Home » Artigos arquivados » 1999 – Desempenho (Perguntas e Respostas)

1999 – Desempenho (Perguntas e Respostas)

1) Upgrades de memória e de vídeo não acabaram com a lentidão
Tinha um Pentium-100 com 16 MB de RAM, trabalhando com alguns programas relativamente pesados ou editando arquivos grandes. Estava lento. Fui aconselhado a colocar mais 16 MB de RAM, enquanto outras pessoas me diziam que de nada adiantaria, já que entre 16 e 32 MB não sentiria qualquer diferença de velocidade. Paguei para ver e não mudou nada. Com 32 MB ele continua como antes, principalmente quando executo alguns programas em DOS ou quando imprimo algo. Percebo que o problema deve ser relativo ao vídeo, já que ele demora para mudar as imagens de uma janela para outra. Tenho uma placa de vídeo Trident. Fui informado que a melhor placa de vídeo que existe é a Diamond Stealth. Comprei uma também de 2 MB e não mudou nada. Vendo que não melhorou, voltei a usar a Trident. Há solução?
Resposta:
A expansão de memória só resolve o problema de lentidão quando esta é causada por insuficiência de memória. Se com 16 MB, você estivesse utilizando programas que manipulam arquivos gráficos muito grandes, exigindo, digamos, 20 MB, o Windows utilizaria a memória virtual, que consiste em simular memória em uma área do disco rígido (arquivo de troca, ou swap file). Sua lentidão certamente não estava sendo causada por isso, já que o aumento para 32 MB não mudou nada. A lentidão da placa de vídeo pode ser resolvida com a instalação do driver SVGA que a acompanha, já que os drivers que a Microsoft incluiu no Windows 95 têm baixa eficiência.
Você percebe de forma subjetiva que o micro está lento. Para ter certeza, é preciso fazer uma medida precisa. Use por exemplo o Norton Sysinfo 95, um programa medidor de desempenho que faz parte do Norton Utilities para Windows 95. Existem outros programas medidores de desempenho, mas você deve usar um que seja específico para o Windows 95. Esses programas comparam o desempenho do seu processador com o desempenho médio de processadores semelhantes. Um Pentium-133 apresenta no Norton SI 95, um índice entre 29 e 35. Valores muito abaixo desses indicam que realmente existe um problema grosseiro. Em geral dois motivos causam este problema: o botão Turbo não está corretamente ligado, ou a placa de CPU não possui memória cache externa (ou a possui mas está desabilitada no Setup). Se a sua placa de CPU não possui memória cache externa (no tempo em que o Pentium-100 era comum, as placas de CPU utilizavam a memória cache externa na forma de um módulo COAST), providencie a sua instalação. Se a cache externa não estiver presente, um Pentium-133 pode ficar com o desempenho inferior ao de um Pentium-75.
Vale ainda lembrar que é normal a degradação de desempenho quando o computador está imprimindo e executando outros programas simultaneamente. Aproveite também para ler o artigo sobre aumento do desempenho do processador, na área de artigos deste site.

2) Pentium-200 MMX não apresenta vantagens sobre o Pentium-200 comum.
Comprei um processador Intel MMX 200 na esperança de fazer uma atualização de um Pentium-200, utilizando a mesma placa mãe. Notei que não tive muito ganho no desempenho com este processador. Existe alguma incompatibilidade entre placas já existentes e o processador MMX? Minha placa mãe é uma Triton i430VX. Fiquei sabendo também que o processador MMX necessita de uma voltagem dupla de 2,8 volts. Esta minha placa mãe possui esta voltagem?
Resposta:
Antes de mais nada, confirme no manual da sua placa de CPU se a mesma suporta o Pentium MMX. Se tiver sido instalado indevidamente, poderá ser danificado devido ao uso de voltagem errada. Quanto ao aumento de desempenho, é importante saber que não é tão imediato. O Pentium MMX possui uma cache interna de 32 kB, duas vezes maior que a do Pentium comum, e isto lhe garante um desempenho discretamente maior. O grande aumento de desempenho oferecido pelo Pentium MMX será verificado quando forem executados programas que fazem uso das 57 novas instruções MMX. Para softwares “não MMX”, não existirá diferença significativa no desempenho, apenas a proporcionada pela sua memória cache maior.

3) Cache externa da IBM, só da própria IBM
Tenho um um IBM Aptiva K40 (Pentium-75). Com o passar do tempo descobri que podia otimizá-lo colocando uma cache de 512 kB. Comprei dois módulos de 256 kB de acordo com as especificações do manual. Mas não funcionou: com 256 kB, a máquina funciona mas não reconhece a memória, e com 512 kB o computador não chega nem ao BIOS Setup. Liguei para o suporte da IBM e fui informado que só poderia usar memória cache da própria IBM. Bem, o preço de cada módulo é aproximadamente seis vezes maior. O que posso fazer para usar uma memória cache sem que tenha que pagar tão caro?
Resposta:
Existem dois tipos de módulos de cache, sendo um do tipo assíncrono, próprio para 486, e outro conhecido como “Pipelined Burst Cache”, próprio para o Pentium. Pergunto se você tem certeza de que adquiiru módulos corretos. Confirme na loja, e tente fazer a troca, se for o caso.
Entenda também que qualquer PC, ao ser comprado, deve ser acompanhado de memória cache. Sem ela, o desempenho de um PC é extremamente prejudicado. Uma cache externa de 256 kB é quase tão boa quanto uma de 512 kB, mas a ausência de cache externa pode provocar quedas de desempenho de, em média, 30%.
Antes de comprar um PC, procure verificar se as expansões permitidas podem utilizar componentes de mercado, ou se é obrigatório o uso de peças exclusivas do seu fabricante. Isto ocorre muito com os notebooks, mas em PCs desktop, este “casamento” com o fabricante é tecnicamente injustificável.
Não garanto que as explicações que você recebeu do suporte estão corretas, portanto é até mesmo possível que memórias padrão funcionem. De qualquer forma, fica aqui registrada a sua experiência, o que tornará os leitores mais cautelosos.

4) Desempenho de um Pentium-166
Tenho um Pentium-166, placa mãe Tomato com chipset Intel i430VX, 256 kB de cache pipeline burst e 64 MB de DRAM. Medi o desempenho com o Norton Sysinfo para Windows 95, e o índice obtido foi 36, não é pouco? No mesmo programa, a título de comparação, um Pentium-90 apresenta o valor 20,4. Desativei o cache externo no CMOS Setup e o resultado caiu para 18, já esperado. É esse mesmo o valor esperado para minha máquina? Aumentando o cache para 512 kB, o índice aumentará proporcionalmente? Substituindo a memória por EDO, ocorrerá melhoramento no resultado? O manual da placa de CPU diz que além de compatível com o Pentium comum, a placa também suporta o Pentium P55C (MMX). Vale a pena trocar minha placa de CPU por uma equipada com o i430TX?
Resposta:
Tenho aqui um PC similar ao seu, mas com DRAM EDO e com 512 kB de cache, e o índice marcado no Norton Sysinfo para Windows 95 é 39,9, portanto o seu não está assim tão baixo. Espere um aumento de 36 para cerca de 40 com o aumento da cache para 512 kB (tem que ser do tipo Pipelined Burst Cache) e com a troca da DRAM FPM por EDO. Acho estranho o fato do seu PC usar DRAM FPM. Quando o Pentium-166 tornou-se comum e as memórias ficaram baratas, já era difícil encontrar à venda DRAM FPM, e era grande a predominância da DRAM EDO. Verifique se o seu fornecedor pode trocar seus módulos FPM por EDO sem ônus, já que os módulos FPM já haviam caído em desuso quando você comprou o seu PC. Melhor ainda, se a sua placa possui soquete para SDRAM de 168 pinos, dê preferência a este tipo, que apresenta desempenho ainda mais elevado que a DRAM EDO. Placas equipadas com os chipsets i430VX e i430TX em geral possuem local para instalação de SDRAM.
Sua placa de CPU suporta o Pentium MMX (P55C). Muitas placas de CPU produzidas por volta de 1997 são equipadas com o chipset i430VX, como é o caso da sua, mas existem outras que usam o i430TX. Ambos suportam o Pentium MMX, mas esta não é uma característica do chipset, e sim, das voltagens que alimentam o microprocessador. Não é necessário trocar a sua placa de CPU por outra que possua o i430TX, as suas vantagens sobre o VX não são muito significativas. Apenas se você quiser instalar um processador mais moderno, como o AMD K6-2 ou o K6-3, será necessária a substituição da placa de CPU por outra mais moderna.

5) Velocidade de um Cyrix 6×86 P120+
Possuo um micro 6×86 de 120 MHz, Cyrix, e gostaria de saber se ele é realmente tão rápido quanto os testes demonstram (índice 814 no Norton Sysinfo 8.0), pois em jogos que exigem muita velocidade, como o GP2, ele deixa muito a desejar.
Resposta:
Não se assuste com índices de velocidade apresentados pelos processadores Pentium e superiores ao utilizar o Norton Sysinfo para MS-DOS. Essas medidas não correspondem à realidade e são válidas apenas quando realizadas sobre processadores 486 e inferiores. Normalmente, esses índices são obtidos marcando-se o tempo necessário à realização de uma grande quantidade de multiplicações. Se um microprocessador faz as multiplicações 5 vezes mais rápido que o Pentium, não significa que será 5 vezes mais rápido em outras operações. Por isso você encontra um índice tão elevado, mas seu desempenho em um jogo sofisticado como o GP2 não é tão espantoso. O Cyrix 6×86 P120+, apesar de ter um desempenho médio ligeiramente superior ao de um Pentium-120, não opera na verdade com 120 MHz, e sim, com 100 MHz.

6) Desempenho de um 486DX4-100
Estou preocupado com o desempenho do meu computador, indicado pelo Norton SI para Windows 95. Li em algum lugar que ele deve fazer mais de 13 pontos, mas o meu indicou apenas 9,4. Já no Norton Sysinfo para MS-DOS, o índice obtido foi 198, bem mais próximo do valor que deveria dar (216). Meu computador é um 486DX4-100, 256 kB de cache, 16 MB de RAM, disco rígido de 850 MB, placa de vídeo VLB com 1 MB, kit multimídia Discovery 4X e BIOS Award, usando o Windows 95. Outra coisa, o Sysinfo diz que o barramento é ISA, mais eu já vi que tem 3 slots VLB. Isto faz alguma diferença?
Resposta:
O desempenho de um microprocessador depende de vários fatores, mas os principais são:
1) Do próprio microprocessador
2) Da memória cache
3) Da memória DRAM
Os programas medidores de desempenho para MS-DOS, como é o caso do Norton Sysinfo 8.0, levam muito mais em conta o o microprocessador, e menos em conta a memória. Para execução de aplicativos que operam sob o MS-DOS, uma cache de 256 kB torna o desempenho dos programas praticamente independente da memória DRAM, já que a maioria dos acessos são feitos na cache. Por isso, existe pouca diferença entre os desempenhos de computadores diferentes, desde que ambos possuam memória cache e que ambos usem o mesmo microprocessador, com o mesmo clock. O mesmo não ocorre com os programas para Windows. São usados programas muito grandes, que manipulam arquivos de grande tamanho, e isto aumenta a quantidade de acessos à DRAM, em comparação com os acessos à cache. Nesse caso, o desempenho da DRAM tem uma influência muito maior no desempenho global do processamento. Apeasar dos microprocessadores mais modernos serem bem mais velozes, a memórias não acompanham diretamente esta velocidade. Por esta razão, quando medimos o desempenho de um PC com um programa de benchmark para MS-DOS, como é o caso do Norton Sysinfo 8.0, encontramos um desempenho elevado, dentro dos padrões esperados, e o mesmo computador pode apresentar um desempenho baixo se usarmos, por exemplo, o Norton Sysinfo para Windows 95. Por isso também, encontramos tanta variação no desempenho de computadores teoricamente iguais. Ao usar o Sysinfo 95 em um 486DX4-100, você poderá encontrar um desempenho tão baixo como 9.0, ou tão alto como 14.0. A velocidade da DRAM é o principal fator que influencia o resultado. Uma forma de resolver o problema é tentar diminuir no CMOS Setup, os ítens “DRAM Read Cycle” e “DRAM Write Cycle”. Quanto menores forem os valores, mais elevado será o desempenho, porém, maior será o risco da memória não funcionar corretamente, por excesso de velocidade. Um 486DX4-100, para obter um índice de 14.0 com o Norton Sysinfo, deve possuir 256 kB de memória cache com a melhor velocidade possível (em geral, 15 ns de tempo de acesso), para permitir que os ciclos de leitura da cache sejam mais rápidos, e uma DRAM rápida, com 60ns, e não 70, permitindo que os ciclos de leitura e da escrita da DRAM sejam mais rápidos.
Infelizmente, ao comprar um computador, dificilmente temos condições de fazer medidas rigorosas no seu desempenho. Um PC é vendido, como por exemplo, “486DX4-100”, ou “Pentium-133”, ou qualquer outro microprocessador com qualquer outro clock, porém não temos condições de saber previamente se o PC está equipado com memórias rápidas. Mesmo que seja informado que o PC usa memórias de 60 ns, é possível que a placa de CPU, devido ao seu projeto, não consiga uma eficiência de 100% no desempenho do microprocessador.
Por fim, é normal o Norton Sysinfo informar a existência de barramento ISA, mesmo que existam também slots VLB.

7) Desempenho de um Pentium-100
Meu PC é um Pentium-100 com 32 MB de memória. Segundo o seu livro, o sen índice de desempenho medido pelo Norton SI 95 deveria ser de 24, ou apresentar uma diferença de no máximo 10% deste valor. Meu PC apresenta o índice 17,5. Muito lento. Quais seriam as configurações indicadas para o AUTOEXEC.BAT e CONFIG.SYS? Ou será que o problema está na memória cache?
Resposta:
Uma queda de desempenho, de 24 para 17,5 (31%) é inaceitável. Este mais parece o desempenho de um Pentium-75. Degradações desta ordem ocorrem quando o CMOS Setup está mal feito, ou então quando não existe memória cache externa.Se este PC não possui cache externa, provavelmente possui um soquete para a instalação de um módulo de cache. Compre então um módulo de 512 kB e instale neste soquete. Dê também uma olhada no artigo sobre Desempenho de Placas de CPU, na área de artigos deste site.

8) Software que acelera a CPU?
Fui informado que existe um programa chamado TME que acelera o desempenho de qualquer processador Intel, através da reprogramação de suas portas lógicas, usando métodos mais eficientes. Usei-o em um 486DX2-66, e seu índice passou de 139 (medido pelo Norton Sysinfo) para 260, ficando quase duas vezes mais veloz.
Resposta:
O programa “TME” é um trote, assim como diversos outros programinhas similares. Esses programas fazem uma alteração na velocidade do clock que marca o tempo. É como se o tempo passasse a contar duas vezes mais devagar. Programas que medem o desempenho do micro, como é o caso do Norton Sysinfo, realizam diversas operações e marcam o tempo consumido. Com o tempo passando duas vezes mais devagar, tudo se passa como se o número de instruções por segundo ficasse maior. Não é possível “reprogramar portas lógicas no interior do microprocessador” com diz a sua carta.

9) Desempenho baixo em PCs 486
Tenho um PC 486DX2-66 e outro 486DX4-100, ambos com 256 kB de cache. Seus índices de velocidade medidos com o Norton Sysinfo 8.0 foram 110 e 138, respectivamente. Acho que estão abaixo da média, e gostaria de saber o que posso fazer para melhorar.
Resposta:
Seus equipamentos deveriam apresentar, em uma situação ótima, índices de 144 e 216, respectivamente. Como é comum encontrar pequenas diferenças nesses índices, você deveria ficar tranqüilo se obtivesse índices de no mínimo 129 e 196, respectivamente. Seu PC 486DX4-100 está com desempenho de 66 Mhz, enquanto seu 486DX2-66 aproxima-se mais de um DX2-50. Isto não deveria ocorrer, ainda mais levando em conta que ambos possuem 256 kB de memória cache, o que é recomendável em qualquer 486 honesto. Isto provavelmente ocorre devido a um CMOS SETUP mal feito. O ítem do SETUP que tem maior impacto sobre o desempenho é o “ciclo de leitura da cache”, que normalmente aparece com nomes como “Cache Read Cycle”. Podemos encontrar este ítem no “Advanced Chipset Setup”. Normalmente este ítem possui opções como:
2-1-1-1
3-1-1-1
2-2-2-2
3-2-2-2
Quanto menores forem os valores usados, mais rápido será o acesso à memória cache. Procure então usar a opção “2-1-1-1”. Com certeza você chegará aos índices esperados, mas existe aqui um problema em potencial: se a sua memória cache não for suficientemente veloz, o micro poderá “travar”. Caso você realmente consiga a melhoria esperada no desempenho do micro, use-o durante alguns dias com cautela até que você se certifique que a alteração foi segura. Se você possui o Norton Utilities, use o teste de memória que faz parte do programa NDIAGS (Norton Diagnostics), o que é uma forma mais segura de estar certo de que a alteração funcionou bem.

10) Demora na partida do Windows 95
Meu computador é um vira-lata sem pedigree, Pentium-100 com 16 MB de RAM, disco rígido de 850 MB, Sound Blaster, CD-ROM 4X, fax/modem US Robotics 28.800, monitor Goldstar e impressora HP 850C. Removi o MS-DOS e o Windows 3.1, formatei o disco rígido e instalei o Windows 95. Notei que o tempo gasto desde o instante em que ligo o computador até aparecer a tela gráfica do Windows 95 é muito longo, aproximadamente 45 segundos. Isto é normal? Uma amiga tem um Pentium-75 que executa o boot bem mais rápido.
Resposta:
O longo tempo gasto na inicialização do Windows 95 é normal. Por exemplo, em um certo PC do meu laboratório (5×86-133, 16 MB, CD-ROM, etc), o tempo decorrido entre a mensagem “Iniciando o Windows 95” e o término da formação da tela gráfica do Windows 95 é de 40 segundos. Uma das formas de melhorar este tempo é fazendo uma desfragmentação, usando por exemplo, o programa Desfragmentador de Disco que acompanha o Windows 95 (Iniciar / Programas / Acessórios / Ferramentas do Sistema). O fato do computador da sua amiga demorar menos tempo, mesmo sendo mais simples, não é anormal. Em geral, quanto mais dispositivos e programas instalados possuir um PC, mais demorada será a inicialização do Windows 95.

11) Cache de 256k x cache de 512k
Qual é o ganho de velocidade que uma cache de 512k tem em relação a uma cache de 256k?
Resposta:
Não existe uma forma simples de medir o ganho de velocidade de uma cache de 512 kB em comparação com uma cache de 256 kB, pois este ganho depende de vários fatores. Digamos que um computador sem cache externa, apenas com DRAM, não chega a obter 70% do desempenho máximo do microprocessador. Um desempenho de 100% só seria obtido se a DRAM tivesse a mesma velocidade da cache, o que não ocorre. Entretanto, 256 kB de cache interna já garantem mais de 90% deste desempenho máximo, e 512 kB oferecem um rendimento ainda maior, mas ainda assim menor que 100%. Se você ainda não comprou o computador, recomendo que opte por 512 kB, ao invés de 256 kB de cache externa. Para quem já possui um Pentium com 256 kB de cache, aviso que a expansão para 512 kB é possível, mas não deve ser esperado um ganho significativo (em geral menor que 10%), que pode não compensar o trabalho.

12) Desempenho de um Pentium-120
Meu computador é um Pentium-120, com 256 kB de cache e 8 MB de RAM (60 ns). O Norton Sysinfo 95 mostra um índice de velocidade baixo (20,5), similar ao de um Pentium-90. O que posso fazer para ajustá-lo?
Resposta:
O Pentium-120 deveria marcar algo em torno de 28 com o Sysinfo 95, e não 20,5 como ocorreu no seu caso. Isto pode ser melhorado através de ajustes no CMOS Setup. Posso sugerir que você tente desabilitar o Power Management e diminuir os valores dos números relacionados com o acesso à memória, mas tome cuidado, pois apesar de normalmente oferecer mais velocidade, pode deixar o computador operando de forma instável.
Leia na área de artigos deste site, o artigo “Acelerando o desempenho da CPU”, onde você certamente encontrará dicas muito úteis para resolver seu problema.

13) Pentium-200 MMX x Pentium-133
Tenho um Pentium-200 MMX com chipset Triton 2 HX e 512 kB de cache. Usei o Wintune96 para medir o desempenho, e os resultados foram bons comparados com outros PCs de mesma classe: 199 MHz clock rate, dhrystone 373 MIPS, whetstone 103 MFLOPS. Mesmo assim, não estou achando mais veloz que o meu antigo Pentium-133. Gostaria de saber se posso estar com algum problema.
Resposta:
As medidas que você realizou pelo Wintune mostram-se coerentes com as de um Pentium-200 MMX. Isto indica que a lentidão do seu PC não está sendo causada pelo microprocessador nem pela memória. Em muitos casos, a lentidão de um PC é causada pelo disco rígido. É fácil observar este efeito. A lentidão ocorre justamente durante o carregamento de programas e operações de leitura e gravação de arquivos. A primeira coisa a fazer é realizar alguns ajustes no CMOS Setup, relacionados com as transferências de dados do disco rígido. São eles:
Pio Mode: Usar PIO Mode 4
IDE Block Mode: Enabled
IDE 32 bit Transfers: Enabled
Esses ajustes devem ser feitos individualmente para cada disco rígido físico instalado (Primary Master, Primary Slave, Secondary Master, Secondary Slave). A outra providência a ser tomada é uma desfragmentação no disco rígido (ou discos rígidos). Você pode usar para isto, o programa Desfragmentador de Discos (Iniciar/Programas/Acessórios/Ferramentas do Sistema) que acompanha o Windows 95. Com essas pequenas providências, você passará a ter velocidade satisfatória no seu disco rígido.
Existe ainda a possibilidade do seu microprocessador estar realmente lento, e o Wintune não ter conseguido detectar esta lentidão. Realmente, o Wintune não é o programa mais recomendado para medir o desempenho. Sugiro que você use, em seu lugar, o Norton Sysinfo para Windows 95. Veja por exemplo as medidas feitas pelo Wintune e pelo Norton Sysinfo em um PC equipado com o Pentium-133, em três situações: sem cache externa, com cache externa de 256 kB e com cache externa de 512 kB.

Wintune 97 Norton Sysinfo 95
Com 512 kB de cache 245 MIPS 34,5
Com 256 kB de cache 245 MIPS 31,5
Sem cache 230 MIPS 15,7

Como sabemos, a ausência de cache externa realmente degrada o desempenho, e o Norton Sysinfo consegue detectar esta degradação. Já o Wintune mostra uma degradação muito pequena, caindo de 245 para 230 MIPS. Da mesma forma, uma cache externa de 512 kB oferece um desempenho sensivelmente maior que uma de 256 kB. No nosso teste, o Norton Sysinfo conseguiu detectar uma diferença de cerca de 10% entre essas medidas, mas o Wintune mostra o mesmo índice de 245 MIPS em ambos os casos. É possível portanto que o seu microprocessador esteja realmente com problemas sérios de desempenho, não tendo sido detectados pelo Wintune.

14) Pentium Pro lento
Tenho um Pentium Pro de 200 MHz, 256 kB de cache, 32 MB de RAM, placa de vídeo ATI XPRESSION com 2 MB, disco rígido de 5 ¼” Quantum Bigfoot. Acho este computador meio lento, e ao jogar o Duke Nukem em um Pentium-100 com 8MB, achei o desempenho bem melhor. Fiz medidas de desempenho com o Wintune e foram apontados índices baixos no que diz respeito à placa de vídeo e ao disco rígido, que fez leituras a apenas 1,1 MB/s. Um colega me disse que o Quantum Bigfoot é mesmo um pouco lerdo, apesar de estar usando o PIO Mode 4 no CMOS Setup. Qual seria uma boa placa de vídeo e um bom disco rígido para instalar, visando sanar esses problemas de lentidão?
Resposta:
Realmente o Quantum Bigfoot é considerado um disco lento. Se você quer fazer uma substutuição, sugiro os discos da série Caviar, fabricados pela Western Digital. A ATI Xpression não é considerada uma placa lenta. Você pode tentar melhorar o seu desempenho instalando um driver mais recente, encontrado no site da ATI. Para jogos que operam no MS-DOS, verifique se no CMOS Setup os ítens Video Shadow RAM e Video BIOS Cacheable estão habilitados, o que resulta em maior desempenho.
Observe ainda que o Pentium Pro, um processador que já não é mais fabricado, não é melhor que o Pentium comum quando executa programas de 16 bits, como é o caso dos jogos para o MS-DOS. É superior apenas ao executar software de 32 bits, como o Windows 95 e seus programas.

15) Aumentando o desempenho da CPU
Tenho um PC com AMD K6 de 233 MHz. Peço orientação sobre como ajustar o CMOS Setup no que diz respeito aos acessos à memória, visando obter o maior desempenho possível. Solicito dicas, indicações de softwares de medição, sites de consulta, livros ou indicações para suporte profissional. Possuo o Norton Sysinfo 95 para medir o desempenho, mas queria indicações de outros softwares.
Resposta:
O método geral é usar inicialmente os valores default do BIOS no CMOS Setup, e depois reduzir criteriosamente os ítens que dizem respeito aos acessos à DRAM e à cache, usando os menores valores possíveis. O problema é que quando os valores são muito reduzidos, o sistema pode se tornar instável. Posso indicar um site dedicado exclusivamente às otimizações de desempenho, cujo endereço é http://www.sysopt.com Lá existem inclusive vários programas medidores de desempenho. Consulte ainda os artigos sobre o uso do CMOS Setup e sobre a otimização do desempenho de placas de CPU, na área de artigos deste site.

16) IBM Aptiva lento
Tenho um Aptiva K20 de 100 MHz, com 8 MB de RAM e disco de 540 MB, placa de vídeo expansivel até 1 MB. Quando vou executar programas, como o Word, noto uma demora até a sua exibição na tela. Instalei o Microsoft Plus sobre o Windows 95 e usei o DriveSpace 3 para compactar meu disco rígido. Tinha 120 MB livres, e agora tem 600 MB livres. Gostaria de saber se este espaço é normal, e se ele não prejudica o desempenho.
Resposta:
No Painel de Controle do Windows 95 existe um ítem que permite a regulagem de certor tópicos relacionados com o desempenho do computador. Trata-se da opção “Sistema”. Ao ser selecionado, clique sobre a guia “Desempenho”. Será mostrado um quadro com ítens relacionados com o desempenho: Sistema de arquivos, gráficos e memória virtual. Clique sobre o botão “Sistema de Arquivos”. No quadro apresentado, mova totalmente para a direita o botão deslizante com a indicação “Otimização de leitura adiante”. Normalmetne isto fará com que seja melhorado o desempenho do acesso a disco. Volte ao quadro anterior e escolha a opção “Gráficos”. Será mostrado um quadro com um controle deslizante. Deslize totalmente para a direita o botão que traz a indicação “Aceleração de Hardware”.
A compactação de disco em geral faz com que a capacidade total seja expandida em 100%, em média. Seu disco de 540 MB passou a poder armazenar 1080 MB. Esta compactação entretanto é incerta. Arquivos gráficos que representam fotos em geral possuem um índice de compactação muito baixo. Você não poderá encher esses “1080 MB” com arquivos gráficos. Arquivos de texto, planilhas, bases de dados e arquivos gráficos vetoriais em geral apresentam um elevado índice de compactação. Se o seu disco fosse inteiramente preenchido com arquivos deste tipo, certamente você conseguirá chegar aos 1080 MB. Na vida real, existirão arquivos altamente compactáveis, e outros pouco compactáveis, e a capacidade total do seu disco compactado será algo entre 540 MB e 1080 MB. Isto tem um preço. O acesso a disco será ligeiramente prejudicado, devido ao tempo gasto nas operações de compactação e descompactação. Entretanto, o programa DriveSpace, responsável pala compactação de disco, possui um comando que permite regular o desempenho. Use o comando “Configurações”, localizado no menu “Avançado”. Será mostrado um quadro onde temos acesso a 4 opções. Devemos fazer um balanço entre velocidade e compactação, ou seja, quanto maior é o índice de compactação, menor será a velocidade do acesso a disco, e vice-versa. Normalmente a segunda e a terceira opções são as que trazem um melhor compromisso entre velocidade e compactação.

17) Lentidão em jogos no modo MS-DOS
Possuo um IBM Aptiva com Pentium-75, 8 MB de RAM, HD de 850 MB e Windows 95. A execução de certos jogos no modo MS-DOS é muito lenta, gostaria de saber como posso otimizar o desempenho usando alterações no CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT.
Resposta:
Certos jogos apresentam problemas deste tipo ao serem executados a partir do Windows 95. Para obter bons resultados, algumas vezes é preciso disponibilizar 100% dos recursos do computador para o jogo que você irá utiizar, principalmente em PCs com pouca memória, como é o caso do seu. Quando executamos o Prompt do MS-DOS a partir do Windows 95 (Iniciar, Programas, Prompt do MS-DOS), não estamos disponibilizando 100% dos recursos para o jogo. Certos jogos exigem 8 MB para serem executados diretamente a partir do MS-DOS, mas podem exigir 12 ou 16 MB para serem executados pelo Prompt do MS-DOS existente no Windows 95. O que normalmente fazemos para resolver este probema é preparar um disquete de boot, próprio para jogos. Ao executarmos o boot com este disquete, o ambiente gráfico do Windows 95 não será carregado, e poderemos utilizar os jogos sem problemas. Neste disquete, devemos usar arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT bem simples, apenas com os comandos necessários para ativar a memória estendida (HIMEM.SYS), a placa de som, o drive de CD-ROM e o mouse. Vejamos um exemplo típico:
CONFIG.SYS:
DOS=HIGH,UMB
DEVICE=C:\WINDOWS\HIMEM.SYS
DEVICE=C:\WINDOWS\EMM386.EXE RAM
DEVICEHIGH=C:\SBCD\DRV\ATAPI_CD.SYS /D:MSCD001 /P:1E8
FILES=60
BUFFERS=40
SHELL=C:\COMMAND.COM C:\ /E:1024 /p
xxx

AUTOEXEC.BAT:
SET SOUND=C:\SB16
SET BLASTER=A220 I5 D1 H5 P330 T6
SET MIDI=SYNTH:1 MAP:E
C:\SB16\DIAGNOSE /S
C:\SB16\SB16SET /P /Q
LOADHIGH C:\WINDOWS\COMMAND\MSCDEX.EXE /D:MSCD001 /M:8 /V /S /l:h
LOADHIGH C:\UTIL\MOUSE.COM
No CONFIG.SYS, usamos os gerenciadores de memória e o driver que dá acesso ao CD-ROM (ATAPI_CD.SYS). No AUTOEXEC.BAT usamos os comandos relacionados com a placa de som, o MSCDEX, necessário ao acesso do drive de CD-ROM, e o driver para o mouse. Obviamente, esses dois arquivos não funcionarão corretamente se forem copiados ao pé-da-letra. Você precisa identificar os comandos correspondentes nos seus arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT e colocá-los na forma correta. Por exemplo, no Windows 95, o MSCDEX está localizado no diretório C:\WINDOWS\COMMAND, mas para aqueles que usam o MS-DOS 6.x e o Windows 3.x, este arquivo pode ser encontrado nos diretórios C:\DOS e C:\WINDOWS. Não siga os arquivos mostrados aqui como uma receita, considere-os como exemplos que devem ser adaptados para cada caso.

18) Desempenho de um 486DX4-100
Meu PC é um 486DX4-100 com 8 MB, 256 kB de cache, placa de vídeo PCI com 1 MB. Medi o desempenho com o Norton Sysinfo 8.0 e apresentou 198, está correto?
Resposta:
Placas de CPU 486DX4-100, quando equipadas com 256 kB de cache externa, apresentam índices de desempenho que podem variar entre 194 e 216, aproximadamente. A sua placa de CPU está dentro do esperado. Em alguns casos, ajustes no CMOS Setup podem fazer o índice aumentar, chegando mais próximo de 216, mas em geral isto não vale a pena ser feito. Muitos fabricantes fornecem essas placas com memórias cache que não suportam esses ajustes, e o computador pode travar.

19) Índices de velocidade
Sou técnico de manutenção e leitor assíduo da sua coluna, que muitas vezes me ajuda a solucionar problemas diversos. Há algum tempo atrás você publicou uma tabela de índices de velocidade medidos com o Norton SI, indo do 8088 até o Pentium-166. Gostaria que fosse publicada uma nova versão desta tabela, incluindo processadores mais modernos.
Resposta:
O Norton SI, na sua versão para DOS, é adequado para medir o desempenho de processadores, até os da classe 486. Para 586, Pentium e similares, é melhor usar a versão para Windows deste programa. Vou publicar então uma tabela dupla, usando o Norton SI para DOS e o Norton SI para Windows 95/98. Esses dois programas apresentam medidas totalmente diferentes. A versão para DOS indica quantas vezes o computador em teste é mais veloz que o IBM PC XT. A versão para Windows 95 mede quantas vezes o computador é mais veloz que um 386SX-16. Não siga essas tabelas ao pé da letra. É normal encontrar diferenças para mais ou para menos, de até 10%. Diferenças maiores que 10% para menos são consideradas anormais. Aqui vão então as tabelas:

NORTON SI para MS-DOS

Processador e clock Índice   Processador e clock Índice
Pentium-200 MMX 680   486DX-25 54
Pentium-200 640   386DX-40 43
Pentium-166 MMX 560   386DX-33 35
Pentium-166 525   386DX-25 27
Pentium-150 475   386DX-20 21
Pentium-133 420   386SX-40 40
Pentium-120 380   386SX-33 33
Pentium-100 320   386SX-25 25
Pentium-90 285   386SX-20 20
Pentium-75 240   386SX-16 16
Pentium-66 210   286-25 18
Pentium-60 190   286-20 15
586-133 290   286-16 12
486DX4-120 260   286-12 9
486DX4-100 216   286-10 7.4
486DX2-80 174   286-8 5.9
486DX4-75 163   8088 12 Mhz 2.5
486DX2-66 144   8088 10 Mhz 2.1
486DX2-50 108   8088 8 Mhz 1.7
486DX-40 87   8088 4,77 Mhz 1.0
486DX-33 72  

Você pode levar em conta os índices mostrados para processadores Pentium nesta tabela, mas não confie totalmente neles. Por exemplo, um Pentium-200 MMX, mesmo com a memória mal configurada e sem cache externa, pode apresentar o índice 680. O mesmo ocorre com o 586 e com as versões mais velozes do 586 (100 e 120 MHz). Abaixo desses, você pode confiar 100% nos índices. Se um 486DX2-66, por exemplo, apresentar um índice próximo de 144, você pode ter certeza de que possui cache externa e está bem configurado.

O Norton SI para Windows 95 é mais indicado para medir o desempenho de processadores mais rápidos. A tabela abaixo traz esses índices medidos também por outros programas, indo até o Pentium-200 MMX.

Processador e clock Norton 8.0 Norton 95 Checkit 3.0 Checkit 4.0 Wintune 97
Pentium-200 MMX 680 55 480 690 380
Pentium-200 640 48 460 660 350
Pentium-166 MMX 560 44 390 570 330
Pentium-166 525 40 380 550 300
Pentium-150 475 35 340 500 270
Pentium-133 420 32 310 430 240
Pentium-120 380 28 270 400 210
Pentium-100 320 24 230 330 180
Pentium-90 285 21 200 300 160
Pentium-75 240 18 170 250 140
Pentium-66 210 16 150 220 120
Pentium-60 190 14 130 200 110
586-133 290 16 180 260 140
486DX4-120 260 14 160 230 110
486DX4-100 216 12 140 190 90
486DX2-80 174 10 110 160 75
486DX4-75 163 9 105 150 70
486DX2-66 144 6 95 130 65
486DX2-50 108 5 70 100 50
486DX-40 87 4 55 80 40
486DX-33 72 45 65 35
486DX-25 54 35 50 25

Aqui está uma tabela mais competa, incluindo processadores até 300 MHz, além dos modelos 6×86, 6x86MX e AMD K6. Os índices foram obtidos com o programa. Norton SI para Windows 95.

Norton 95
Processador e clock Índice   Processador e clock Índice
Pentium II, 300 MHz 160   AMD K6, 266 MHz 100
Pentium II, 266 MHz 140   AMD K6, 233 MHz 90
Pentium II, 233 MHz 110   AMD K6, 200 MHz 80
Pentium MMX, 233 MHz 61   AMD K6, 166 MHz 72
Pentium MMX, 200 MHz 55   6x86MX PR266 70
Pentium MMX, 166 MHz 44   6x86MX PR233 64
Pentium-200 48   6x86MX PR200 60
Pentium-166 40   6x86MX PR166 56
Pentium-150 35   6×86 PR200 52
Pentium-133 32   6×86 PR166 46
Pentium-120 28   6×86 PR150 41
Pentium-100 24   486DX4-120 14
Pentium-90 21   486DX4-100 12
Pentium-75 18   486DX2-80 10
AMD 5×86-133 16   486DX4-75 9
  486DX2-66 6

Aqui está uma tabela com mais processadores, até 450 MHz. Os softwares de teste usados foram o Norton Sysinfo e o Winbench 99. Dentro do Winbench escolhemos dois testes, o CPUMark32, que mede o desempenho no processamento normal, e o FPUWinMark, que mede o desempenho de processamento numérico.

Processador e clock Norton 95 CPUMark 32 FPUWinMark
Pentium II, 450 MHz* 210 1100 2290
Pentium II, 400 MHz* 190 1000 2060
Pentium II, 350 MHz* 170 900 1800
Pentium II, 300 MHz* 150 800 1500
Pentium II, 333 MHz 150 780 1600
Pentium II, 300 MHz 140 730 1500
Pentium II, 266 MHz 130 650 1300
Pentium II, 233 MHz 110 560 1150
Pentium MMX, 233 MHz 61 440 830
Pentium MMX, 200 MHz 55 400 750
AMD K6-3, 450 MHz* 198 1510 1510
AMD K6-3, 400 MHz* 188 1310 1350
AMD K6-2, 400 MHz* 140 860 1250
AMD K6-2, 350 MHz* 130 800 1100
AMD K6-2, 300 MHz* 120 760 950
AMD K6, 300 MHz 110 620 930
AMD K6, 266 MHz 100 580 850
AMD K6, 233 MHz 90 550 750
AMD K6, 200 MHz 80 520 640
Celeron-A/300 100 610 1500
Cyrix MII PR300 85 560 520
6x86MX PR266 70 540 460
6x86MX PR233 64 470 420
6x86MX PR200 60 430 390
6×86 PR200 52 420 380

* Clock externo de 100 MHz

20) 5×86 lento
Tenho um PC adquirido na Net Box, não tenho o que reclamar, sempre atendeu perfeitamente as minhas necessidades, mas ultimamente tenho sentido uma certa lentidão quando vou rodar ou abrir algum programa. Alguns jogos não consigo nem mesmo jogar pela lentidão. A configuração é: 586 de 133 MHz, HD 1.2 GB, 8 MB de RAM, placa fax/modem de 14.400 bps, multimídia Creative 8X, placa de vídeo Trident para high color 16 bits ou true color 24 bits. Estou pensando em colocar mais 16 MB de RAM e gostaria de saber se apenas com este procedimento não teria mais problemas de lentidão e poderia rodar meus programas e jogos sem ter que esperar para carregar. Ou existe outra solução mais adequada ao meu caso, sem que eu necessite trocar todo o equipamento.
Resposta:
Existe a grande chance da lentidão ser causada pela baixa quantidade de memória RAM. Você conseguirá melhores resultados com uma expansão de memória. Você poderia expandir para 16 MB adicionando um módulo de 8 MB, entretanto módulos desta capacidade são muito raros hoje em dia. Mais fácil é encontrar módulos de 16 MB, portanto seu PC ficará ao todo com 24 MB. Se os seus atuais 8 MB tiverem tempo de acesso de 60 ns, você pode comprar um segundo módulo de 16 MB, também com 60 ns. Mas tome cuidado, pois é preciso ainda saber se o seu módulo original é do tipo FPM (Fast Page Mode, usado na maioria dos PCs 486) ou EDO (Extended Data Out, usado na maioria dos PCs Pentium e em alguns modelos mais recentes de 486 e 586). Placas de CPU 486/586 que aceitam memórias EDO possuem no CMOS Setup, um ítem para definição do tipo de memória (Normal(FPM)ou EDO). Se este ítem existir no seu CMOS Seutp, aconselho que você se desfaça do seu módulo original de 8 MB (que provavelmente é FPM) e compre um único módulo de 16 MB ou 32 MB, EDO, com 60 ns de tempo de acesso. Com esta expansão, a maioria dos programas do Windows ficarão mais rápidos.
O desempenho do microprocessador também pode ser melhorado através de ajustes nos ciclos de acesso à memória DRAM e à memória cache, através do CMOS Setup. Ítens como DRAM Read Cycle, DRAM Write Cycle, Cache Read Cycle, Cache Write Cycle, DRAM Wait States e Cache Wait States fazem o desempenho aumentar quando são programados com os menores valores possíveis. Por exemplo, se forem apresentadas as opções 3-2-2-2, 2-2-2-2, 3-1-1-1 e 2-1-1-1, a opção que resulta em maior desempenho é 2-1-1-1. Tome cuidado, pois se as memórias não forem suficientemente velozes, os menores valores poderão também fazer o computador ficar instável, com travamentos. Se isto ocorrer, tente utilizar valores intermediários.
Não custa nada utilizar o programa Desfragmentador de Disco, que faz parte do Windows 95. Com ele, os arquivos serão arrumados de tal forma que seu carregamento precisará de menos movimentos das cabeças do disco. A abertura de programas e carregamento de arquivos ficarão portanto mais rápidos. Aproveite também para ler meu artigo sobre otimização do desempenho do processador, na área de arigos deste site.

21) “Salvar Como” demora
Executo um documento do Word 97. Ao acionar o comando “Fechar”, ele leva de 15 a 20 segundos para desaparecer da tela. O mesmo acontece quando utilizo o comando “Salvar Como”, para salvar um documento com outro nome. O que pode estar acontecendo? Acredito que não seja pelo disco rígido estar cheio, o mesmo só está 17% ocupado. Meu computador tem 16 MB de memória.
Resposta:
Acho difícil que esses 15 a 20 segundos sejam realmente consumidos na gravação, a menos que este arquivo tenha uns 20 MB de tamanho. Se o arquivo não é assim gigantesco, e o LED de acesso ao disco rígido piscar várias vezes durante esta gravação, o seu disco rígido está com o desempenho baixo. Faça uma desfragmentação usando o programa Desfragmentador de Disco e habilite no CMOS Setup a opção PIO Mode 4 para o seu drive C. Confirme se o seu PC está configurado como Desktop. Para isto, clique em Meu Computador com o botão direito do mouse e escolha a opção Propriedades. Clique na guia Desempenho e a seguir no botão Sistema de Arquivos. No campo “função desta máquina”, selecione a opção Desktop. Reinicie o Windows para que a mudança (se for o caso) tenha efeito.
Se você notar que ao usar o comando Salvar, Fechar ou Salvar Como, o disco rígido faz um barulho como se estivesse ligando e acelerando a rotação do seu motor, a demora é devida ao gerenciamento de energia, que desliga o motor do disco rígido depois de alguns minutos de inatividade. Para resolver o problema, desabilite o gerenciamento de energia no CMOS Setup (Power Management). Eu prefiro deixar o gerenciamento de energia desligado, deixar o PC consumir alguns watts a mais para evitar a espera pela aceleração do disco depois de períodos de inatividade.

22) Pentium-133 lento
Tenho um Pentium-133, 32 MB de RAM, disco rígido de 2,1 GB, multimídia de 16X, modem de 28.800. É um Itautec RTV, que veio com 16 MB de fábrica, e posteriormente fiz a expansão para 32 MB. Ultimamente o computador está extremamente lento, principalmente na abertura do Word, PowerPoint, (utilizo o Office 97), na gravação de documentos desses programas, nas mudanças de fontes, e para fechar os documentos. Às vezes chego a pensar que o computador está travado, mas depois de um certo tempo, ele termina a tarefa. Já passei o desfragmentador de disco, mas o problema continua. O que está acontecendo?
Resposta:
Acho que existe a grande chance do problema estar ocorrendo devido ao Power Management Setup. Quando este recurso está ativado, o disco rígido desliga o seu motor depois de alguns minutos de inatividade. Desabilite a opção Power Management, e o problema, se for causado por isso, estará resolvido. Se não der certo, volte ao CMOS Setup para outros ajustes. Verifique se as caches (interna e externa) estão habilitadas. Programe o disco rígido para operar em PIO Mode 4. Teste agora se o problema foi resolvido. A próxima tentativa é fazer a desfragmentação de disco, coisa que você já fez. Sugiro que seja feita a seguir uma checagem de vírus, pois alguns tipos de vírus podem causar queda no desempenho. Como última tentativa, sugiro que você repita a instalação do Windows 95. Faça a instalação sobre o diretório C:\WINDOWS já existente. Quando instalamos e desinstalamos muitos programas, o registro e os arquivos SYSTEM.INI e WIN.INI ficam carregados com comandos inúteis, que acabam causando queda no desempenho.

23) Aumentando o desempenho sem gastar muito
Como faço para dar mais velocidade ao meu PC com pouca grana?
Resposta:
Parece que o seu PC é um computador corrupto, que só é veloz se for dada uma “grana”. Até que a pergunta ficou engraçada. Mas falando sério, você quer o mesmo que todos os usuários: extrair o máximo desempenho do computador, e aumentar um pouco este desempenho, gastando o mínimo possível. A notícia boa é que muito pode ser melhorado, apenas através de ajustes no CMOS Setup, e através de alguns utilitários, a maioria deles gratuitos. O melhor ganho de desempenho é obtido com a redução do número de ciclos de acesso à memória no CMOS Seutp. Opções como DRAM Read Cycle, DRAM Write Cycle, Cache Read Cycle, Cache Write Cycle e Cache Wait States, devem ser colocadas nos menores valores possíveis. Isto faz com que seus acessos sejam mais rápidos, aumentando o desempenho. É importante tomar cuidado, pois em alguns casos, ao invés de aumentar o desempenho, o computador torna-se instável, e poderá travar. Usar programas como o Desfragmentador de Disco do Windows 95/98 torna o acesso ao disco rígido mais rápido. Até aí, nada se gastou.
PCs com pouca memória (16 MB) apresentam grande melhoramento no desempenho, com uma expansão para 32 MB. Entretanto, é importante contar com a ajuda de um técnico ou colega experiente, pois nem sempre esta é uma tarefa simples. Existem ainda alguns PCs, tipicamente 486 e 586, desprovidos de memória cache externa. Isto pode prejudicar em até 50% o seu poder de processamento. A instalação de cache externa (quando está ausente, normalmente é intalada em um soquete, sendo formada por um “módulo de cache”) traz o PC de volta ao seu desempenho nornal. Ë preciso comprar um módulo COAST para 486, de 256 kB. Existem também módulos COAST para Pentium, de 256 e 512 kB. Esses módulos caíram em desuso e eram usadas nas placas de CPU Pentium produzidas até 1997. Podemos ainda encontrar alguns deles à venda.
Sugiro ainda a leitura do meu artigo “Aumentando o desempenho da CPU”, na área de ARTIGOS deste site.

24) Lentidão do DriveSpace
Depois de compactar meu drive C: com o Drivespace do Windows 95, meu computador ficou muito lento. Já tentei usar o comando MemMaker mas não adiantou nada. Que posso fazer agora para que o micro volte ao normal?”
Resposta:
Pouca coisa pode ser feita para resolver o problema. Não existe nada de errado com o seu computador. A lentidão é inerente ao próprio DriveSpace, e é uma das suas desvantagens. Dependendo da velocidade do disco rígido e da CPU, o computador pode ficar mais lento ou mais veloz. Por exemplo, quando o disco rígido é muito lento e a CPU é muito rápida, a compactação de disco pode resultar em melhorias no desempenho, ou então em uma queda pouco perceptível. Quando o processador é lento, o desempenho sempre será pior. De todos os casos, o que apresenta maior degradação no desempenho é quando a CPU é lenta e o disco é rápido. Como hoje em dia os discos são muito velozes, a CPU é o principal determinante do desempenho do acesso a disco quando é usado o DriveSpace. PCs com processadores 586, 486 e versões mais antigas do Pentium tendem a apresentar maiores quedas no desempenho quando é usada compactação de disco. Uma quantidade maior de memória pode ajudar a melhor um pouco a situação, já que com mais memória, o sistema faz menos acessos a disco, escapando assim de parte da lentidão. Outra coisa que pode ser feita é compactar o disco apenas parcialmente. Compacte apenas a metade do disco, e você terá um drive C não compactado, e um drive D (ou outra letra, dependendo dos demais drives existentes) compactado. Deixe os programas no drive C, e armazene no drive D os seus dados. Desta forma a lentidão ocorrerá apenas durante as operações de acesso aos seus dados, e a execução de programas e comandos do Windows terá velocidade normal.

25) 586 lento
Possuo um 586-AMD, 133 MHz, 1,2HD, 32 RAM, Kit 8x. Aumentei a RAM dele recentemente (era 8M) e pensei que meus problemas de lentidão estariam solucionados, já que o processador em questão é considerável. Pobre ilusão: o computador continua lento, principalmente ao iniciar o Win95. Deletei algumas fontes no painel de controle, mas não adiantou muito. O que eu faço? Será problema no setup?
Resposta:
Este processador é cerca de duas vezes mais rápido que um 486DX2-66, ou 30% mais veloz que um 486DX4-100, o que equivale a um Pentium-75, aproximadamente. Entretanto, esta velocidade só é desenvolvida se a placa de CPU tiver 256 kB de cache externa. Já observei várias placas de CPU 5×86-133 sem cache externa, contendo apenas a cache interna existente no processador, e com um soquete para a instalação de um módulo de cache. Se existe na sua placa, um slot vazio próximo ao processador, provavelmente a sua placa não possui cache externa, o que torna o 5×86-133 tão lento quanto um 486DX2-66. Você deve neste caso, comprar um módulo de cache para “486”, com 256 kB. Muitas lojas que vendem hardware oferecem este tipo de memória. Feita a instalação, seu problema de velocidade estará resolvido. Sugiro que você consulte também minhas dicas sobre como melhorar o desempenho do computador, apresentadas na área de artigos deste site.

26) 486 lento
Possuimos um PC 486DX4-100 com 32 MB de RAM e HD de 1.6 GB. De uns tempos para cá, ele se tornou muito lento, até para as tarefas mais simples, como salvar um arquivo ou apenas fechá-lo.
Resposta:
Existem alguns pontos que podem ser checados rapidamente:
1) Faça uma desfragmentação no disco rígido
2) Verifique no CMOS Setup se as caches interna e externa estão habilitadas
3) No CMOS Seutp, use o comando Load BIOS Defaults
4) Esvazie pasta de arquivos temporários do seu navegador
5) Desinstale programas antigos que você não usa mais
6) Desative o Gerenciamento de Energia no CMOS Setup
7) Verifique se a lentidão é causada por algum programa na pasta Iniciar (Iniciar / Programas / Iniciar)
8) No CMOS Setup, ative caso exista, as opções PIO Mode 4, IDE 32 bit transfers e IDE Block Mode.
Existe grande chance do problema ser causado por um dos fatores acima. Observe que os problemas de lentidão são muitas vezes causados por problemas alheios ao processador. Desta forma, podem ocorrer até mesmo nos PCs equipados com processadores mais velozes.

27) SDRAM fez o PC ficar mais lento
Tenho um Pentium-200 MMX. Recentemente adquiri dois módulos de memória de 32 MB SDRAM (-10). Esperava uma melhora no desempenho após a substituição dos 32 MB EDO pelos 64 MB SDRAM. Ao contrário disso, parece que o micro ficou um pouco mais lento. Gostaria de saber se devo mudar algo no BIOS (Award Modular). Observe que foi feita a mudança no jumper que estabelece a voltagem da memória para 3.3 volts. O BIOS possui vários campos com configuração relacionada com a memória, gostaria de saber como programá-los. Gostaria de saber também onde obtenho informações sobre BIOS, e o que significa cada um dos seus campos.
Resposta:
A troca de FPM ou EDO DRAM por SDRAM produz melhoramento no desempenho do processador e do acesso à memória. O desempenho total do computador depende de outros fatores, principalmente o acesso ao disco rígido. Você pode medir o desempenho do processador, antes e depois da instalação da SDRAM, usando o programa Norton Sysinfo 95. Não deixe as memórias EDO DRAM funcionando em conjunto com a SDRAM, pois na maioria das placas de CPU, esta configuração não é permitida. Note também que na maioria dos chipsets modernos, a cache só acelera os primeiros 64 MB de RAM. Se você deixar os antigos 32 MB de EDO DRAM operando junto com os 64 MB de SDRAM, totalizará 96 MB. O chipset só irá acelerar os primeiros 64 MB, e os últimos 32 MB ficarão sem a aceleração da cache. Os programas são carregados na memória a partir do seu final, ou seja, na área que não está acelerada pela cache. O desempenho do computador cairá bastante desta forma. Deixe apenas os 64 MB de SDRAM. Os itens do CMOS Setup devem ser programados a princípio com a opção “Optimal Defaults”, ou “Auto Configuration with BIOS Defaults”. Isto tornará em geral o desempenho otimizado. Melhoramentos adicionais podem ser conseguidos quando você reduz os números de ciclos nos acessos à memória, mas além de melhorar o desempenho, esta prática pode trazer instabilidade ao computador. Suas memórias são de 100 MHz (-10), e creio que tem grande chance de suportar esses “envenenamentos”. Sugiro que você leia meu artigo sobre otimização do desempenho de placas de CPU, na área de artigos deste site. Lá você encontrará também um artigo que explica os itens do CMOS Setup. Vale a pena conferir.

28) Lentidão na Internet
Tenho um Pentium-233 MMX com 16 MB de RAM, HD de 6.4 GB e modem US Robotics de 56k. Uso o Windows 95. Ultimamente tenho percebido uma domora cada vez maior para fazer o boot da máquina e alguns aplicativos estão visivelmente mais lentos. Estou com 2 GB livres no HD, já rodei o DEFRAG e o sistema me diz que apenas 2% do espaço em disco está fragmentado. Um dos aplicativos que percebo que está cada vez mais lento é o Internet Explorer. Em algumas atividades simples como a leitura de um documento do Word, o disco entra em atividade durante 1 a 2 minutos. Estou com o modem há 8 meses e nunca consegui fazer nenhuma conexão com meus provedores acima de 33.600 bps. Existe alguma configuração do modem que tenha que ser feita para se obter o máximo rendimento do mesmo?
Resposta:
Desfragmentar o disco rígido é a primeira providência. Faça isso usando o Desfragmentador de Disco que faz parte do Windows 95 (Iniciar / Programas / Acessórios / Ferramentas do Sistema / Desfragmentador de Disco). Verifique no CMOS Setup se estão ativadas as opções PIO Mode 4, IDE 32 bit transfers e IDE Block Mode. Configure o seu sistema como Desktop (o ideal para PCs com 16 MB de memória). Para isto, clique em Meu Computador com o botão direito do mouse e escolha a opção Propriedades. Selecione a guia Desempenho e clique no botão Sistema de Arquivos. No quadro apresentado você poderá escolher entre Desktop, Sistema Móvel e Servidor. No seu caso, Desktop trará os melhores resultados.
Para contornar o problema da lentidão no Internet Explorer, você precisa esvaziar a pasta de arquivos temporários. Clique em Exibir / Opções da Internet. No quadro apresentado, procure o campo relativo ao arquivos temporários. Clique no botão Excluir Arquivos. Depois que você reiniciar o Explorer, o problema de lentidão deverá ter terminado. É conveniente fazer uma limpeza periódica na pasta de arquivos temporários. A lentidão na abertura de arquivos é resolvida com a desabilitação do Gerenciamento de Energia no CMOS Setup.
Para que seja possível uma conexão com o provedor a 56k bps, é preciso antes de mais nada que o provedor de acesso ofereça linhas de 56k bps. Depois, você precisa ter certeza de que o seu modem está preparado para operar a 56k bps no padrão V90 (provavelmente este é o padrão usado pelos seus provedores). Muitos modems de 56k bps antigos não estão configurados com o protocolo V90. No seu caso, o download do arquivo que faz a instalação do V90 é encontrado em http://www.3com.com/56k/.

29) Modo de compatibilidade
Tenho um Pentium-200 MMX com 64 MB de RAM, HD de 1.6 GB, drive de CD-ROM 32X e Windows 98. No Painel de Controle, no item Sistema/Desempenho, tem a seguinte mensagem: Todas as unidades estão usando o modo de compatibilidade do MS-DOS. Acho que essas configurações estão comprometendo o desempenho do computador, que está lento. Não consegui alterar essas configurações para o modo de 32 bits e gostaria de algumas dicas a este respeito.
Resposta:
O modo de compatibilidade pode ser provocado pelo uso de algum driver de modo real no CONFIG.SYS ou no AUTOEXEC.BAT. Use no modo MS-DOS o comando MEM/C/P, e anote os nomes dos drivers de modo real que serão apresentados. Remova cada um deles do CONFIG.SYS ou AUTOEXEC.BAT, bastando para isto acrescentar no início de cada linha, a palavra REM. Execute um novo boot e verifique se o modo de compatibilidade foi desativado. Se funcionar, você precisará descobrir qual dos comandos que foram retirados era o causador do problema. Se mesmo assim o modo de compatibilidade não for desativado, faça uma reinstalação do Windows, usando o mesmo diretório (C:\WINDOWS). Desta forma todas as configurações de software serão mantidas (apenas será preciso reinstalar o driver de vídeo). Os drivers de 32 bits serão novamente instalados, e o modo de compatibilidade não será mais usado.

30) Desempenho de um Pentium-133
Li em sua materia de julho/98 sobre índices de desempenho no Norton SI para Windows 95, só consegui para o meu portátil – (Texas Instruments – extensa 650 CD) Pentium-133, 32 MB EDO DRAM, 2 MB de vídeo, HD de 1,25 GB e CD-ROM 10x; o índice máximo de 28 e mínimo de 24. Como poderia me aproximar dos 32 informado na matéria ? Quais os pontos que eu deveria aprimorar para chegar perto deste SI= 32 ??
Resposta:
Muitos notebooks apresentam desempenho baixo devido à ausência de cache L2. Não é o seu caso. Seu Notebook possui 256 kB de cache L2 e memória EDO DRAM. Seu desempenho portanto deveria se aproximar de 32 (na verdade já consegui 36 em um PC bem ajustado). O aumento no desempenho é conseguido através de modificações no CMOS Setup. Você pode consultar o artigo sobre aumento do desempenho de processadores, na área de artigos deste site. Note entretanto que em muitos notebooks, o CMOS Setup está “escondido” do usuário, ou seja, o fabricante não libera para o usuário, opções como as que controlam os ciclos de acesso às memórias. De qualquer forma, verifique pelo menos se a cache interna e a externa estão habilitadas.
Se o CMOS Setup do seu notebook não estiver ativo, você pode tentar usar programas de terceiros. Não consegui descobrir qual é o chipset existente no seu notebook, mas é provável que seja um modelo da Intel, como o i430FX ou VX. Você poderá acessar o Setup deste chipset usando programas como o TWEAKBIOS, CTCHIPZ e AMISETUP. São encontrados em http://www.sysopt.com.

31) Desempenho de PCs antigos
Tenho um micro 486DX2 66 com 16 MB de RAM e com o Windows 95. Como não seria diferente, o Windows está bem lento, assim com o Word, Excel, etc… Gostaria de saber que tipo de medidas posso tomar para aumentar a velocidade e desempenho do meu computador. Quais programas, drivers, etc, que posso instalar e/ou pegar na Internet. O programa QEMM seria um boa tentativa? Sugiro até uma matéria que mostre como tirar um maior proveito dos micros VELHINHOS, não só para min mais para vários usuários que ainda trabalham com 486.
Resposta:
Na área de artigos deste site tenho um artigo que ensina a tirar o máximo desempenho do microprocessador. Recomendo a sua leitura. No seu caso, a expansão para 32 MB pode ajudar um pouco, já que o processador deixa a desejar. Faça também uma desfragmentação no disco rígido, o que sempre ajuda a melhorar. O programa QEMM não vai fazer o seu PC ficar mais rápido. É apenas um gerenciador de memória, que deixará o uso da memória mais otimizado, mas não a ponto de compensar a lentidão do 486.
Verifique ainda se a sua placa de CPU suporta o processador 486DX4-100 (consulte o seu manual). Se for suportado, você pode tentar obter esta versão mais recente do 486, que possui um desempenho cerca de 50% superior.

32) Desempenho de um Celeron
Meu PC é um Celeron de 266 MHz com 32 MB de RAM, placa de vídeo com 2 MB, HD de 2.1 GB e Windows 98. É possível usar o MemMaker no Windows 98 para aumentar o desempenho? Meu PC anterior era um Pentium-166 MMX, mas não noto diferença de desempenho entre o antigo e o novo. O que posso alterar na configuração do BIOS para melhorar o desempenho? Às vezes quando ligo o computador, o BIOS indica que seu clock é 300 MHz. O que pode estar acontecendo de errado?
Resposta:
Você pode usar o MemMaker, mas este programa não se destina a aumentar o desempenho. O que o MemMaker faz é configurar os arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT visando obter mais espaço livre na memória convencional, o que é importante para jogos e alguns programas que operam em modo MS-DOS. De uns anos para cá, a importância deste tipo de otimização foi bastante reduzida, já que os jogos mais novos operam sob o Windows, ou mesmo sob o MS-DOS, porém usando mais a memória estendida, e não a convencional.
Você pode não estar notando aumento no desempenho porque os programas que utiliza funcionam bem em PCs de menor velocidade. Dificilmente será notada diferença entre usar o Office 97 em um Pentium-133 (desde que bem ajustado) e em um Pentium II de 400 MHz. Como o seu novo PC é mais rápido, ele pode agora executar programas mais sofisticados que ficariam mais lentos no Pentium-166. Os ajustes no CMOS Setup que resultam em aumento de desempenho são baseados na redução dos ciclos de acesso à memória DRAM e à memória cache, mas esta prática, se for feita de forma indiscriminada, pode tornar o computador instável. Para fazer os ajustes necessários, consulte meus artigos sobre CMOS Setup e sobre aumento do desempenho do processador.
A medida errada do clock pode ser causada por um mau contato nos jumpers que definem o clock interno ou externo. O Celeron de 266 MHz deve operar com clock de 66 MHz e multiplicador 4. Este multiplicador pode ser eventualmente entendido como 4.5, o que resulta em 300 MHz. Da mesma forma, o clock externo de 66 MHz pode ser eventualmente entendido como 75 MHz, o que com o multiplicador 4 resulta no clock interno de 300 MHz. Um técnico deve fazer uma limpeza de contatos nesses jumpers para solucionar este problema. Por outro lado, os jumpers podem estar em boas condições, e o BIOS pode estar determinando o clock de forma errada. Este erro não altera o valor do clock, e sim, informa o seu valor errado na ocasião do boot. Uma forma de tirar a dúvida é utilizar um outro programa para medir o clock, como o System Information do Norton Utilities 3.0.

33) Baixo desempenho no Windows 98
Após instalar o Windows 98 em um Pentium-233 com 32 MB de RAM, sua velocidade caiu consideravelmente, perdendo até para um Pentium-100 com 16 MB e Windows 95. Pensei em aumentar sua memória para 64 MB ou então voltar ao Windows 95. O que devo fazer? O Windows 98 só tem bom desempenho em PCs superiores ao meu?
Resposta:
De modo algum, o Windows 98 deveria estar rápido no seu computador. A Microsoft recomenda como configuração mínima, um Pentium-133 com 16 MB de RAM. Certamente existe algo errado na sua instalação.
Tente fazer alguns dos ajustes que mostrarei a seguir. No CMOS Setup, programe os seguintes parâmetros de funcionamento do disco rígido:
• IDE PIO Mode 4
• IDE 32 bit transfers: enabled
• IDE Block Mode: enabled
Clique em Meu Computador com o botão direito do mouse e no menu apresentado escolha a opção Propriedades, depois selecione a guia Desempenho. Verifique se está indicado “seu computador está configurado para desempenho otimizado”. Caso não esteja, você provavelmente tem um problema causado pelo uso do modo de compatibilidade, que deverá ser removido pelo processo que descreverei mais adiante.
Clique em Sistema de Arquivos e selecione a guia Disco Rígido. Programe a opção Servidor de Rede e coloque para a direita o controle de leitura antecipada.
Use ainda o programa Desfragmentador de Disco uma vez por semana para manter os arquivos do disco rígido arrumados, de forma que o seu acesso fique mais rápido. Este programa é encontrado em Iniciar / Programas / Acessórios / Ferramentas de Sistema.
Faça também a instalação do driver da sua placa de vídeo, fornecido pelo fabricante. Dependendo do modelo da placa, o driver que o Windows instala pode ser de baixo desempenho, não usando a aceleração gráfica da placa, causando lentidão na tela. Faça a instalação dos drivers que acompanham a placa de vídeo, mesmo que sejam para Windows 95, pois também funcionarão no Windows 98.
A lentidão do seu computador pode estar sendo causada pelo uso do modo de compatibilidade no acesso ao disco rígido. O modo de compatibilidade é utilizado quando o Windows não pode, por alguma razão, utilizar os seus drivers de modo protegido. São usados então os drivers de modo real (ou de 16 bits). Isto pode estar sendo causado por algum programa utilizado nos arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT que faz controle direto do acesso a disco. É o caso de programas como o FDREAD (necessário para ler disquetes formatados com 1.72 MB pelo programa FDREAD no MS-DOS e no Windows 3.x, mas desnecessário no Windows 9x), ou drivers LBA como o Disk Manager e o EZ-Drive. Experimente renomear os arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT e a seguir execute um novo boot no Windows. Se em um deles existir um programa que impeça o carregamento dos drivers do Windows 95, o modo de compatibilidade desaparecerá desta forma. Você terá agora que descobrir qual era o programa causador do problema, retirando-o do arquivo CONFIG.SYS/AUTOEXEC.BAT e restabelecendo esses arquivos.
Se mesmo assim o problema não for resolvido, faça o seguinte: ainda com os arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT removidos, entre no Gerenciador de Dispositivos e remova o item “Controladores de disco rígido”. Depois de removê-lo, reinicie o Windows e deixe que esse dispositivo seja detectado.
O terceiro método para a solução do problema é mais radical. Consiste em reinstalar o Windows, porém mantendo o mesmo diretório. Desta forma, todas as configurações originais serão mantidas, apenas será preciso reinstalar o driver de vídeo.

34) Compactação de dados em um PC antigo
Tenho um 486DX2-66 com 8 MB de RAM e HD de 210 MB. Fiz compactação de disco, e agora ele está com 391 MB de espaço total, 280 MB de espaço utilizado e 111 MB de espaço livre. Não tem drive de CD-ROM e seu uso é exclusivamente doméstico e estudantil. Depois que passei a utilizar a compactação, o PC ficou muito lento e passou a travar de vez em quando. Qual é a sua opinião sobre compactação de discos. Este PC tem capacidade para isso? Até quanto posso preencher este HD? Deveria instalar dois discos?
Resposta:
A compactação de discos realmente prejudica o desempenho, pois o processador precisa trabalhar muito descomprimindo dados nas operações e leitura e comprimindo novamente nas operações de gravação. Quanto mais lento é o processador, mais ocupado ele ficará com este trabalho, e maior será a queda de desempenho. A questão dos travamentos é muito delicada. Só devemos utilizar compressão de disco quando o PC é 100% confiável. Quando ocorrem travamentos significa que existem problemas de hardware ou software. Em um PC normal, um travamento pode resultar na perda de um ou alguns arquivos. Em um PC que utiliza compressão de dados, um travamento é muito perigoso, pois pode resultar na perda de todos os arquivos do disco. Você pode até mesmo utilizar vários programas em um PC com compactação, e pode encher o disco até ficar quase cheio, mas a baixa confiabilidade devido aos travamentos colocará todo o seu trabalho em risco.
A instalação de dois discos rígidos é uma opção muito mais vantajosa que a compressão de dados. Discos rígidos de 4 GB têm preços bem acessíveis. Funcionarão bem no seu computador e não irão deixá-lo lento. Se você tiver condições de comprar um novo HD, este é o melhor caminho.

35) Lentidão em um Pentium-133
Tenho um Pentium-133 com 32 MB de memória RAM, cache de 128 kB e modem de 33.600 bps, mas está muito lento quando estou na Internet e trava com facilidade. Quero fazer um upgrade, qual seria a melhor opção? Me falaram que se eu aumentar a memória RAM para 128 MB melhoraria muito, é verdade?
Resposta:
É preciso investigar a causa da lentidão. Se você nota que o computador faz muitos acessos ao disco, a expansão de 32 MB para 64 MB irá melhorar bastante. Independentemente disso você deve fazer uma desfragmentação no disco rígido, o que torna o acesso a disco mais veloz. No seu caso não recomendo a expansão para 128 MB. Esta quantidade de memória é bastante generosa, mas a menos nos casos de PCs que utilizam programas “pesados” (editoração eletrônica, edição de vídeo, CAD, por exemplo), quase não há diferença significativa de desempenho entre um PC com 64 MB e outro com 128 MB. É possível que o desempenho do seu computador possa melhorar mediante ajustes no CMOS Setup. Para fazer os ajustes, consulte o artigo “Aumentando o desempenho do processador” na área de artigos deste site.
Você pode tornar o seu computador mais veloz mediante a instalação de um novo processador. Será preciso então consultar o manual da placa mãe para checar quais são os processadores suportados. Se for uma placa de fabricação relativamente recente ela suportará o AMD K6 (não é o K6-2) de 233 MHz, que é cerca de duas vezes mais rápido que o Pentium-133.
Observe ainda que o esvaziamento dos arquivos temporários da Internet (ou cache da Internet) no seu navegador tende a deixar a navegação mais rápida. Para encontrar este comando no Internet Explorer use o comando Exibir / Opções da Internet. No Netscape Navigator use o comando Options / Network Preferences / Cache.

36) Compaq Presario lento
Tenho um Compaq Presario 4410 com Pentium-100 e 48 MB de memória, mas ele está muito lento comparado com outros PCs que usam o Pentium-100. Gostaria de saber se a expansão da memória de vídeo, de 1 MB para 2 MB irá melhorar o desempenho. Que outros tipos de upgrade eu poderia fazer neste computador?
Resposta:
Existem alguns modelos da Compaq que são desprovidos de cache L2, e este pode ser o seu caso. Infelizmente não encontrei no site da Compaq as especificações do seu modelo específico (existem cerca de uma centena de modelos Presario, mas não existem informações sobre o 4410). Por isto é melhor você fazer um contato direto com a Compaq para consultar sobre os upgrades possíveis. Você pode confirmar se o seu PC possui ou não cache L2 (o ideal são 512 kB de cache L2) através do programa PC-Check, que pode ser obtido em http://www.eurosoft-uk.com . Este programa detecta a quantidade de cache L1 e L2. Se não tiver cache L2, é possível que sua expansão seja possível (existem modelos do Presario que permitem esta expansão). Instalar 512 kB de cache é mais importante que um novo processador. Sem esta cache, até 50% do desempenho do processador poderá ser desperdiçado. Existe ainda uma grande chance do seu PC permitir a instalação de versões mais velozes do Pentium (o comum, não o MMX), chegando até 200 MHz. Para isto é preciso atuar sobre os jumpers que definem o multiplicador de clock. Para o Pentium-100 o multiplicador usado é 1.5x, já que o clock externo é de 66 MHz. O Pentium-200 requer o multiplicador 3x. De qualquer forma é preciso consultar o suporte técnico da Compaq para saber quais jumpers dever ser reprogramados. Em resumo, sua quantidade de memória está excelente, procure então pela expansão da cache L2 e pela troca do processador.

37) Lentidão em um Pentium II
Tenho um Pentium II de 266 MHz com 64 MB de RAM e dois discos rígidos, um de 2,1 GB e outro de 840 MB, placa de som AWE64, modem de 56k V90, scanner IBM ADF Color, placa de TV LG 5446 e drive de CD-ROM 24x. Uso o Windows 98 e tudo funciona perfeitamente. O problema é que quando uso, por exemplo, o Netscape e depois fecho a sessão da Internet e passo a trabalhar como Word, após algumas aberturas e fechamentos de arquivos aparece uma “operação ilegal” ou “erro fatal” com “estouro de pilha”. O mesmo ocorre se visualizo arquivos MPG e depois utilizo outros programas. Outro problema desagradável é que quando estou usando a impressora, o PC fica muitíssimo lento.
Resposta:
Seu computador permite ser expandido para versões mais velozes do Pentium II ou Pentium III. Pelas características do problema descrito, parece que algum programa está ocupando espaço na memória e não está liberando este espaço depois do seu término. Você pode monitorar a quantidade de memória livre e ocupada através do programa Monitor do Sistema (SYSMON.EXE). Para executar este programa, use Iniciar / Programas / Acessórios / Ferramentas de Sistema / Monitor do sistema. Se este programa não estiver presente neste menu, faça a sua instalação através do comando Adicionar / Remover programas no Painel de Controle. Use a guia Instalação do Windows e marque o monitor do sistema no menu Ferramentas de sistema. Uma vez executando este programa, habilite a monitoração através de gráficos dos itens relacionados com o uso da memória. Você poderá assim descobrir qual programa mal comportado não está devolvendo ao sistema os blocos de memória que utilizou.
Recomendo ainda a atualização dos programas que você utiliza. Instale a versão mais nova do Netscape. Instale o Service Pack para o Microsoft Office. Para isto vá para www.microsoft.com.br , clique em Downloads, depois Office, e faça o download do Office 97 Service Release 2. Este é o procedimento geral para todos os que enfrentam problemas inexplicáveis com produtos da Microsoft, como travamentos, falta de memória, falhas gerais e quaisquer tipos de anomalias.
O problema da lentidão do computador durante a impressão é muito comum. Procure sempre que possível não utilizar o computador nos períodos em que a impressora estiver em uso. Você poderá melhorar um pouco a situação através de alguns ajustes na configuração de spool da impressora. Para isto abra a pasta de impressoras, clique o ícone da impressora com o botão direito do mouse e escolha a opção Propriedades. Selecione a guia Detalhes e clique no botão Configurações de spool. Marque então a opção “Iniciar a impressão após a última página ser colocada no spool”. Este configuração tende a tomar menos tempo do processador durante a transferência de dados para a impressora.

38) PC tornou-se lento com o passar do tempo
Tenho um Pentium II/300 com 64 MB de RAM. No início, assim que o ligava iniciava rapidamente. Agora demora muito a fazer o boot. O que devo fazer para corrigir este problema?
Resposta:
É normal a partida do Windows ficar mais demorada à medida em que são instalados novos programas. Para atenuar o problema, desinstale programas que você não utiliza mais, ou que utiliza muito raramente. Além de deixar mais espaço livre em disco, isto poderá tornar a inicialização menos demorada. Também ocorre degradação no desempenho de acesso a disco devido à fragmentação de arquivos. Conforme arquivos vão sendo gravados e apagados no disco rígido, surgem muitas lacunas no espaço livre. Novos arquivos preenchem essas lacunas, e tendem a ficar divididos em duas ou mais porções, ou sejam fragmentados. O usuário não percebe a fragmentação, pois é função do sistema operacional acessar os arquivos mesmo fragmentados, entregando-os ao usuário como se cada um deles formasse uma porção única. A fragmentação não causa problema ao usuário, mas resulta em lentidão no acesso a disco. Para solucionar o problema devemos fazer periodicamente (por exemplo, uma vez por semana) uma desfragmentação. Esta operação pode ser feita com o programa Desfragmentador de Disco que acompanha o Windows (Iniciar / Programas / Acessórios / Ferramentas de sistema / Desfragmentador de Disco).