando ligo meu computador, aparece a seguinte mensagem de erro:
Verificação de inicialização do Norton Anti vírus. Não há memória suficiente para executar o Norton Anti víros. Libere 19.040 bytes e tente novamente. A verificação do Nave Boot não foi efetuada. Se você tem certeza que isso não pode ter sido causado por um vírus, pressione ENTER para continuar o processo de inicialização do sistema.
Resposta:
Certamente o problema que ocorre está relacionado com a falta de memória convencional (abaixo dos 640 kB) disponível. Para resolver o problema, use no início do arquivo CONFIG.SYS os comandos:
dos=high,umb
device=c:\windows\himem.sys
device=c:\windows\emm386.exe noems

4) Backup de discos de instalação
Qual a melhor forma de copiar para o disco rígido, disquetes de instalação de softwares, não para instalar, mas apenas para manter uma cópia de segurança, recriando o disquete original a partir desta cópia em caso de necessidade?
Resposta:
A cópia de disquetes pode ser feita de diversas formas. Particularmente, realizo esta operação através do programa COPYQM. Ele é capaz de, entre outras coisas, ler todo o conteúdo de um disquete, trilha por trilha, e gerar um único arquivo (chamado “Imagem do disquete”) que contém todos os arquivos, diretórios, arquivos escondidos, áreas de sistema e label (ou rótulo). Também através do COPYQM podemos posteriormente realizar, a partir desta imagem, cópias do disquete original.

5) Usando o PKZIP
Gostaria de saber quais são as opções para zipar um arquivo grande em vários disquetes.
Resposta:
Existe uma versão do PKZIP para Windows, de fácil utilização, capaz de realizar as mesmas funções que a tradicional versão para MS-DOS. Entretanto, a versão para MS-DOS é simples e elegante, ocupando pouquíssimo espaço no disco. O PKZIP.EXE, usado para compactar arquivos, ocupa cerca de 40 kB, e o PKUNZIP.EXE, usado na descompactação, ocupa cerca de 30 kB. Para compactar um diretório C:\DIRET em disquetes a serem colocados no drive A, cada um deles contendo um arquivo DIRETCMP.ZIP, usamos o comando:
PKZIP -&V A:DIRETCMP C:\DIRET\*.*
Esses disquetes devem ter sido previamente formatados. É recomendável, antes de de começar a compactação, gravar no primeiro disquete o programa PKUNZIP.EXE, para que o usuário que receber os disquetes possa realizar a descompactação, caso não possua este programa. A descompactação é feita através do comando:
PKUNZIP A:DIRETCMP C:\DIRET
É preciso que, antes de usar este comando, seja criado o diretório C:\DIRET no disco rígido que receberá o conteúdo do arquivo compactado.

6) Matando o vírus Leandro & Kelly
Ouvi dizer que é possível elimimar o vírus Leandro & Kelly, além de outros como o Michelangelo, usando o programa FDISK. Como devo fazê-lo?
Resposta:
O virus Leandro & Kelly pretence a uma classe especial de vírus chamado de “Vírus do setor de Boot”. Outro virus famoso que também pertence a esta classe é o Michelangelo. Os programas anti-vírus são capazes de eliminá-los, mas existe uma técnica que também pode ser empregada. Basta usar o programa FDISK.EXE, um utilitário do MS-DOS. Use-o na forma:
FDISK /MBR
Este comando provoca uma regravação do setor de BOOT, fazendo com que o seu conteúdo correto seja colocado exatamente na área onde antes estava o vírus.

7) Preocupação com vírus
Qual o anti-vírus mais seguro, que fica residente protegendo contra contaminação de vírus durante o boot e nos acessos normais a arquivos durante a operação do PC?
Resposta:
Segundo pesquisa publicada recentemente, mais de 60% dos usuários de PCs confiam seus dados à proteção do SCAN Anti Vírus. Está disponível em versões para MS-DOS/Windows 3.x e para Windows 95. Este é realmente um anti-vírus muito eficiente, e de fácil obtenção. Você pode adquirir cópias atualizadas com grande facilidade através de BBS (praticamente todos eles possuem sempre a última versão do SCAN), e também através da Internet, em http://www.mcafee.com, pelo sistema de shareware.
Se preferir, pode adquirir este software aqui no Brasil, através da Compusul, ou mesmo em lojas revendedoras de software. Desta forma você receberá durante um ano, através do correio, atualizações deste anti-vírus.

8) Cross linked files
Possuo um IBM Aptiva 550M com 486DX4-100, 8 MB de RAM, disco rígido de 540 MB, CD-ROM 4X, fax/modem de 14.400, PC-DOS 6.3 e Windows 3.1. Quando fui instalar o Norton Utilities 8.0, apareceu a mensagem de erro “Cross linked files”, e o processo de instalação foi abortado. Qual o significado deste erro e o que é preciso para instalar o Norton 8.0?
Resposta:
Você está usando o IBM DOS 6.3, portanto pode usar o Norton Utilities 8.0. Não poderia usá-lo se o seu sistema operacional fosse o Windows 95. Neste caso seria preciso usar o Norton 95.
Para instalar o Norton Utilities, você precisará antes consertar os problemas do seu disco rígido (Cross Linked Files, ou seja, arquivos com referência cruzada. Tratam-se de áreas do disco rígido que são marcadas como se fizessem parte de mais de um arquivo, o que é uma inconsistência na estrutura lógica do disco). Para isto, execute um boot limpo e coloque no drive o Disco 2 do Norton Utilites (Emergency/Data Recovery). Use então o comando:
NDD C: /C
Será executado, a partir do disquete, o Norton Disk Doctor, que fará as correções necessárias na estrutura do seu disco. Depois de terminado, você poderá fazer a instalação normalmente.

9) Defrag não funciona
Tenho um Pentium-100 com dois HDs (1.2 GB e 500 MB), drive de CD-ROM 2X, modem US Robotics 28.800 e Windows 95. Não consigo fazer Defrag no primeiro HD. O programa começa e vai até 10%, e então a máquina trava sem nenhum aviso. O Scandisk não encontrou erros, e também examinou a sua superfície. Vez por outra, o HD começa a fazer leitura por conta própria, sem prejudicar o que estou fazendo, e chega também a testar o drive A, depois sossega.
Resposta:
Quando aparecem problemas no Desfragmentador de Disco (não use o DEFRAG do DOS no Windows 95, caso contrário você perderá todos os nomes longos), o procedimento indicado é fazer um teste completo com o Scandisk. Você não encontrou nada de errado, e portanto é preciso experimentar outras alternativas. Tente usar o Desfragmentador de Disco, mas alterando o método de otimização (basta clicar sobre o botão Avançado para escolher outro método). Os métodos disponíveis são três: defragmentação completa, de arquivos e de espaço livre. Se mesmo assim você não conseguir resolver o problema, recomendo a utilização de uma versão mais avançada do Desfragmentador de Disco, que é o Speed Disk, contido no pacote Norton Utilities para Windows 95.
Você pode ainda fazer alguns ajustes no CMOS Setup para tentar “desengasgar” o seu disco rígido. Altere ambos os discos rígidos para PIO Mode 0. Se os dois discos rígidos estiverem conectados na mesma interface, esta pode ser a causa do problema. Experimente ligar cada um deles em interfaces diferentes. Deixe o maior deles na interface IDE primária, e o menor na secundária, ambos configurados como Master. Se você quiser ligar o drive de CD-ROM na segunda interface IDE, deve configurá-lo como Slave, e o disco rígido desta interface permanecerá como Master, mas precisará ter ativado o seu jumper Slave Present. Para fazer essas alterações, é preciso consultar as tabelas de configurações nos manuais dos discos rígidos. Observe que a ligação do drive de CD-ROM em uma interface IDE só pode ser feita se for realmente um modelo IDE. Todos os modelos modernos são IDE (exceto alguns poucos modelos SCSI), mas podemos encontrar modelos 2X que utilizam interfaces proprietárias, e são ligadas em uma placa de interface, ou na placa de som.

10) Onde está o UNDELETE?
De acordo com informações presentes no site da IDG, é possível recuperar arquivos apagados, usando o programa UNDELETE.EXE, que acompanha o DOS pre-Windows 95. Seria então o UNDELETE que vem com o MS-DOS ou o Windows 3.x? Posso usá-lo?
Não consigo executar o Windows por falta de um aplicativo declarado no SYSTEM.INI, que foi deletado acidentalmente. Não consigo entender as instruções que aparecem na tela, e nem descobrir qual é o aplicativo a que o Windows se refere.
Resposta:
Desde que você não esteja usando a FAT32, pode utilizar o UNDELETE.EXE que acompanha o Windows 3.x ou o MS-DOS 5 ou 6 para “desapagar” arquivos acidentalmente deletados. Note entretanto que a atuação deste programa é bastante restrita. Não serão recuperados, por exemplo, os nomes longos dos arquivos, você terá nomes como ARQUIV~1.DOC. O UNDELETE não terá chances de recuperar com segurança total os arquivos, caso estejam armazenados em forma fragmentada no disco. É conveniente checar o arquivo depois de recuperado. Se for um texto, planilha ou gráfico, ou outro documento qualquer, abra-o com o seu aplicativo e verifique se não está truncado. Se for um executável, pode ser até mesmo perigoso usá-lo caso esteja incompleto. Tente então realizar um boot em modo de segurança, para então executar o programa recuperado. Mesmo assim é perigoso usá-lo. Nesse caso, a melhor coisa a fazer é instalar novamente o software.
Quanto ao problema do aplicativo faltando no SYSTEM.INI, execute um boot no modo MS-DOS, entre no diretório C:\WINDOWS e use o comando EDIT SYSTEM.INI. Você verá logo no início, a indicação [boot], seguida de uma série de linhas de comandos, antes da linha [keyboard]. Algum desses comandos, possivelmente um dos últimos, é a que contem um comando que causa o problema. Tente se lembrar se o nome do comando citado, ou pelo menos o diretório, fazia parte de algum software que você removeu recentemente. Se você se lembra que apagou algum software recentemente mas não consegue descobrir qual é o ponto onde tem problema no SYSTEM.INI, tente remover o referido software pelo comando Adicionar / Remover programas, no Painel de Controle. Se não conseguir removê-lo desta forma, instale novamente o software, e depois remova-o pelo Painel de Controle.

11) Dúvida sobre o Scandisk
Na configuração do SCAN DISK, ferramenta do sistema Windows, gostaria de saber qual a opção deve ser marcada para:
1- Fragmentos de arquivo perdido: liberar ou converter para arquivos?
2- Arquivos de vínculo cruzado: excluir, fazer cópias ou ignorar?
Resposta:
Os problemas encontrados pelo Scandisk, na maioria das vezes dizem respeito a arquivos apagados ou corrompidos. De qualquer forma seria preciso recuperá-los a partir de cópias originais. Os fragmentos de arquivos perdidos (lost clusters) são trechos do disco que foram anteriormente ocupados por arquivos, estão indicados como ocupados na tabela de alocação de arquivos (FAT) como estando em uso, entretanto em nenhum diretório foi encontrado um arquivo que a ele fizesse referência. O procedimento normal é apagá-los, mas como tradição, programas como o Scandisk sempre oferecem a opção de converter para arquivos. No passado, muitos usuários eram capazes de manipular esses fragmentos, depois de transformados em arquivos, até encontrar trechos de arquivos perdidos. Esta operação não é nada fácil para a maioria dos usuários atuais. Seria preciso ter bons conhecimentos sobre fundamentos de informática e números hexadecimais, além de dominar programas como o Norton Disk Editor, usado para “remendar” os fragmentos de arquivos. Nesse caso, seria usada a opção converter em arquivos do Scandisk (serão arquivos de extensão CHK). Nunca tente recuperar por este método, arquivos que não sejam texto. Programas executáveis, planilhas e outros tipos de arquivos terão instruções e dados inconsistentes ao serem parcialmente recuperados.
Arquivos com vínculo cruzado (cross linked files) podem ser recuperados com a opção fazer cópias. Ocorre quando existem trechos do disco aos quais existem dois ou mais arquivos para eles apontandos. É como se o trecho fizesse parte de dois arquivos ao mesmo tempo, o que não é permitido. Quando é usada a opção fazer cópias, os arquivos envolvidos não terão mais vínculos cruzados, entretanto apenas um deles estará correto. O outro (ou os outros) estará com dados inválidos. É preciso examinar posteriormente os arquivos envolvidos para determinar quais estão com dados errados, para depois apagá-los.
As inconsistências na estrutura do disco são detectadas e corrigidas pelo Scandisk e programas similares, mas normalmente os arquivos recuperados estarão com dados errados, ou então ausentes. Mesmo assim é importante usar o Scandisk, pois se os erros continuarem no disco, poderão causar outros erros ainda mais sérios. Em geral essas inconsistências aparecem quando algum programa “congela”, ou então quando o computador é desligado de forma indevida. Por exemplo, desligar ou resetar o computador durante a execução de um programa pode causar erros, devido aos arquivos que estiverem naquele momento sendo gravados. Acostume-se a sempre finalizar os programas, e também finalizar o Windows, antes de desligar ou resetar o computador.

12) Backup do Windows 3.x
Já tentei de várias maneiras e não consigo recuperar, através do Windows 95, um backup feito no Windows 3.11. Gostaria de saber se há alguma forma de conseguir executar esta operação no próprio Windows 95, como também no Windows 98.
Resposta:
Os programas de backup que acompanham o Windows 95 e o Windows 98 não reconhecem dados armazenados pelo backup do Windows 3.x. Na verdade, este backup faz parte do MS-DOS 6.x. Você pode usar em um computador equipado com o Windows 95, o backup do MS-DOS 6.x, que reconhecerá perfeitamente os dados de backup realizados no Windows 3.11. Copie para um diretório \DOS do seu disco rígido, o conteúdo dos disquetes de instalação do MS-DOS 6.x. Execute agora um boot no modo MS-DOS e execute o programa MSBACKUP.EXE. Ao executar pela primeira vez este programa, será feita uma configuração automática e teste de compatibilidade de hardware. Você agora poderá restaurar dados dos seus disquetes de backup. Pode até mesmo fazer backup e transportar os dados resultantes para um computador equipado com o Windows 3.x. O detalhe importante a ser notado é que os nomes longos serão ignorados, ou seja, um arquivo de nome Relatório Anual.DOC aparecerá com o nome RELATÓ~1.DOC. Não recomendo que você assuma a prática de usar este antigo programa de backup. Use-o para recuperar dados de backup antigos, mas migre o mais rápido possível para as novas versões.

13) Segurança no Windows 95
Somos representantes de um software de segurança, Scua Supervisor, que controla todos os acessos dentro do micro para os ambiente DOS, NetWare, NDS ou Windows(3.x, 95, 98 e NT) e talvez isso possa realmente resolver o problema segurança no ambiente Windows. Essa solução é 100% segura. Se ele desejar poderá fazer um download gratuito de um shareware no nosso site para avaliar o produto Scua Supervisor www.seil.com.br
Resposta:
Realmente o Windows 95/98 não oferece mecanismos nativos de segurança. A implantação da segurança pode ser feita através de softwares de terceiros, como o que você cita. Aproveito então para divulgar este software para os nossos leitores.

14) Problemas com o Microsoft Plus
O Microsoft Plus! do meu computador está com defeito, pois ao acessá-lo e mudar as configurações (papel de parede, sons, aparência, etc.), aperto OK e aparece uma mensagem dizendo:
“Este programa executou uma operação ilegal e será fechado. Se o problema persistir faça contato com o revendedor do produto.”
Só que o 3D Pinball, que ja é incluído no Plus!, não apresenta nenhum problema, só apareceu um problema na primeira vez que acessei o 3D Pinball, mostrando a mesma mensagem que aparece no Plus!. O meu Plus! é o do Windows 98. Se eu reinstalá-lo através do programa de instalação que esta gravado no computador, o Plus com defeito será apagado, dando lugar a outro Plus! novo? Vai ocupar mais espaço em disco ou pode afetar algum programa? Afinal, o que devo fazer para o Plus! funcionar normalmente?
Resposta:
Os recursos do Microsoft Plus! lançado para o Windows 95 estão presentes também no Windows 98. Se você possui o Windows 98, não é recomendável instalar a versão para o Windows 95. O 3D Pinball existente no Plus para Windows 95 pode ser instalado separadamente sem causar problemas. Basta proceder normalmente na instalação do Plus e escolher a opção Personalizada. Será então apresentada uma lista com os componentes a serem instalados, na qual você pode selecionar o 3D Pinball e deixar os outros itens desmarcados. Os outros componentes existentes no Plus do Windows 95 são instalados através do comando Adicionar/Remover Programas no Painel de Controle do Windows 98, como por exemplo, o Temas para Área de Trabalho. Os efeitos visuais (suavização de fontes, por exemplo) são ativados pela guia Efeitos do Quadro de Propriedades de vídeo. O Servidor para Rede Dial-Up é instalado através do item Comunicações do comando Adicionar/Remover Programas do Painel de Controle, e assim por diante. Você pode fazer a instalação de uma versão nova sobre uma versão antiga, os arquivos antigos serão substituídos pelos novos. O mesmo ocorre na reinstalação de uma mesma versão, o que resolve problemas quando os arquivos originais estão corrompidos.

15) Dúvidas sobre o Microsoft Plus
Gostaria de saber porque dizem que o MS Plus danifica o computador. Quais são os sintomas?
Resposta:
Se realmente existem problemas, essas pessoas deveriam ter dito quais são eles e quais são os seus sintomas. Simplesmente dizer que um software danifica o computador fica com tom de boato ou de informação imprecisa. Nunca soube de nenhum relato de problemas causados por este software entre as centenas de cartas que recebo mensalmente. A única coisa que talvez possa ser prejudicial são os protetores de tela. Um bom protetor de tela deve manter a maior parte da tela escura, e deixar uma pequena área colorida em movimento. Um exemplo de um bom protetor de tela é o Logotipos Voadores do Windows. O MS Plus possui alguns protetores de tela pouco recomendados, que mantém a tela toda preenchida com cores fortes (por exemplo, anos 60). Esta não é entretanto uma característica típica do MS Plus. Todos os pacotes de software que contém protetores de tela possuem alguns deles que preenchem a tela com muitas cores fortes, bem como outros que mantém a maior parte da tela preta. Cabe ao usuário decidir se quer um protetor mais bonito (muitas cores fortes) ou mais protetor (maior parte da tela escura). Ainda assim não podemos considerar um protetor de tela com cores fortes algo que danifica o computador. Apenas depois de alguns anos a tela de um monitor pode ficar cansada devido a esses protetores. O meu monitor por exemplo trabalha em média 12 horas por dia, e nem chega a descansar a tela, exceto na hora do almoço. Mesmo assim, depois de quase 5 anos de uso, sua tela ainda está em perfeitas condições.

16) Proteção de tela assassina
Em 1994 comprei uma proteção de tela que logo se tornou minha favorita. Essa proteção apresentava alguns problemas na instalação de arquivos JPG. Eu ignorava e a proteção era instalada, cumprindo suas funções normalmente. Um belo dia liguei o PC (486DX4-100 com 8 MB de RAM) e veio a notícia: o arquivo LKSCENES.SCR não foi encontrado. Limpei os arquivos restantes e reinstalei a proteção. Tudo voltou a funcionar. Várias semanas se passaram quando o caos aconteceu, pois liguei o meu computador e nada. O disco rígido teve que ser reformatado, os programas reinstalados, etc. Um colega topou instalar o protetor de tela no seu PC, e a seqüência de acontecimentos foi idêntica. Dentro de alguns meses irei comprar outro computador, e gostaria de saber:
1) O problema é causado por um vírus que não tenha sido detectado pelo meu programa anti-vírus?
2) Sendo o problema no programa protetor de tela, pode ser solucionado?
Resposta:
O problema não parece ser no protetor de tela, talvez injustamente classificado como “assassino”. Observe que o programa funcionou bem durante muito tempo. O arquivo desaparecido pode ser uma conseqüência do desligamento após um travamento do PC. Observe que com a reinstalação deste protetor, o PC funcionou bem durante várias semanas antes do “caos” ocorrer no seu PC.
É possível que este caos tenha ocorrido devido a um vírus que não tenha sido detectado pelo seu programa anti-vírus. As chances disso ocorrer são grandes, caso você tenha o hábito de instalar com freqüência programas cedidos por colegas. Sugiro que você instale o programa VirusScan, de versão mais recente. Pode ser obtido pela Internet (é gratuito, mas será preciso fazer o download sempre que surgir uma nova versão, em http://www.mcafee.com) ou por compra direta (011-866-8355). Por este método, você receberá as atualizações pelo correio, durante um ano.
Problemas de funcionamento no seu protetor de telas podem ocorrer devido ao fato do seu PC original ter pouca memória. Um novo PC com maior quantidade de RAM provavelmente não apresentará este problema.

17) Erro no Smartdrv
Comprei um micro novo e quando ligo, ele mostra esta mensagem:
You cannot Ioad SMARTDrive when a shell program (such as MS-SHELL) or Windows is running. Quit Windwos or the shell program, and then load SMARTDrive.
Resposta:
Se o PC é novo, então provavelmente tem o Windows 95 ou o Windows 98 instalado. Esses sistemas operacionais não exigem o uso do Smartdrv, pois utilizam a sua própria cache de disco. Procure no AUTOEXEC.BAT e no CONFIG.SYS onde está a linha que executa o SMARTDRV e retire-a. Pode ter certeza que no caso desses sistemas operacionais, o SMARTDRV não é executado por default. Se ele está lá é porque alguém (provavelmente o fabricante ou fornecedor) não o configurou corretamente.

18) Scandisk não pode operar
Tenho um micro IBM Aptiva 486 DX2/66, com 16 MB de RAM e disco de 2.1 GB. Quando tento usar o ScanDisk, aparece a seguinte mensagem: “O ScanDisk não pode verificar esta unidade agora, porque o disco não está formatado corretamente, ou porque um programa, como utilitário de disco, bloqueou a unidade. Formate o disco ou aguarde que a execução do utilitário termine e reinicie o ScanDisk.” Se tento usar o Desfragmentador de disco rígido, aparece a mensagem : “Erro ao desfragmentar a unidade de disco C. O Windows não pode desfragmentar esta unidade de disco porque ela contém erros que devem ser corrigidos antes. Clique em AJUDA, siga as instruções para corrigir os erros, e tente desfragmentar esta unidade de disco novamente. Nº de Identificação : DEFRAG004”. Sigo essa orientação e, quando clico em Ajuda, a opção que me é oferecida é rodar o ScanDisk — que não estou conseguindo usar. O que devo fazer?
Resposta:
Para descobrir o utilitário que está bloqueando o disco, pressione Control-Alt-Del sob o Windows. Será apresentada uma lista dos programas ativos. Um deles pode ser o responsável pelo problema. Infelizmente é difícil descobrir a origem de cada um apenas pelo seu nome. Você pode finalizar seletivamente cada um desses programas (basta marcar o programa a ser finalizado e clicar sobre o botão Finalizar Tarefa) e tentar usar novamente o Scandisk. Repita o processo até descobrir qual é o programa que impede o Scandisk de funcionar. Uma vez tendo esta informação, reinicie o Windows, feche apenas o programa que causava problema (Control-Alt-Del e Finalizar Tarefa) e use o Scandisk. Além deste método você pode ainda usar o Scandisk no modo de segurança do Windows, ou então a partir de um boot no modo MS-DOS.
O problema pode ser também causado pelo uso de algum driver LBA, como o EZ Driver e o Disk Manager. Esses drivers são necessários para que discos rígidos com mais de 504 MB funcionem em PCs com BIOS antigos. Muitas placas de CPU equipadas com o 486DX2-66 recaem neste caso. Se for este o caso, você deverá usar o SCANDISK no modo MS-DOS, ou então fazer os reparos no disco usando um outro utilitário equivalente, como o Norton Disk Doctor.

19) Arquivos fixos durante a desfragmentação
Quando desfragmento o disco rígido ele me mostra vários arquivos fixos. O que são esses arquivos?
Resposta:
Esses são arquivos ocultos e arquivos de sistema. Ao serem movidos para outro local poderão causar problemas no Windows, e por isso não são remanejados durante a desfragmentação.

20) Segurança de dados no Windows 95/98
Gostaria de saber qual a melhor forma de aumentar a segurança no departamento pelo qual sou responsável pela circulação de informações, uma vez que trabalhamos em uma rede utilizada por toda a empresa e nossas informações são confidenciais. Um dos meios que já tentei é o compartilhamento do diretório com senha, mas isto não funcionou pois, além da precariedade do Windows 95 em relação à segurança, os programas que uso requerem um tipo de acesso já conseguido através do Windows NT. Porém, após consultar os preços, notei que sua cópia licenciada é muito cara. Haveria no mercado algum software capaz de me dar maior segurança sem que sua aquisição saísse tão cara?
Resposta:
O Windows 9x não é um sistema caracterizado pela segurança. Sendo um sistema para uso pessoal, não traz mecanismos inexpugnáveis para segurança em ambientes de rede, como ocorre com o Windows NT. Existem entretanto produtos que adicionam ao Windows 9x, níveis de segurança compatíveis com os do Windows NT. Um software com essas características é o Scua Supervisor, que pode ser comprado aqui mesmo no Brasil. Você encontrará a sua descrição, informações e versão DEMO para download em http://www.seil.com.br.

21) Como instalar um programa anti-vírus
Como proceder na correta instalação de anti-vírus, sendo que meu computador já pode estar contaminado e vir a contaminar o próprio anti-vírus?
Resposta:
Quando compramos um programa anti-vírus, recebemos um disquete para que seja executado um boot no computador sob suspeita. Desta forma não existe o risco do vírus entrar em ação durante a checagem. Se você obteve o programa anti-vírus por download, faça a sua instalação normalmente. Esses programas são suficientemente espertos para fazerem uma auto checagem, evitando que eles próprios sejam alterados por algum vírus. Se quiser uma segurança ainda maior, depois de instalar o anti-vírus, use o comando de criação de disquete de emergência. Você terá então o mesmo disquete que é fornecido quando o programa anti-vírus é comprado na caixa. Proteja o disquete contra a gravação e use-o para executar um boot no computador. Será então feita a checagem no computador, sem a chance dos vírus serem executados antes do programa anti-vírus.

22) Backup no Windows 95
Estamos usando ainda o Windows 95 e gostaríamos de saber como fazer backup dos nossos arquivos feitos no Word e Excel.
Resposta:
Se você possui muitos arquivos é recomendável adquirir um ZIP Drive. Seus discos possuem capacidade de 100 MB e serão suficientes para armazenar muitos arquivos. O ZIP Drive é acompanhado de um bom programa de backup que atenderá suas necessidades. Se forem utiliza disquetes terá que optar por outro programa, como o Backup do Windows 95. Note que o Backup existente na versão original do Windows 95 apresentava problemas. Você deve obter a versão mais recente do backup em http://www.microsoft.com/windows/downloads/default.asp. O backup poderá então ser feito em disquetes e usando compactação de dados. Dependendo do espaço ocupado pelos seus arquivos e dos gráficos neles contidos, poderá ser necessária uma grande quantidade de disquetes. Note que um único ZIP Disk equivale a mais de 60 disquetes, valendo portanto o investimento, caso os seus dados sejam valiosos.

23) Anti-vírus: comprar ou usar a versão de avaliação?
Seria realmente necessário comprar um anti-vírus? Não basta usar a versão de avaliação? O que difere da versão paga? Qual é o melhor anti-vírus para o usuário comum que acessa a Internet todos os dias?
Resposta:
A versão de avaliação é plenamente funcional, o que é coisa muito rara na indústria de software. A maioria dos fabricantes de software liberam versões de avaliação com várias restrições na sua funcionalidade. Já os fabricantes de programas anti-vírus não querem que as pessoas corram o risco de proliferar vírus pelo fato de não poderem comprar o software. Sendo assim fazem a gentileza de fornecer o software gratuitamente para aqueles que não podem comprar. É claro que muitos podem comprar mas não o fazem pelo fato da versão de avaliação ser plenamente funcional. Felizmente a maioria das pessoas não pensa desta forma, caso contrário o fabricante não teria retorno pela criação do programa, e não existiriam mais versões de avaliação. Na minha opinião o melhor pacote anti-vírus é o VirusScan, obtido em http://www.mcafee.com. Esta empresa possui também o software WebScanX que protege o computador contra vírus e outras hostilidades que chegam pela Internet.

24) Armazenamento compactado
Sou um colecionador de arquivos mas tenho encontrado dificuldades para manter meu acervo por falta de espaço, por isso escrevo pedindo que me forneçam informações sobre compactadores do mais alto grau, mesmo que este programa seja muito lento.
Resposta:
A compactação de arquivos pode ser feita de várias formas. O uso do DriveSpace, presente no MS-DOS 6.x e no Windows 95, cria um disco virtual compactado. O índice de compactação não é dos mais altos, mas o acesso aos arquivos compactados é rápido e direto. Já o Winzip fornece graus mais elevados de compactação, mas é preciso descompactar os arquivos antes de acessá-los.
Compactar pode não ser a melhor solução para o seu problema. Certos tipos de arquivos apresentam grau de compactação muito pequeno. Por exemplo, se você compactar um arquivo gráfico JPG ou GIF, seu tamanho diminuirá no máximo 10%. Arquivos executáveis podem ter seu tamanho mais reduzido, chegando a cerca de 50% do original, mas dependendo dos dados, o grau de compactação pode ser menor. Já arquivos de texto, planilhas e bancos de dados podem ser muito mais comprimidos, em alguns casos ficando 20 vezes menores. O grau de compactação é imprevisível, apenas após a compressão podemos saber o quanto o tamanho ficou reduzido.
Se o seu acervo de arquivos é importante, leve em conta a sua segurança. Você pode por cerca de 500 reais comprar um gravador de CD-R, e gastar menos de 5 reais por disco de 650 MB para armazenar seus arquivos. Como o custo da mídia é muito baixo, você pode fazer mais de uma cópia de cada lote de arquivos. Outra opção é comprar um ZIP Drive por cerca de 200 reais. Seus discos de 100 MB cada custam cerca de 15 reais. Outra opção menos segura mas de acesso mais fácil é instalar um segundo disco rígido. Por 300 reais é possível comprar um disco de 4 GB, provavelmente suficiente para o seu acervo. Poderá ser acessado a qualquer instante e diretamente sem a necessidade de colocar discos ou CDs, mas o grau de segurança é menor: se o HD apresentar defeito, todos os dados serão perdidos (o mesmo que ocorreria se você simplesmente compactasse os arquivos).

25) Scandisk e Desfragmentador
Qual é a diferença entre o Scandisk e o Desfragmentador de Disco? Com qual freqüência devo fazê-los? E qual dos dois devo fazer primeiro? Há uma ordem certa ou prioridade para executá-los?
Resposta:
Ambos os programas são o que chamamos de utilitários de manutenção. O trabalho do Scandisk consiste em corrigir erros na estrutura lógica do disco, bem como na superfície magnética do disco. Quando desligamos o computador de forma indevida (sem usar o comando Desligar), ou quando pressionamos Reset dentro do Windows, ou quando ocorre queda na energia elétrica, gravações que deveriam ser feitas no disco ficam pendentes na memória, o que resulta em inconsistências na estrutura de arquivos. Com o passar do tempo, esses erros podem resultar em efeitos prejudiciais. Instabilidades na rede elétrica (use um estabilizador de voltagem!) podem resultar em setores magneticamente danificados, causando perda dos arquivos que os utilizarem. O Scandisk corrige erros na estrutura lógica do disco e faz um teste na sua superfície à procura de setores defeituosos. Esses setores podem ser consertados através de uma nova gravação, mas quando isto não funciona, o Scandisk faz uma marcação na FAT (tabela de alocação de arquivos) para que não sejam mais usados. É recomendável usar periodicamente o Scandisk. Uma vez por mês é uma boa opção, mas nada impede que você o use semanalmente, ou até mesmo diariamente, se tiver paciência de esperar.
O Desfragmentador de disco faz um trabalho completamente diferente. Seu propósito é arrumar os arquivos no disco de modo que seu acesso fique mais veloz. À medida em que apagamos arquivos de um disco, surgem várias áreas vazias. Essas áreas são posteriormente preenchidas por novos arquivos. Quando um arquivo grande ocupa várias dessas áreas, dizemos que está fragmentado. O arquivo é aberto normalmente, graças ao gerenciamento feito pelo sistema operacional, e o usuário não precisa se preocupar com o fato de um arquivo estar fragmentado ou não. O problema que ocorre é o acesso mais lento. É mais rápido acessar um arquivo armazenado de forma contígua (em uma única região) que espalhado em diversas partes do disco. Para resolver o problema devemos usar periodicamente o desfragmentador de disco. Uma vez por mês é uma periodicidade que traz resultados bastante satisfatórios, mas você pode usar o Desfragmentador com periodicidade menor. Note que o Desfragmentador só pode funcionar quando a estrutura lógica do disco está em perfeitas condições. Por isso devemos sempre usar o Scandisk antes do Desfragmentador de disco.

26) SCANREGW desapareceu
Tenho um Pentium-166 com 16 MB de RAM, HD de 1.2 GB e Windows 98. Quando ligo o computador, uma mensagem diz que o Windows não encontrou o SCANREGW, porém verifiquei o diretório Windows e o dito arquivo se encontra lá. O que devo fazer?
Resposta:
No Windows 98 existem dois arquivos SCANREG. Um deles é o SCANREG.EXE, que opera no modo MS-DOS e fica localizado no diretório \WINDOWS\COMMAND. Este programa é executado automaticamente durante o boot, fazendo uma rápida checagem na integridade do Registro. O outro é o SCANREGW.EXE que opera sob o Windows, e fica localizado no diretório \WINDOWS, também sendo executado na inicialização do Windows. Por alguma razão desconhecida o Windows não está encontrando o SCANREGW, como você citou. Este programa pode estar corrompido, e você deve restaurá-lo a partir do programa SFC.EXE (verificador de arquivos do sistema). Clique em Iniciar / Executar e digite SFC. No quadro apresentado, marque a opção Extrair um arquivo do disco de inicialização e digite SCANREGW.EXE. Deverá ser colocado o CD-ROM de instalação do Windows 98 para que seja feita a extração deste programa. Este procedimento deve ser utilizado para qualquer arquivo de sistema do Windows 98 que esteja em falta ou corrompido.

27) Dúvidas sobre contaminação por vírus
“Para se pegar um vírus de computador não é necessário executar o arquivo infectado, mas simplesmente copiá-lo. Explicação: quando você copia um arquivo, você está executando um programa, o EXPLORER.EXE do Windows, ele é que está lendo os dados para serem copiados e quando ele lê esses dados se infecta e como ele lê tudo o que acontece no Windows, passa o vírus para o PC inteiro”.
Desculpe ser direto assim, mas é que aqui está uma discussão muito grande em cima disso, e então eu gostaria de saber, só para por um fim nisso, se aquelas palavras têm algum fundamento.
Resposta:
Está errado. Realmente é o EXPLORER.EXE o responsável pela realização das cópias de arquivos, mas ele não executa de forma automática aquilo que está copiando. A cópia de um programa contaminado consiste apenas na leitura de uma área para outra do disco, e não ocorre execução alguma deste programa, pelo menos nesta operação. Ou será que ao copiar o arquivo WINWORD.EXE, o Microsoft Word é executado? O EXPLORER não corre risco algum enquanto está apenas copiando arquivos. A contaminação ocorrerá apenas se o arquivo com vírus for executado. No caso de vírus embutidos em arquivos executáveis (EXE, BIN, SYS, VXD, etc.) a contaminação ocorrerá apenas quando forem executados ou abertos (ambas as operações são equivalentes). No caso de vírus de macro (embutidos em arquivos DOC, XLS, etc.), a simples abertura causa a sua “execução”. Tome portanto cuidado ao abrir esses arquivos quando anexados em e-mail ou fazer download a partir de sites não confiáveis. Utilize sempre um escudo anti-vírus como o VSHIELD e o WebScanX do VirusScan para evitar problemas (www.mcafee.com).

28) Erro no registro
Tenho um computador Pentium 100 MHz com Windows 98, 32 de Memória RAM, drive de CD-ROM de 12 X, duas unidades de disco rígido (unidade C com capacidade de 4.3 GB e unidade D com 1 GB). Quando tento fazer um exame de superfície nas duas unidades pelo modo MS-DOS, o exame é iniciado, mas, de repente, é interrompido e a seguinte mensagem aparece na tela: “não existe memória convencional livre suficiente para fazer um exame de superfície. Talvez, seja necessário incluir comentários (rem) em alguns drivers de dispositivo de seu arquivo Config.sys Você pode também carregar o driver EMM386.EXE no Config.sys para carregar outros drivers de dispositivo em blocos de memória superior (UMBs), usando declarações DeviceHigh=”. Eu saio do Scandisk, dou o comando para entrar no Windows e, antes dele entrar, exibe outra mensagem: “o Windows não pode processar o registro. Isto pode ser corrigido inicializando o computador em modo MS-DOS e executando scanreg/fix. Caso contrário, pode não haver memória convencional livre o suficiente para carregar o registro corretamente”.
Resposta:
A falta de memória convencional para executar o Scandisk no modo MS-DOS é normal, e é realmente preciso utilizar comandos de gerenciamento de memória no CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT para aumentar a quantidade de memória convencional livre. Além deste problema, existe um erro no registro do Windows, e você precisa consertá-lo através do programa SCANREG.EXE, no modo MS-DOS. Para isto execute um boot no modo MS-DOS e use o comando SCANREG/FIX. Se isto não resolver o problema, use novamente o SCANREG sem a opção FIX e use o comando Restaurar Registro. Escolha uma versão do registro mais antiga que a atual. Com um pouco de sorte esta versão poderá estar isenta de erros, e depois de restaurada você poderá iniciar o Windows.
Observe que os problemas no registro podem ter várias origens, e uma delas, muito comum, é o defeito de hardware. Recomendo que seja feito um check-up de hardware no seu computador. Para isto você pode usar o programa Norton Diagnostics, que faz parte do Norton Utilities, ou usar o PC-Check, obtido em www.eurosoft-uk.com.

29) Backup no Windows 95
Possuo o Windows 95 em minhas máquinas 586, Pentium 133 e 166. Porém, tenho uma dúvida quanto ao backup do Windows 95. Instalei o utilitário mas ele só reconhece backup em fita. Como fazer para reconhecer e disponibilizar o drive a ou b ou mesmo o C. Dentro das opções existe a de reconhecer fita, que nunca acha nada. Como devo proceder?
Resposta:
O Backup do Windows 95 reconhece apenas alguns poucos modelos de unidades de fita, ao contrário do Backup do Windows 98, que reconhece a maioria dos modelos disponíveis no mercado. Se o seu computador não possui uma unidade de fita, ou então possui uma que não está entre os modelos reconhecidos pelo Backup do Windows 95, então a janela do programa não mostrará unidade de fita alguma. Para direcionar os dados para um drive de disquetes ou mesmo para o disco rígido, marque primeiro os arquivos a serem salvos no backup. Depois de indicados os arquivos, use o botão Próximo Passo, e você terá uma lista com os drives instalados no computador. Selecione então o drive de disquetes ou qualquer outro drive existente no seu computador (que permita gravações, é claro).

30) Uso simultâneo de vários anti-vírus
Tenho em meu PC alguns antivírus – Winguard, Dr. Solomon e Vshield VirusScan. Gostaria de saber se existe alguma vantagem ou se é prejudicial, pois depois da instalação dele e de alguns jogos, meu PC, que é um Celeron 300, passou a travar algumas vezes e a emitir barulhos estranhos.
Resposta:
Não, um anti-vírus não causa problemas ao PC, mas a instalação de três deles ao mesmo tempo pode causar problemas. O problema é que cada um desses pacotes instala junto um escudo anti-vírus. Trata-se de um software que monitora todos os acessos a disco, identificando vírus antes de serem executados ou replicados. Se você instalou vários programas anti-vírus, provavelmente está com vários escudos anti-vírus ativos, causando lentidão e mesmo travamentos. Deixe habilitado apenas o escudo anti-vírus do pacote mais atualizado e desabilite os outros dois.

31) Scandisk nunca termina
Tenho um Pentium 233MHz com 16MB e estou com um problema tanto no Scandisk como no Desfragmentador de disco. Meu computador nunca termina de fazer a tarefa. No Scandisk (verificando a unidade C), o computador começa verificando a “tabela de alocação de arquivos”, depois verifica as pastas e volta novamente para a verificação da tabela de alocação de arquivos. Nunca termina de verificar erros no disco C e sei que algo está errado porque já usei o Scandisk no meu computador e ele erminava a tarefa com sucesso. Já o desfragmentador, começa desfragmentando a unidade C até 1%, às vezes vai até 5%, mas sempre volta para 0 e nunca chega a 100%. Qual é o problema?
Resposta:
Evite usar o computador enquanto o Scandisk ou o Desfragmentador estiverem trabalhando. Quando ocorrem acessos a disco feitos por outros programas, esses realmente abortam e voltam ao início. O Desfragmentador também precisa que o disco esteja isento de problemas na sua estrutura lógica, portanto para que possa ser usado é preciso que o Scandisk tenha corrigido todos os problemas do disco. Comece então utilizando o Scandisk, e deixe que trabalhe sozinho, não use o computador enquanto este programa estiver operando. Se mesmo assim o Scandisk ficar perdido, reinicie o computador em modo MS-DOS e use o Scandisk na versão DOS (basta digitar SCANDISK). Terminadas as correções, volte ao Windows e use o Desfragmentador.

32) Alarme falso na detecção de vírus
Tenho um problema com um HD Samsung de 4.2 GB o que acontece é o seguinte: Quando vou instalar o Win98 uso o disquete de instalação da seguinte forma uso o fdisk, crio a partição, formato o HD mas quando reinicio o computador e dou o boot pelo HD o BIOS acusa ter um vírus no HD, fico sem entender, já que o HD não contem nenhum arquivo a não ser os de sistema, mas o disquete que eu usei na instalação está livre de vírus pois foi verificado com o VirusScan mais recente, a mensagem não mostra qual é o maledito vírus. estou sem solução por favor se tiver alguma solução

Resposta:
Os BIOS dos PCs modernos podem detectar uma tentativa de contaminação por vírus, mas de forma bastante simplificada. Esta detecção é baseada na monitoração das operações de gravação na trilha zero do disco rígido, local onde fica armazenada a tabela de partições e o setor de boot. Em uso normal, programas não fazem gravações nesta área, portanto o vírus conclui que existe grande chance de se tratar de um vírus. Ocorre que existem outros programas que fazem gravações nesta área e não se tratam de vírus, como por exemplo, o FDISK, o FORMAT e o programa de instalação do Windows. Poderíamos então ficar na dúvida, será que realmente é um vírus ou um alarme falso? Para tirar a dúvida, a melhor coisa a fazer é utilizar o disquete de emergência de algum programa anti-vírus, de versão mais atual possível. Este disquete é gerado por um comando apropriado (para instruções sobre o uso do VirusScan, consulte artigo na área de artigos deste site). Devemos então executar um boot com este disquete e o disco rígido será checado. Como você fez isto e não foi detectado vírus, fica então caracterizado o alarme falso. Para prosseguir com a instalação do Windows sem as mensagens de alarme falso, vá ao CMOS Setup e desabilite o item “Vírus Check” ou “HD boot sector vírus detection”. Terminada a instalação do sistema operacional, habilite novamente este item do CMOS Setup.

33) Formato dos arquivos gerados pelo Norton Disk Doctor
Em que formato o Norton salva os arquivos que ele consertou?
Resposta:
Arquivos recuperados pelo Norton Disk Doctor são uma cópia do arquivo original, com o nome adaptado para o formato FILEnnnn._DD. Observe que esses arquivos não estão na verdade consertados, e sim, “remendados”. Se forem arquivos de texto você poderá abri-los, e no local onde estava o defeito você encontrará uma seqüência de caracteres inválidos. Será possível consertar manualmente o texto a partir de uma listagem, caso exista. Não será possível utilizar arquivos “consertados” pelo Norton Disk Doctor que sejam de outros tipos, como executáveis, gráficos, planilhas, etc. O backup continua a ser a maior proteção para os dados.

34) Divisão de arquivos em vários disquetes
Como dividir arquivos grandes em vários disquetes sem zipá-los?
Resposta:
O método mais simples para dividir um arquivo grande em vários disquetes é usando utilitários como o PKZIP ou o WINZIP. Além de fazer a divisão em vários disquetes, é feita a compactação, o que resulta em um menor número de disquetes. Uma outra forma de fazer esta divisão é utilizando o programa Backup que acompanha o Windows. Basta selecionar como origem o arquivo a ser transferido para disquetes e como destino o drive A. Será feito o backup com a divisão do arquivo pelos disquetes. Para transferir o conteúdo desses disquetes para outro computador é preciso utilizar o comando Restaurar do programa Backup.

35) Cópia de um arquivo grande dividido em vários disquetes
Estou tentando copiar um arquivo cujo tamanho é aproximadamente 3000 kB. Ao iniciar a cópia, surge a mensagem: “O arquivo que está sendo copiado é grande demais para a unidade destino. Se possível insira um disco de alta capacidade”. Gostaria de saber como fazer a cópia para disquete de arquivos maiores que a sua capacidade, sem ter que usar um compactador.
Resposta:
A melhor forma de fazer esta cópia é realmente usando um compactador. O Winzip é o melhor deles, mais fácil de usar. Pode ser obtido gratuitamente pela Internet em vários sites (por exemplo, http://www.shareware.com). O seu comando de compactar pode ter especificado como destino, o drive de disquetes. O programa pedirá a colocação de disquetes adicionais caso seja necessário. Para ler os disquetes em outro computador será preciso que este também possua o Winzip instalado. Uma outra forma de fazer a distribuição de um arquivo em vários disquetes é usando o programa Backup que acompanha o Windows 95/98. Selecione o arquivo a ser copiado e comande um backup para disquetes. O arquivo será distribuído em disquetes. Este programa também utiliza compactação de dados, portanto o número de disquetes poderá ser bastante reduzido. No computador destino, o programa Backup também deve estar instalado para fazer a leitura desses disquetes, através do comando Restore.