Home » Artigos arquivados » 1998 – Instalação de drives de CD-ROM no Win95/98 e modo MS-DOS

1998 – Instalação de drives de CD-ROM no Win95/98 e modo MS-DOS

Autor: Laércio Vasconcelos
Dezembro/1998

Para quem usa aplicações de MS-DOS, as unidades de CD nem sempre funcionam de forma automática. Não é possível gravar CDs ou DVDs. Entretanto é possível fazer funcionar uma unidade para leitura de CDs e DVDs, como mostra esse artigo. As informações são válidas também para micros modernos, baseados no Windows XP.

Antes do Windows 95 e das placas de som Plug and Play, os usuários estavam tranqüilos no que diz respeito ao funcionamento do drive de CD-ROM, tanto no modo MS-DOS como no ambiente Windows 3.x. O funcionamento do drive de CD-ROM era ativado através de drivers adicionados nos arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT.

Com o Windows 95, a coisa mudou de figura. O Windows 95 utiliza, por default, drivers de modo protegido, que não estão ativos quando o computador opera no modo MS-DOS. Os principais prejudicados são os usuários de jogos, já que muitos deles operam sob o MS-DOS.

Mais complicada ainda é a situação das placas de som PnP (Plug and Play). No modo MS-DOS, a placa de som PnP, bem como o drive de CD-ROM nela conectado, simplesmente fica inativa, a menos que sejam feitas configurações apropriadas.

Neste artigo veremos métodos que podem ser usados para que o drive de CD-ROM funcione, não apenas no ambiente do Windows 95, mas também no seu modo MS-DOS.

Estamos supondo que o seu kit multimídia foi instalado corretamente, de acordo com as instruções do fabricante, e está em funcionamento normal no ambiente Windows 95. Vejamos o que fazer para que funcione também em modo MS-DOS.

Os problemas decorrentes da instalação típica dos atuais kits multimídia são os seguintes:

a) Os processos de instalação oferecidos não permitem o funcionamento em modo MS-DOS, o que é muito ruim para quem está interessado em jogos, já que a maioria deles ainda é baseada no MS-DOS.

b) Não permitem a instalação do drive de CD-ROM em outras interfaces que não sejam as indicadas por default pelo fabricante. Em geral, esta é a interface IDE existente nessas placas.

c) Não se aplica a placas que não sejam Plug and Play.

Façamos portanto um estudo mais abrangente sobre a instalação de drives de CD-ROM, de modo a englobar a maioria dos modelos. Abordaremos aqui os modelos IDE, que são os mais comuns.

Do ponto de vista de hardware, um drive de CD-ROM IDE pode estar conectado de diversas formas:

Em uma interface IDE localizada na placa de som, seja ela PnP ou de legado. Este é atualmente o método de conexão mais comum.

Em uma interface IDE primária ou secundária, localizada na placa de CPU. Este método sempre poderá ser usado, mesmo que exista uma interface IDE na placa de som.

Em uma interface IDE primária, localizada na placa IDEPLUS. Este método foi muito usado na era do 486, já que a maioria dos PCs baseados neste microprocessador utilizavam uma placa IDEPLUS.

Em uma placa de interface IDE isolada, operando como secundária. Existem placas de expansão que possuem apenas uma interface IDE, cujo endereço e IRQ podem ser configurados através de jumpers. Logo que os drives de CD-ROM IDE foram lançados, as placas de CPU e as placas de som não possuíam interfaces IDE, e caso a única interface IDE presente no computador já estivesse controlando dois discos rígidos, não seria possível instalar o drive de CD-ROM. Por isso esses drives eram fornecidos juntamente com uma placa de interface IDE para possibilitar a instalação.

Em uma placa de interface IDE isolada, operando como terciária ou quaternária. As mesmas placas de interface IDE isoladas também podem ser acopladas a sistemas que já possuem interfaces primária e secundária, desde que seja possível configurá-las como terciárias ou quaternárias.

Cada método de instalação requer o uso de um driver apropriado para permitir o funcionamento do drive de CD-ROM. Além disso, pode ser necessário usar drivers diferentes para operar sob o Windows 95 e sob o modo MS-DOS deste sistema.

É preciso agora entender os diferentes contextos do sistema operacional Windows 95. Esses contextos são mostrados na figura 1.

ART05-1

Figura 1 – Ambientes do Windows 95

Logo após o boot, é dado início ao processamento dos arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT. Em situação normal, chegamos ao ambiente gráfico do Windows 95. Entretanto, temos a opção de não entrar neste ambiente, ficando apenas com o Prompt do MS-DOS. Para isto, basta teclar F8 quando for apresentada a mensagem “Iniciando o Windows 95”, e no menu apresentado, escolher a opção “Somente Prompt”. Podemos considerar este modo como sendo uma espécie de “MS-DOS 7.0”. Muitas vezes usamos este recurso para executar jogos para ambiente MS-DOS muito exigentes em termos de velocidade da CPU e quantidade de memória RAM. Por exemplo, em PCs com apenas 8 MB, não podemos executar o jogo QUAKE através do Prompt do MS-DOS executado em conjunto com o Windows 95. Para isto seriam necessários 16 MB. Ao executarmos um boot com a opção “Somente Prompt”, todos os 8 MB estarão disponíveis para o jogo. Situações equivalentes ocorrem com diversos outros jogos.

No ambiente indicado na figura 1 como “Somente Prompt”, são processados os arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT. Portanto, se for necessário usar o drive de CD-ROM nesta situação, é preciso ativar os drivers apropriados nos arquivos CONFIG.SYS (por exemplo, o SBIDE.SYS) e no AUTOEXEC.BAT (MSCDEX.EXE), como veremos mais adiante. Esses drivers são chamados de “drivers de 16 bits” ou “drivers de modo real”.

No ambiente indicado como “Windows 95”, o drive de CD-ROM poderá ser controlado pelos mesmos drivers ativados nos arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT. Entretanto, conseguimos maior desempenho quando são usados drivers de 32 bits, próprios para o Windows 95, abrindo mão dos drivers de modo real. Neste ambiente, o drive de CD-ROM estará plenamente acessível.

Podemos executar programas para MS-DOS dentro do próprio Windows 95, através do comando “Prompt do MS-DOS”. Para obtê-lo, clicamos sobre o botão Iniciar da barra de tarefas, escolhemos a opção Programas, e finalmente Prompt do MS-DOS. Este Prompt poderá ser executado em tela cheia ou em uma janela, mas não estará sendo executado de forma exclusiva pelo computador. O Windows 95 e todos os seus programas ativos estarão também presentes na memória e ocupando tempo do microprocessador. Isto faz com que seja dificultada a execução de certos jogos muito sofisticados.

No Prompt do MS-DOS sob o Windows 95, o drive de CD-ROM também estará plenamente acessível, sendo controlado pelos drivers de 32 bits do próprio Windows 95. A rigor podemos considerar que o Windows 95 e o Prompt do MS-DOS sob o Windows 95, ambos mostrados na figura 1, são um único ambiente.

Existe ainda um outro ambiente, muito parecido com o indicado como “Somente Prompt”, que é o “Modo MS-DOS”, também mostrado na figura 1, porém com alguns recursos adicionais. Uma das formas de obtê-lo é usando o comando Desligar, e no quadro de desligamento apresentado, escolhendo a opção “Reiniciar o computador em modo MS-DOS”. Nesta situação, o Windows 95 e seus programas não estarão mais carregados na memória. Apenas estará em execução o “MS-DOS 7.0”. Também estarão ativos os drivers de 16 bits carregados pelos arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT. A principal diferença em relação a um boot com a opção “Somente Prompt” é que antes de ser executado, é processado automaticamente o arquivo DOSSTART.BAT, localizado no diretório \WINDOWS. Este arquivo funciona como uma espécie de AUTOEXEC.BAT adicional, específico para o modo MS-DOS. Portanto, deve ser considerado que neste modo foram executados os arquivos CONFIG.SYS, AUTOEXEC.BAT e DOSSTART.BAT, nesta ordem. Observe na figura 1 os pontos exatos onde são executados esses arquivos.

ART05-2

Figura 2 -Os ambientes sob o Windows 95 e os arquivos de configuração que são executados.

Para que um drive de CD-ROM IDE funcione sob o ambiente Windows 95, não é necessário utilizar nenhum driver de 16 bits nos arquivos CONFIG.SYS, AUTOEXEC.BAT ou DOSSTART.BAT. Os drivers para Windows 95 ativam o seu funcionamento neste ambiente. Quando um sistema possui apenas os drivers para Windows 95, não será possível utilizar o drive de CD-ROM se for executado um boot com a opção “Somente Prompt”, e nem sob o “Modo MS-DOS”.

Para que o drive de CD-ROM funcione após um boot com a opção “Somente Prompt”, é preciso que tenham sidos carregados dois drivers de modo real:

No arquivo CONFIG.SYS: É usado um driver fornecido pelo fabricante do drive de CD-ROM. Sua função é realizar todo o controle do drive de CD-ROM, a nível de hardware. Sempre que compramos um drive de CD-ROM isolado, virá acompanhado de um disquete com este driver. Os kits multimídia também são acompanhados de um disquete com este driver. O nome deste driver poderá variar, de acordo com o fabricante, mas muitas vezes são equivalentes. Os kits da Creative Labs usam o driver SBIDE.SYS. Podemos encontrar outros drivers equivalentes, como ATAPI_CD.SYS, GSCDROM.SYS, entre diversos outros. Usaremos como referência o SBIDE.SYS.

No AUTOEXEC.BAT: É usado o MSCDEX.EXE (Microsoft CD-ROM Externsions). Trata-se de um driver que permite que um CD-ROM seja tratado exatamente da mesma forma como os disquetes e os discos rígidos, usando o mesmo sistema de arquivos.

Quando esses drivers são usados nos arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT, o drive de CD-ROM estará permanentemente ativo em todos os ambientes do Windows 95:

Somente Prompt: Ao executarmos um boot com a opção “Somente Prompt”, os arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT serão executados, e os drivers SBIDE.SYS e MSCDEX.EXE serão ativados. Será então possível usar o drive de CD-ROM neste ambiente.

No Windows 95: Com a ativação do SBIDE.SYS e do MSCDEX.EXE, o drive de CD-ROM já estará ativo antes do carregamento do ambiente gráfico do Windows 95, e portanto poderá ser plenamente utilizado neste ambiente. Entretanto, não estarão sendo usados os drivers de 32 bits do Windows 95 (muito mais eficientes) para controlar o drive de CD-ROM.

Modo MS-DOS: Ao ser ativado o modo MS-DOS após o comando “Reiniciar o computador em modo MS-DOS”, estarão presentes na memória todos os drivers ativados pelo CONFIG.SYS e pelo AUTOEXEC.BAT, inclusive o SBIDE.SYS e o MSCDEX.EXE.

Vejamos agora os métodos de instalação de um drive de CD-ROM IDE em cada um desses ambientes.

Drive de CD-ROM IDE no Windows 95

Para que um drive de CD-ROM IDE funcione no ambiente Windows 95, providências diversas devem ser tomadas, dependendo de como está conectado a nível de hardware. Em última análise, desde que o drive esteja conectado a uma interface IDE, não importa qual o seu endereço (primária, secundária, terciária ou quaternária) e nem onde está fisicamente ligada (placa de CPU, placa de som, placa IDEPLUS ou placa de interface IDE), o seu funcionamento está sujeito à presença de um drivers apropriados. Podemos identificar então duas situações básicas:

1. Drivers de modo real (16 bits). São os drivers ativados pelos arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT. Quando esses drivers estão presentes, o drive de CD-ROM será automaticamente reconhecido pelo Windows 95, e estará disponível em todas as suas modalidades. Se você pretende usar os drivers desta forma, consulte a seção “CD-ROM IDE com Somente Prompt”.

2. Drivers de modo protegido (32 bits). Esses drivers são ativados durante o carregamento do Windows 95, e não estão disponíveis nos ambientes “Somente Prompt” e “Modo MS-DOS”.

Nesta seção, abordaremos o uso dos drivers de modo protegido. Podemos agora dividir esses drivers para Windows 95 em duas categorias:

1. Driver padrão do Windows 95.

2. Driver fornecido pelo fabricante do kit multimídia.

Na instalação de kits multimídia, ao ser detectada a interface IDE da placa de som, é perguntado ao usuário se deseja usar o driver padrão do Windows 95 ou um driver fornecido pelo fabricante do kit multimídia. Esta situação é mostrada na figura 3.

ART05-3
Figura 3 – Indicando o driver a ser usado para controlar um drive de CD-ROM.

Você deve seguir as instruções do fabricante, que normalmente consistem em escolher o driver padrão Windows. Escolha a segunda opção caso existam instruções específicas a este respeito no manual do seu kit multimídia.

Você precisará dos conceitos apresentados aqui caso esteja fazendo uma instalação usando placas e/ou drives de CD-ROM antigos, sendo portanto obrigado a usar métodos fora do padrão especificado pelo fabricante, mas isto não irá impedir o seu funcionamento. Tenha em mente o seguinte:

Placas de som Plug and Play

Normalmente as interfaces IDE existentes nas placas de som Plug and Play podem usar o driver padrão Windows, não importa se esta interface irá operar como primária, secundária, terciária ou quaternária.

Interfaces IDE primárias e secundárias

As modernas placas de CPU possuem duas interfaces IDE, sendo uma primária e outra secundária. Ambas são Plug and Play, ou seja, uma vez habilitadas pelo CMOS Setup, serão automaticamente reconhecidas pelo Windows 95, será instalado o driver apropriado (padrão Windows 95), e qualquer drive de CD-ROM ligado a uma dessas interfaces estará automaticamente disponível. Placas de CPU antigas não possuem interfaces IDE, fazendo uso da placa IDEPLUS. Mesmo não sendo Plug and Play, a interface IDE existente em uma IDEPLUS é detectada pelo Windows 95 durante o seu processo de instalação, e é instalado um driver IDE apropriado. Quando conectamos um drive de CD-ROM em uma interface IDE primária que já esteja funcionando, este será automaticamente reconhecido. Quando instalamos uma interface IDE secundária, devemos usar o comando Adicionar Novo Hardware do Painel de Controle. A interface IDE secundária será então detectada, seu driver será instalado, e um drive de CD-ROM nela conectado já poderá funcionar.

Interfaces terciárias e quaternárias

O driver padrão Windows para interfaces IDE não é capaz de funcionar corretamente com interfaces terciárias ou quaternárias, a menos que sejam Plug and Play. Se instalarmos, por exemplo, uma placa Sound Blaster 16 IDE, ainda sem o recurso Plug and Play, com sua interface IDE configurada como terciária ou quaternária, esta não será detectada corretamente, e o driver padrão Windows não irá funcionar. O mesmo ocorre quando acoplamos o drive de CD-ROM em uma placa controladora IDE isolada, configurada como terciária. Se a placa de CPU não possui uma interface IDE secundária, podemos configurar a nova interface IDE como secundária, fugindo assim dos problemas que apresentam as interfaces terciárias e quaternárias, e o driver padrão Windows funcionará perfeitamente. Observe entretanto que se a placa de CPU já possui uma interface IDE secundária livre, não fará sentido algum usar uma interface terciária ou quaternária. Podemos ligar o drive de CD-ROM diretamente na interface IDE secundária que está livre.

Podemos constatar a presença das interfaces IDE através do Gerenciador de Dispositivos, como mostra a figura 4. Observe os itens “Controlador padrão IDE/ESDI de disco rígido”. Para verificar seus endereços, basta clicar sobre um deles e usar o botão Propriedades. Será apresentado um quadro, no qual selecionamos a guia Recursos. Serão mostradas as informações vistas na figura 5.

ART05-4
Figura 4 – Constatando a presença das interfaces IDE.

ART05-5
Figura 5 – Verificando as propriedades de uma interface IDE.

Observe na figura 5 que está indicado o uso dos endereços 1F0 a 1F7, o que caracteriza uma interface primária. A tabela a seguir resume os endereços e as interrupções usadas por essas interfaces.

Nome Endereços IRQ
Primária 1F0-1F7 14
Secundária 170-177 15
Terciária 1E8-1EF 11 ou 12
Quaternária 168-16F 10 ou 11

As interfaces IDE terciárias e quaternárias que não são do tipo PnP não podem ser corretamente controladas pelo driver padrão IDE do Windows 95, no que diz respeito ao drive de CD-ROM. Neste caso, devemos utilizar o driver SBIDE.MPD, fornecido pela Creative Labs. Este driver pode ser obtido no site da Creative Labs na Internet, e também nos disquetes e CDs que acompanham os seus atuais kits multimídia. Como nesta situação, o drive de CD-ROM ainda não estará operacional, podemos obter o arquivo SBIDE.MPD a partir do disquete de instalação que acompanha o kit multimídia. Normalmente este disquete possui na sua etiqueta, a indicação “CD-ROM Installation Disk”. Kits multimídia de fabricação menos recente, anteriores ao lançamento do Windows 95, não possuem o SBIDE.MPD neste disquete. Nesse caso, você poderá pedir este disquete emprestado a um amigo que tiver adquirido um kit multimídia mais recentemente.

Para instalar o driver SBIDE.MPD, usamos o comando Adicionar Novo Hardware no Painel de Controle. Ao ser perguntado se desejamos que o Windows detecte o novo hardware, respondemos “Não” e clicamos sobre o botão Avançar. Será apresentada uma lista com tipos de hardware. Clicamos sobre o item “Controladores de CD-ROM”, e a seguir em Avançar.

É apresentado um quadro de fabricantes e modelos. Ignore esses fabricantes e modelos. Basta clicar sobre o botão “Com Disco”.

Será apresentado um quadro para que seja indicado qual o drive (por default é usado o drive A) onde está localizado o driver a ser instalado. Colocamos o disquete nomeado “CD-ROM Installation Disk” no drive A e clicamos em OK. O disquete será acessado, e o quadro assumirá o aspecto mostrado na figura 6. Clicamos então em Avançar.

ART05-6
Figura 6 – Neste disquete foi encontrado o driver do fabricante.

O driver será instalado, e será apresentado um quadro indicando os recursos de hardware utilizados (endereços de E/S e IRQ). Por default, o driver SBIDE.MPD usa uma interface IDE terciária (1E8-1EF), ocupando a IRQ11. Caso seja necessário usar uma configuração diferente, podemos alterá-la posteriormente através do Gerenciador de Dispositivos.

Estará então concluída a instalação. Bastará agora reiniciar o computador para que as alterações tenham efeito.

Se a interface IDE recém instalada estiver realmente configurada como terciária e usando a IRQ11, o drive de CD-ROM já estará em pleno funcionamento. Se for necessário alterar a configuração, usamos o Gerenciador de Dispositivos. Para alterar seus recursos basta clicar sobre o item “Creative IDE CD-ROM Drive” e usar o botão Propriedades.

Será apresentado o quadro da figura 7. Bastará agora clicar sobre o item a ser alterado (Requisição de Interrupção ou Intervalo de E/S) e usar o botão “Alterar Configuração”. Observe que esta operação não reprograma os circuitos da interface IDE, e sim, informa ao Windows 95 como os seus jumpers estão configurados.

ART05-7
Figura 7 – Alterando a configuração da interface IDE

O driver mais indicado para cada caso

Ao instalar um drive de CD-ROM IDE, podemos usar o driver padrão do Windows 95 ou o driver SBIDE.MPD, fornecido pela Creative Labs. Devemos seguir o seguinte roteiro:

1. Se o manual do fabricante traz instruções sobre a instalação em ambiente Windows 95, devemos a princípio segui-las. O fabricante poderá recomendar o uso do driver padrão do Windows 95 ou o seu próprio driver, fornecido em um disquete.

2. Se o fabricante não traz instruções sobre instalação e o drive é ligado em uma placa de som Plug and Play, devemos usar preferencialmente o driver padrão Windows.

3. Se a conexão do drive de CD-ROM foi feita em uma interface IDE primária ou secundária, não importa se é ou não PnP, e nem em que placa está, devemos usar o driver padrão Windows.

4. Se o drive de CD-ROM for acoplado a uma interface terciária ou quaternária que não seja Plug and Play, devemos preferencialmente usar o driver SBIDE.MPD.

CD-ROM IDE com Somente Prompt

Para que um drive de CD-ROM IDE funcione logo após o boot com a opção “Somente Prompt”, é preciso que sejam executados drivers apropriados no CONFIG.SYS e no AUTOEXEC.BAT. Existem pequenas diferenças no uso desses drivers quando o drive de CD-ROM está ligado a uma placa de som PnP. Vejamos inicialmente o caso não PnP, e depois façamos uma complementação para o caso PnP.

Drive de CD-ROM em interface não PnP ou interfaces da placa de CPU

Este método se aplica quando a interface IDE na qual o drive de CD-ROM é ligado está ativa antes do carregamento do Windows 95. Isto engloba as seguintes situações:

Drive ligado a uma das interfaces da placa de CPU
Drive ligado a uma placa IDEPLUS
Drive ligado a uma interface IDE isolada
Drive ligado a uma placa de som com interface IDE, não PnP

A Creative Labs fornece o driver SBIDE.SYS, para que seja instalado no arquivo CONFIG.SYS, habilitando o funcionamento do drive de CD-ROM. Seu modo básico de operação é o seguinte:

DEVICE=C:\SBCD\SBIDE.SYS /D:MSCD001 /P:170,15

Vejamos alguns detalhes sobre este comando:

O comando DEVICE pode ser substituído por DEVICEHIGH, fazendo com que o SBIDE seja carregado na memória superior, deixando assim, mais espaço livre na memória convencional.

Estamos supondo que o SBIDE.SYS está localizado no diretório C:\SBCD, mas outros diretórios podem ser utilizados, dependendo da versão do software que acompanha a placa, e dependendo do usuário ter escolhido um diretório diferente do default.

O nome MSCD001 será usado pelo MSCDEX.EXE para que seja feita a identificação do dispositivo físico criado pelo SBIDE.SYS.

O parâmetro /P indica o endereço da porta e a interrupção usada pela interface IDE na qual está conectado o drive de CD-ROM. No nosso exemplo, estamos usando a interface IDE secundária, cujo endereço é 170, e cuja interrupção padrão é a IRQ15.

 

Além de usar o SBIDE.SYS no CONFIG.SYS, temos que usar o MSCDEX.EXE no arquivo AUTOEXEC.BAT. Sua linha de comando básica é:

C:\WINDOWS\COMMAND\MDCDEX.EXE /D:MSCD001

Cabe acrescentar alguns detalhes sobre este comando:

Podemos carregar o MSCDEX na memória superior, bastando adicionar no início desta linha, a palavra LOADHIGH ou LH.

No Windows 95, o MSCDEX está no diretório \WINDOWS\COMMAND. Muitos drives de CD-ROM são acompanhados de disquetes no qual existem programas equivalentes ao SBIDE, e ainda uma cópia do MSCDEX, sendo ambos copiados para o disco rígido. Você poderá ter portanto duas versões do MSCDEX: aquela que faz parte do Windows 95 e a que acompanha o seu drive de CD-ROM. Use preferencialmente a mais nova.

O nome MSCD001 deve ser idêntico ao usado na linha de comando do SBIDE.SYS, ou qualquer outro driver equivalente que tenha sido usado no arquivo CONFIG.SYS

A linha de comando o MSCDEX pode ainda ser acrescida de diversos parâmetros, dos quais os mais importantes são:

/S

Permite que o drive de CD-ROM possa ser compartilhado por outros computadores, caso esteja instalado em um PC que faça parte de uma rede.

/L:letra

Especifica a letra a ser usada pelo drive de CD-ROM. Por default, é usada a próxima letra livre, mas com este parâmetro podemos usar a letra desejada. Por exemplo, com /L:H, o drive de CD-ROM ocupará a letra H.

Quando usamos o SBIDE.SYS e o MSCDEX nos arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT, o Windows 95 automaticamente reconhecerá o drive de CD-ROM, mas não usará os seus drivers de 32 bits para controlar o drive de CD-ROM. O resultado é uma perda de desempenho, que pode não ser tão significativa no caso de drives velozes. Se usarmos o comando Desligar e escolhermos a opção “Reiniciar o computador em modo MS-DOS”, o drive de CD-ROM continuará acessível.

Drive de CD-ROM em placa de som PnP

Uma característica das placas de som Plug and Play é que não ficam ativas a partir do instante em que o computador é ligado. São ativadas durante o processo de carregamento do ambiente gráfico do Windows 95. Portanto, no ambiente que chamamos de “Somente Prompt”, placas de som PnP não estarão ativas, ocorrendo o mesmo com a sua interface IDE. Tudo se passa como se aquela interface IDE naquele instante não existisse. Se tentarmos usar no CONFIG.SYS o driver SBIDE.SYS ou qualquer outro equivalente, será apresentada uma mensagem de erro, indicando que a referida interface IDE não foi encontrada. O SBIDE.SYS não será carregado por não ter encontrado a sua interface IDE, e o MSCDEX.EXE também não será carregado, pois não encontrará o dispositivo MSCD001, criado pelo SBIDE.SYS.

Para permitir o uso do drive de CD-ROM nesta situação, é preciso ativar a placa de som durante o boot, da mesma forma como é feita a sua ativação pelo Windows 95. A Creative Labs fornece em seus kits, um disquete chamado “Plug and Play Configuration Manager”. Nos primeiros kits Plug and Play, eram fornecidos dois disquetes, onde havia um gerenciador de dispositivos Plug and Play produzido pela Intel, chamado ICU.EXE. Este gerenciador apresentou algumas incompatibilidades com certas versões de BIOS, e a Creative Labs criou o seu próprio gerenciador PnP, inicialmente chamado de CTPNP.EXE. Feitas algumas correções, este gerenciador é hoje fornecido com o nome de CTCM.EXE. Coloque este gerenciador no diretório C:\WINDOWS, ou em outro qualquer da sua escolha.

Para fazer com que o drive de CD-ROM IDE, ligado a uma interface IDE localizada em uma placa de som Plug and Play, seja reconhecido após o boot, coloque no arquivo CONFIG.SYS os seguintes comandos:

DEVICE=C:\WINDOWS\CTCM.EXE
DEVICE=C:\SBCD\SBIDE.SYS /D:MSCD001 /P:170,15

Cabem aqui as mesmas observações feitas sobre o SBIDE no item anterior. Da mesma forma, deve ser colocado no arquivo AUTOEXEC.BAT o comando:

C:\WINDOWS\COMMAND\MDCDEX.EXE /D:MSCD001

Portanto, a ativação de um drive de CD-ROM em um boot com a opção “Somente Prompt” é feita quase da mesma forma, sendo a placa de som PnP ou não. A única diferença é que no caso de placas de som PnP, deve ser usado o CTCM.EXE no CONFIG.SYS, antes do SBIDE ou outro driver equivalente.

Configurações múltiplas

O principal motivo que leva um usuário a ativar o drive de CD-ROM logo a partir do boot, é permitir o uso de jogos que são executados em ambiente MS-DOS. A maioria dos jogos podem ser executados pelo comando Prompt do MS-DOS sob o Windows 95, mas se forem executados a partir de um boot com a opção Somente Prompt, terão todo o tempo do microprocessador e toda a memória à sua disposição. Entretanto, o usuário poderá preferir usar o SBIDE.SYS e o MSCDEX.EXE apenas para executar jogos, e deixar esses drivers desativados quando for utilizar o Windows 95 em modo normal. A solução para isto é criar configurações múltiplas no CONFIG.SYS. Esta opção não é recomendada para usuários principiantes, nem para aqueles que não estão familiarizados com o uso de arquivos de batch (para esses casos, apresentaremos mais adiante um método mais fácil de ser usado).

Quando queremos que o drive de CD-ROM funcione após o boot, o CONFIG.SYS deve ter as linhas do CTCM e do SBIDE. Essas linhas devem ser ignoradas quando quisermos realizar um boot normal. Podemos fazer isso com a ajuda dos seguintes comandos especiais do CONFIG.SYS:

menu
menuitem
common

Colocamos no início do CONFIG.SYS os comandos:

[menu]
menuitem=jogos, Boot especial para jogos
menuitem=normal, Boot normal do Windows 95

[common]
aqui colocamos os comandos que devem ser usados em ambas as opções

[jogos]
DEVICE=C:\WINDOWS\CTCM
DEVICE=C:\SBCD\SBIDE.SYS /P:1E8,15

[normal]
colocamos comandos que devem ser usados apenas no boot para Win 95

[common]
colocar aqui mais comandos que são usados em ambas as opções de boot

A chave de tudo é o comando menu, seguido das suas duas opções. Ao ser executado um boot, será apresentado um menu como o mostrado abaixo:

Menu de inicialização do Windows 95 da Microsoft
================================================

1. Boot especial para jogos
2. Boot normal do Windows 95

Digite uma opção: 1

Quando digitamos 1, serão processados apenas os trechos do CONFIG.SYS precedidos por [jogos] e [common], sendo ignorados os trechos precedidos por [normal]. Da mesma forma, quando digitamos 2, serão processados apenas os trechos precedidos por [common] e por [normal], sendo ignorados os precedidos por [jogos]. Convém lembrar que o comando CTCM é usado apenas no caso de placas de som PnP.

Para executar um boot normal no Windows 95, esperamos que o menu apareça, e digitamos “2”. Para executar um boot para jogos, devemos pressionar F8 quando for apresentada a mensagem “Iniciando o Windows 95”, e ao ser apresentado o menu, escolhemos a opção “1”.

A princípio não é necessário fazer alterações no AUTOEXEC.BAT. Podemos deixar que o MSCDEX.EXE seja sempre executado. Caso o SBIDE não seja executado (boot normal), o MSCDEX automaticamente desistirá da sua própria instalação. Se o SBIDE tiver sido executado (boot para jogos), o MSCDEX ficará ativo. Devemos entretanto notar o seguinte:

Em um boot com a opção Somente Prompt, o mouse não fica disponível
Em um boot com a opção Somente Prompt, não existe cache de disco

Podemos portanto personalizar o AUTOEXEC.BAT, fazendo com que o MSCDEX, o driver de mouse para DOS, e o SMARTDRV.EXE (cache de disco para DOS) sejam ativados apenas quando for realizado um boot para jogos. Isto é possível graças à variável %CONFIG%, através da qual o AUTOEXEC.BAT pode ser informado sobre qual foi a opção de boot escolhida no CONFIG.SYS. Basta usá-la como exemplificado a seguir:

… Colocar aqui comandos comuns a ambas as opções de boot …

goto %CONFIG%

:jogos
C:\WINDOWS\COMMAND\MSCDEX.EXE /D:MSCD001
C:\WINDOWS\SMARTDRV.EXE
C:\UTIL\MOUSE.COM
goto continua

:normal
… colocar aqui comandos que não são necessários para os jogos, como
keyb, mode, etc.

:continua
… mais comandos comuns…

Inicialmente são processados comandos válidos para ambas as opções de boot. A seguir, o comando goto %config% tem o efeito de goto jogos ou goto normal, dependendo da opção escolhida no CONFIG.SYS ter sido 1 (jogos) ou 2 (normal). No caso da opção para jogos, serão executados o MSCDEX, o SMARTDRV e o driver de mouse para DOS, que pode ser chamado de MOUSE.COM ou similar. Este driver está presente no disquete que acompanha o seu mouse, mas se você não possuir este disquete, pode usar o driver de outro mouse, pois normalmente são compatíveis.

Se você achou complicado este processo de ativação do drive de CD-ROM para o Prompt do MS-DOS, existe uma forma bem mais simples que não requer o uso de menus. Trata-se do comando “Reiniciar computador em modo MS-DOS”, abordado a seguir.

CD-ROM IDE no modo MS-DOS

Existe um método simples para executar programas de forma exclusiva em modo MS-DOS, apesar de também requerer o uso do SBIDE, MSCDEX e CTCM. Observe na figura 4 os ambientes indicados como “Somente Prompt” e “Modo MS-DOS”. Para todos os efeitos práticos, esses dois ambientes são semelhantes no que diz respeito ao uso da memória e do microprocessador. Portanto, jogos que necessitam ser executados no ambiente “Somente Prompt” poderão ser perfeitamente executados no ambiente “Modo MS-DOS”. Assim como o ambiente “Somente Prompt” utiliza os arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT, o modo MS-DOS utiliza além destes, o arquivo DOSSTART.BAT. Este arquivo é executado automaticamente sempre que executamos o comando Desligar / Reiniciar em modo MS-DOS. Podemos simplesmente deixar de lado os arquivos CONFIG.SYS e AUTOEXEC.BAT no que diz respeito ao drive de CD-ROM, e adicionar os drivers apropriados no arquivo DOSSTART.BAT. O drive de CD-ROM não estará disponível no boot com a opção Somente Prompt, mas estará no modo MS-DOS. Ao executarmos o boot normal, o Windows 95 controlará o drive de CD-ROM através dos seus drivers de 32 bits. Apenas no modo MS-DOS serão utilizados os drivers de 16 bits.

Para dar acesso ao drive de CD-ROM, o arquivo DOSSTART.BAT precisa ter os seguintes comandos:

CTCM (no caso de placas de som PnP)
SBIDE
MSCDEX

O CTCM.EXE pode ser executado tanto em arquivos de batch como no CONFIG.SYS, através do comando DEVICE. Na seção anterior, usamos o CTCM no CONFIG.SYS porque precisava ser executado antes do SBIDE.SYS. Aqui executaremos, caso necessário, o CTCM em modo normal, sem usar o comando DEVICE.

O SBIDE.SYS, a princípio, não poderia ser executado em um arquivo de batch, já que se trata de um device driver, com extensão SYS, próprio para ser executado no CONFIG.SYS. Para resolver este problema, a Creative Labs fornece, no disquete indicado como “CD-ROM Installation Disk”, o programa CTLOAD.COM. Este pequeno programa permite o carregamento de device drivers em arquivos de batch, ou mesmo na linha de comando do MS-DOS. Ao invés de usar “DEVICE=SBIDE.SYS…”, usamos “CTLOAD SBIDE.SYS…”.

Quanto ao MSCDEX, é executado exatamente da mesma forma como se estivesse no arquivo AUTOEXEC.BAT. Podemos ainda adicionar no final do arquivos DOSSTART.BAT, comandos para ativar o mouse e o cache de disco, visando obter melhor desempenho. Suponhamos que o CTCM.EXE esteja localizado no diretório C:\WINDOWS (ao instalarmos o software que acompanha a placa de som, o CTCM.EXE é automaticamente armazenado neste diretório), e que os arquivos SBIDE.SYS e CTLOAD.COM tenham sido colocado no diretório C:\CDROM. O arquivo DOSSTART.BAT deverá então ter os seguintes comandos:

C:\WINDOWS\CTCM
C:\CDROM\CTLOAD C:\CDROM\SBIDE.SYS /D:MSCD001 /P:170,15
C:\WINDOWS\COMMAND\MSCDEX.EXE /D:MSCD001
C:\WINDOWS\SMARTDRV
C:\UTIL\MOUSE

A primeira linha executa o CTCM, e deve ser usada apenas no caso de placas de som PnP. Na segunda linha, o programa CTLOAD faz o carregamento do SBIDE.SYS. Observe que estamos supondo o uso da interface IDE secundária (endereço 170, IRQ15), mas na verdade será preciso confirmar através do Gerenciador de Dispositivos, quais são os parâmetros corretos.

Na terceira linha é executado o MSCDEX, e a partir daí o drive de CD-ROM já estará ativo. Na quarta linha ativamos o cache de disco SMARTDRV para obter melhor desempenho nos acessos ao disco rígido e ao drive de CD-ROM, e finalmente na quinta linha ativamos o driver do mouse.

Instalação automática do drive de CD-ROM

Os kits multimídia da Creative Labs são acompanhados de um disquete com a inscrição “CD-ROM Installation Disk”. Ao executarmos o programa SETUP.EXE deste disquete, são automaticamente realizadas as alterações no DOSSTART.BAT que permitem o acesso a drive de CD-ROM no modo MS-DOS, e ainda são instalados os drivers e utilitários apropriados (SBIDE.SYS, CTLOAD.COM, etc).

Este programa de instalação apresenta um quadro como o da figura 8, no qual devemos especificar como o drive de CD-ROM está conectado. As duas primeiras opções correspondem respectivamente às interfaces IDE primária e secundária. A terceira é usada quando o drive de CD-ROM é ligado à uma interface IDE de uma placa de som PnP. A quarta opção é usada no caso de interfaces que não sejam PnP. Neste caso, o usuário deve determinar seu endereço e IRQ corretos e ajustar manualmente os parâmetros do SBIDE.SYS no arquivo DOSSTART.BAT.

ART05-8
Figura 8 – Indicando a forma de conexão do drive de CD-ROM.